“Mão em garra” pode ter impedido Da Vinci de terminar a Mona Lisa

Musée du Louvre / Wikimedia

Mona Lisa (p.), por Leonardo Da Vinci

O artista, inventor e engenheiro Leonardo da Vinci, que morreu há 500 anos, pode ter sofrido uma paralisia na mão após um acidente, o que o teria impedido de concluir algumas das suas obras, como Mona Lisa, e de pintar anos mais tarde.

A alegação foi feita pelos médicos italianos, Davide Lazzeri e Carlo Rossi, que analisaram a representação da mão direita de Da Vinci em duas obras de arte. Pelas imagens, eles diagnosticaram paralisia ulnar, ou “mão em garra“, e sugeriram que o estado da mão do artista pode ter sido causado por um desmaio.

A revelação foi publicada, este sábado, na revista académica da Real Sociedade de Medicina Britânica.

“Isso pode explicar porque é que ele deixou inúmeras pinturas incompletas, incluindo a Mona Lisa, durante os últimos cinco anos da sua carreira como pintor, enquanto continuou a ensinar e a desenhar”, afirma Davide Lazzeri, autor do estudo e especialista em cirurgia plástica reconstrutiva em Roma.

No estudo, foram analisadas duas obras de arte que mostravam Leonardo da Vinci nos últimos anos de vida. Uma delas é um retrato de Da Vinci, desenhado com giz vermelho, atribuído ao artista lombardo Giovanni Ambrogio Figino, do século XVI.

De maneira pouco normal, o desenho mostra o braço direito de Da Vinci em grande parte escondido pelas dobras da roupa. A mão é visível, mas numa “posição rígida e contraída“. Antes deste novo estudo, tinha sido anteriormente sugerido que a mão de Da Vinci se tinha deteriorado devido a um derrame cerebral.

Museu e Galeria dell’Accademia de Veneza

Retrato de Leonardo da Vinci, desenhado por Giovanni Ambrogio Figino

Porém, segundo o médico Davide Lazzeri, não há relatos de que Da Vinci tenha apresentado qualquer declínio cognitivo ou outro comprometimento motor, que poderiam decorrer de um derrame.

“Não há informação sobre uma eventual paralisia facial que frequentemente ocorre após um acidente vascular”, realçam os autores do texto.

“Em vez de retratar a típica mão cerrada vista pós-AVC, o quadro de Figino sugere um diagnóstico alternativo, como paralisia ulnar, comummente conhecida como ‘mão em garra'”, acrescentou Lazzeri.

O nervo ulnar vai do ombro até ao dedo mindinho e controla quase todos os músculos intrínsecos da mão que permitem movimentos motores subtis, de modo que uma queda poderia ter causado um trauma no braço do artista, levando à paralisia ou ao enfraquecimento do nervo.

Os investigadores também analisaram uma gravura de um homem a tocar uma lira da braccio, – um instrumento de cordas da Renascimento -, recentemente identificado como Leonardo Da Vinci.

Além disso, foi obtida uma evidência adicional no diário de Antonio de Beatis, assistente do cardeal italiano Luigi d’Aragona, que visitou a casa de Da Vinci em 1517.

Beatis anotou que já não se poderia esperar “bom trabalho dele, uma vez que uma certa paralisia limitou a sua mão direita“. Entretanto, continuou de Beatis, apesar de não poder pintar “com a doçura que lhe era peculiar, ainda pode desenhar e ensinar outras pessoas”.

ZAP // BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Simeone reitera confiança em João Félix. "Acreditamos totalmente nele"

O técnico do Atlético de Madrid, Diego Simeone, voltou a falar de João Félix esta sexta-feira, reiterando toda a confiança no avançado de 20 anos. "A Supertaça foi mais um passo de experiência para um rapaz …

Ensino Superior com mais concursos para professores em 2019

As instituições de Ensino Superior abriram, em 2019, mais 948 concursos para a carreira docente do que em 2018, anunciou, esta quinta-feira, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. De acordo com uma nota do …

Paulo Gonçalves. Seguradoras atrasam autópsia e trasladação do corpo para Portugal

Paulo Gonçalves faleceu no domingo, aos 40 anos, na sequência de uma queda sofrida ao quilómetro 273 da sétima de 12 etapas do Rali Dakar. Exigências das seguradoras quanto a despistes toxicológicos ao corpo de Paulo …

Estivadores vão fazer greve em Setúbal e ameaçam fazer o mesmo em Lisboa

O Sindicato dos Estivadores e Atividade Logística (SEAL) revelou esta sexta-feira que vai entregar já na segunda-feira um pré-aviso de greve no Porto de Setúbal e ameaça fazer o mesmo no Porto de Lisboa. “Os trabalhadores …

Segundo maior diamante transforma-se em joias Louis Vuitton

Depois de cortado e polido, o segundo maior diamante da história será transformado numa coleção de joias da Louis Vuitton. A Lucara Diamond encontrou o diamante Sewelo, de 1.758 quilates, na sua mina do Botswana, no …

Filho do presidente da Câmara de Pedrógão Grande "sem memória" no caso da reconstrução de casas

O adjunto do presidente da Câmara de Pedrógão Grande, Telmo Alves, que também é filho do autarca, disse em Tribunal que desconhece o processo de reconstrução das casas ardidas no incêndio no concelho, em 2017, …

Joacine não está inscrita no congresso do Livre

De acordo com o semanário Expresso, a deputada única do Livre não se inscreveu na reunião magna do partido, que se realiza este fim de semana, em Lisboa. A deputada do Livre, Joacine Katar Moreira, e …

"Há condições para avançar" com o alargamento da ADSE

"Há condições para avançar" com o alargamento da ADSE aos contratos individuais do Estado e aos precários regularizados no PREVPAP, disse Alexandra Leitão, esta sexta-feira, no Parlamento. A ministra da Modernização do Estado e da Administração …

Países "lutam" por fundos europeus para neutralizar emissões de carbono

Um novo fundo de 100 mil milhões destinado a neutralizar as emissões de dióxido de carbono na Europa até 2050 está em disputa por vários países. A Comissão Europeia quer implementar um fundo de 100 mil …

Tribunal japonês suspende atividade de reator nuclear que tinha recebido luz verde

Um tribunal no Japão ordenou esta sexta-feira que o reator nuclear da central de Ikata (oeste do país) pare por razões de segurança, numa decisão que revoga uma anterior que deu luz verde ao seu …