O misterioso Manuscrito Voynich foi finalmente desvendado

Manuscrito de Voynich

O académico Gerard Cheshire, da Universidade de Bristol, no Reino Unido, conseguiu a proeza de desvendar o misterioso Manuscrito de Voynich, um dos documentos mais intrigantes da história.

O mistério do livro indecifrável escrito numa língua que não existe com criaturas nunca vistas foi finalmente resolvido.

O texto medieval, que data do Século XV e que todos pensavam estar escrito em algum tipo de código complexo, já tinha derrotado inúmeros criptógrafos, linguísticos eruditos e até programas de computador desde que foi descoberto no Século XIX.

Mas depois de o enigma ter iludido os estudiosos durante mais de um século, em apenas duas semanas Gerard Cheshire conseguiu finalmente resolvê-lo, usando uma combinação de pensamento lateral e engenho para identificar a linguagem e o sistema de escrita do famoso documento.

No artigo científico publicado na revista Romance Studies, o investigador explica que teve uma série de momentos “Eureca!” enquanto decifrava o código, seguida de um sentimento de espanto e de entusiasmo quando percebeu a magnitude da conquista, tanto em termos da sua importância linguística quanto da revelação sobre a origem e conteúdo do manuscrito.

“O que o documento revela é ainda mais surpreendente do que os mitos e fantasias que gerou”, aponta o académico, citando que, “por exemplo, o manuscrito foi compilado por freiras dominicanas como fonte de referência para Maria de Castela, Rainha de Aragão, que por acaso foi tia-avó de Catarina de Aragão”. Catarina (1485-1536) foi uma princesa espanhola e a primeira rainha de Henrique VIII de Inglaterra.

Este trabalho de pesquisa representa um dos desenvolvimentos mais importantes até hoje na linguística românica. Isto porque Cheshire descobriu que o manuscrito está escrito em “proto-romance”, o ancestral das línguas românicas de hoje, incluindo o Português, o Espanhol, o Francês, o Italiano, o Romeno, o Catalão e o Galego.

“A Língua usada no manuscrito [o proto-romance] era omnipresente no Mediterrâneo durante o período medieval, mas era raramente utilizada em documentos oficiais ou importantes, porque o latim era a língua da realeza, igreja e governo. Como resultado, os registos escritos do proto-romance estavam perdidos, até agora”, explica Cheshire.

Um dos trechos do manuscrito mostra duas mulheres a darem banho a cinco crianças. As palavras descrevem diferentes temperamentos/sentimentos: “tozosr” (significa algo como “muito barulhento”); “orla la” (“perdendo a paciência”, “no limite”); “tolora” (semelhante a “tolo”); “noror” (“triste”, “opaco”); “aus” (“bem comportado”); e “oleios” (“escorregadio”). Algumas destas palavras sobreviveram em Línguas actuais, como no Catalão (tozos e aus), no Português (orla e oleio) e no Romeno (noros). A expressão “orla la” pode muito bem ser a raiz da expressão francesa “oh là là” que revela um sentimento semelhante.

Uma das características que torna o manuscrito tão incomum é o facto de usar uma linguagem extinta. O seu alfabeto é uma combinação de símbolos desconhecidos e de outros mais familiares.

Ilustração A mostra vulcão em erupção que levou a uma missão de resgate e que criou uma nova ilha, com o nome de Vulcanello, que mais tarde se uniu à ilha de Vulcano após outra erupção em 1550. A ilustração B mostra o vulcão de Ischia, a C mostra a ilhota de Castello Aragonese e a D representa a ilha de Lipari. Cada ilustração inclui uma combinação de imagens e anotações com detalhes.

Além disso, o texto “não inclui sinais de pontuação, embora algumas letras possuam variantes de símbolos para indicar pontuação ou acentos fonéticos”.

“Todas as letras estão em minúsculas e não há consoantes duplas”, detalha Cheshire, acrescentando que “a escrita inclui ditongos, tritongos, quadritongos e até quintotongos para a abreviação de componentes fonéticos”. “Também inclui algumas palavras e abreviações em latim”, nota.

