Brexit. May põe nas mãos dos deputados a realização de um novo referendo

Andy Rain / EPA

Theresa May, primeira-ministra britânica

A primeira-ministra britânica, Theresa May, apresentou esta terça-feira uma nova proposta de ‘Brexit’ que apresentará no Parlamento britânico e que obriga a que os deputados votem sobre um segundo referendo.

Numa comunicação feita horas depois de o seu governo ter apoiado esta nova proposta de ‘Brexit’, que disse ser “ousada”, Theresa May disse que continua “empenhada em garantir a saída do Reino Unido da União Europeia” e mostrou-se confiante de que a nova proposta terá a aprovação no Parlamento, onde será votada na primeira semana de junho.

May diz que a proposta incluirá o requisito de haver uma votação no Parlamento sobre se será feito um novo referendo sobre o ‘Brexit’. Os deputados britânicos vão poder escolher se avançam ou não para um novo referendo e mesmo os deputados que querem um outro referendo “devem votar no acordo”, acrescentou May, citada pelo The Guardian.

Nesta tarde Theresa May admitiu também ser contra um segundo referendo. “Ajudem-me a levar a cabo a decisão do povo”, disse a primeira-ministra, dirigindo-se aos deputados.

A primeira-ministra britânica apresentou ainda algumas novas propostas garantindo a proteção de direitos dos trabalhadores, comprometendo-se a manter-se alinhada com a Irlanda do Norte sobre o ‘backstop’ e assegurando que não haverá alterações na proteção ambiental se houver uma saída do Reino Unido.

O Reino Unido devia ter deixado a União Europeia em 29 de março, mas a comunidade de países permitiu a extensão do prazo até 31 de outubro, no meio de um impasse político. As conversações sobre a obtenção de um compromisso entre o Partido Conservador, de May, e o Partido Trabalhista, na oposição, voltaram a fracassar, na passada semana.

May diz que tentará retomar o processo de negociações, no início de junho, pedindo aos deputados que votem numa proposta de retirada que seja aceite por Bruxelas.

A proposta provavelmente incluirá promessas sobre questões como direitos dos trabalhadores e proteções ambientais, que são prioridades para o Partido Trabalhista. Mas a porta-voz do Partido Trabalhista, Emily Thornberry, já disse que os deputados do seu partido irão votar contra, a menos que a proposta seja “radicalmente diferente”.

May disse que depois de o Parlamento votar a nova proposta, estabelecerá um cronograma para o seu abandono de funções, como líder do Partido Conservador e como primeira-ministra. Os Conservadores pró-‘Brexit’ culpam May pelo impasse político e querem substituí-la por um defensor acérrimo do ‘Brexit’, como Boris Johnson, ex-ministro das Relações Exteriores do governo de Theresa May.

De acordo com o semanário Expresso, é pouco provável que as mudanças acordadas pelo Governo, cujos membros estão divididos sejam suficientes para mudar a posição dos deputados britânicos, que por três vezes recusaram um entendimento sobre a forma de saída da União Europeia.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Rúben Amorim arrisca suspensão de 1 a 6 anos após acusação de fraude

O Sporting está a ser acusado de fraude na inscrição de Rúben Amorim como treinador. Um caso que resulta de participação feita pela Associação Nacional de Treinadores de Futebol (ANTF) e que pode valer ao …

MAI impõe mínimo de mulheres no recrutamento para a GNR e PSP

O Ministério da Administração Interna (MAI) vai incluir nas regras de recrutamento em 2021 indicadores mínimos de 15% de mulheres na incorporação para guardas da GNR e de 20% para agentes da PSP. No âmbito da …

Pedro Nuno Santos diz que PS não se pode comportar como se tivesse maioria absoluta

O ministro das Infraestruturas e da Habitação defendeu, este domingo, que o PS não se pode comportar como se tivesse maioria absoluta, mas sim colaborar com BE e PCP porque a geringonça "não pode ser …

Joan Laporta eleito presidente do Barcelona (e já falou sobre o futuro de Messi)

Joan Laporta foi eleito presidente do FC Barcelona, este domingo, sucedendo ao contestado Josep Maria Bartomeu, ao recolher 30.184 votos (54,28% do total), nas eleições para os órgãos sociais do clube espanhol. Joan Laporta, que já presidiu …

Há cargos de supervisão há anos por preencher. João Leão assume atrasos

O Ministério das Finanças assume atrasos na procura por supervisores. Não podem vir do setor bancário e é preciso encontrar mulheres. O gabinete do ministro das Finanças, João Leão, assume atrasos na procura por administradores para …

"Temos de nos preparar". Benfica vai pôr travão no investimento

Após ter gasto mais de 100 milhões de euros em transferências, Jorge Jesus antecipa que o SL Benfica, assim como as outras equipas, vai ter de pôr um travão no investimento. O Benfica foi um dos …

Áustria retira por precaução lote da vacina AstraZeneca após morte de vacinada

As autoridades austríacas suspenderam por precaução as inoculações com um lote da vacina da AstraZeneca. O lote retirado não é usado em Portugal. A Áustria anunciou, este domingo, a retirada por precaução de um lote da …

Amorim não quer surpresas e prepara nuances na estratégia da equipa

Rúben Amorim vai promover alterações na estratégia da equipa para evitar que a equipa se torne previsível na fase final do campeonato. A segunda volta do campeonato está em andamento e o Sporting CP lidera categoricamente …

Medina sondou BE e PCP para coligação. Levou uma nega, mas o futuro depende do sucesso de Moedas

Fernando Medina quis uma coligação pré-eleitoral com Bloco de Esquerda e o PCP, mas os partidos não aceitaram. No entanto, a hipótese poderá voltar a estar em cima da mesa de Carlos Moedas começar a …

"Não é descabido”. Candidato liberal a Lisboa admitiu que nacionalização da TAP podia ser "excelente opção"

Miguel Quintas, o recém-anunciado candidato da Iniciativa Liberal à Câmara Municipal de Lisboa, defendeu, no ano passado, que pensar numa nacionalização da TAP “não é de todo descabido” e que “tudo indica que poderá ser uma …