O próximo passo é traduzir o manuscrito inteiro e compilar um léxico, algo que Cheshire reconhece que levará algum tempo e exigirá financiamento, pois o documento compreende mais de 200 páginas.

“Agora que o idioma e o sistema de escrita foram explicados, as páginas do manuscrito estão abertas para os estudiosos explorarem e revelarem, pela primeira vez, o seu verdadeiro conteúdo linguístico e informativo”, conclui o investigador.

O véu do mistério está, assim, apenas a começar a ser destapado. Mais novidades e surpresas se podem esperar para os próximos tempos.

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. O texto não faz sentido. Não sou linguista, mas pelo que sei, o proto-romance (se é que tal existe enquanto língua) não é mais que o Latim vulgar falado pelas pessoas menos cultas. A similaridade entre as línguas ditas românicas advém, precisamente, de serem originárias do Latim e em particular do Latim vulgar, uma vez que a língua era levada essencialmente pelos legionários que falavam o chamado baixo latim.

RESPONDER

Consumo excessivo de álcool afeta o sistema nervoso (e aumenta a ansiedade)

Investigadores do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde concluíram que o consumo repetitivo de álcool afeta diretamente células imunes do sistema nervoso central, que eliminam parte da comunicação entre os neurónios, e provoca o …

Afinal, os tubarões-baleia macho não são os maiores peixes dos oceanos

Um novo estudo revela que, afinal, os tubarões-baleia machos não são os maiores peixes do oceano. As fêmeas crescem continuamente muito depois de os machos pararem, atingindo tamanhos maiores - ainda que demorem mais tempo …

Exército norte-americano usou fundos de emergência covid-19 para comprar armas

O exército dos Estados Unidos utilizou fundos de emergência aprovados pelo Congresso especificamente para combater a covid-19 para comprar armas, denuncia esta semana o jornal norte-americano The Washington Post. O caso remonta a março passado, …

Carpinteiros usam técnica medieval na reconstrução de Notre Dame

A reconstrução de Notre Dame - que se prevê estar concluída no prazo de cinco anos - continua a avançar e os carpinteiros usaram técnicas medievais para erguer uma estrutura na fachada do monumento. A Catedral …

Durante um ano e meio, uma aldeia inteira perdeu a Internet todos os dias à mesma hora (e já se sabe porquê)

Durante 18 meses, os residentes de uma vila no País de Gales perderam a Internet todos os dias à mesma hora. Agora, engenheiros identificaram o motivo: uma televisão em segunda mão que emitia um sinal …

Gado na UE produz 704 milhões de toneladas de CO2 (mais do que todos os transportes juntos)

De acordo com uma nova análise da Greenpeace, animais de criação como vacas, porcos e outros, estão a emitir mais gases com efeito de estufa na Europa do que todos os transportes juntos. Na última década, …

É distraído e está sempre a perder a carteira? A Cashew Smart Wallet é para si

Uma simples carteira pode vir a melhorar os seus dias. A Cashew Smart Wallet é dotada de uma tecnologia de bluetooth que permite proteger os seus bens e ainda o ajuda caso a perca por …

Desportivo das Aves SAD desiste do Campeonato de Portugal

O Desportivo das Aves SAD vai abdicar da participação no Campeonato de Portugal (CdP), após ter falhado as negociações com o Perafita para utilizar as instalações do clube de Matosinhos. "As inscrições fechavam ontem [terça-feira] e …

Celebridades doam dinheiro para pagar dívidas a ex-presos impedidos de votar nos EUA

O bilionário Michael Bloomberg, o cantor John Legend e o basquetebolista LeBron James são algumas das celebridades que estão a doar dinheiro para pagar dívidas de ex-presidiários da Florida, impedidos de votar nas próximas eleições …

No debate sobre o Plano de Recuperação, evocou-se Sócrates e Passos

O líder do PSD questionou o primeiro-ministro se pretende "fomentar o desemprego" com o aumento do salário mínimo. O chefe do Governo manifestou-se "completamente perplexo". Na abertura do debate sobre o Plano de Recuperação e Resiliência, …