O misterioso Manuscrito Voynich foi finalmente desvendado

Manuscrito de Voynich

O académico Gerard Cheshire, da Universidade de Bristol, no Reino Unido, conseguiu a proeza de desvendar o misterioso Manuscrito de Voynich, um dos documentos mais intrigantes da história.

O mistério do livro indecifrável escrito numa língua que não existe com criaturas nunca vistas foi finalmente resolvido.

O texto medieval, que data do Século XV e que todos pensavam estar escrito em algum tipo de código complexo, já tinha derrotado inúmeros criptógrafos, linguísticos eruditos e até programas de computador desde que foi descoberto no Século XIX.

Mas depois de o enigma ter iludido os estudiosos durante mais de um século, em apenas duas semanas Gerard Cheshire conseguiu finalmente resolvê-lo, usando uma combinação de pensamento lateral e engenho para identificar a linguagem e o sistema de escrita do famoso documento.

No artigo científico publicado na revista Romance Studies, o investigador explica que teve uma série de momentos “Eureca!” enquanto decifrava o código, seguida de um sentimento de espanto e de entusiasmo quando percebeu a magnitude da conquista, tanto em termos da sua importância linguística quanto da revelação sobre a origem e conteúdo do manuscrito.

“O que o documento revela é ainda mais surpreendente do que os mitos e fantasias que gerou”, aponta o académico, citando que, “por exemplo, o manuscrito foi compilado por freiras dominicanas como fonte de referência para Maria de Castela, Rainha de Aragão, que por acaso foi tia-avó de Catarina de Aragão”. Catarina (1485-1536) foi uma princesa espanhola e a primeira rainha de Henrique VIII de Inglaterra.

Este trabalho de pesquisa representa um dos desenvolvimentos mais importantes até hoje na linguística românica. Isto porque Cheshire descobriu que o manuscrito está escrito em “proto-romance”, o ancestral das línguas românicas de hoje, incluindo o Português, o Espanhol, o Francês, o Italiano, o Romeno, o Catalão e o Galego.

“A Língua usada no manuscrito [o proto-romance] era omnipresente no Mediterrâneo durante o período medieval, mas era raramente utilizada em documentos oficiais ou importantes, porque o latim era a língua da realeza, igreja e governo. Como resultado, os registos escritos do proto-romance estavam perdidos, até agora”, explica Cheshire.

Um dos trechos do manuscrito mostra duas mulheres a darem banho a cinco crianças. As palavras descrevem diferentes temperamentos/sentimentos: “tozosr” (significa algo como “muito barulhento”); “orla la” (“perdendo a paciência”, “no limite”); “tolora” (semelhante a “tolo”); “noror” (“triste”, “opaco”); “aus” (“bem comportado”); e “oleios” (“escorregadio”). Algumas destas palavras sobreviveram em Línguas actuais, como no Catalão (tozos e aus), no Português (orla e oleio) e no Romeno (noros). A expressão “orla la” pode muito bem ser a raiz da expressão francesa “oh là là” que revela um sentimento semelhante.

Uma das características que torna o manuscrito tão incomum é o facto de usar uma linguagem extinta. O seu alfabeto é uma combinação de símbolos desconhecidos e de outros mais familiares.

Ilustração A mostra vulcão em erupção que levou a uma missão de resgate e que criou uma nova ilha, com o nome de Vulcanello, que mais tarde se uniu à ilha de Vulcano após outra erupção em 1550. A ilustração B mostra o vulcão de Ischia, a C mostra a ilhota de Castello Aragonese e a D representa a ilha de Lipari. Cada ilustração inclui uma combinação de imagens e anotações com detalhes.

Além disso, o texto “não inclui sinais de pontuação, embora algumas letras possuam variantes de símbolos para indicar pontuação ou acentos fonéticos”.

“Todas as letras estão em minúsculas e não há consoantes duplas”, detalha Cheshire, acrescentando que “a escrita inclui ditongos, tritongos, quadritongos e até quintotongos para a abreviação de componentes fonéticos”. “Também inclui algumas palavras e abreviações em latim”, nota.

O próximo passo é traduzir o manuscrito inteiro e compilar um léxico, algo que Cheshire reconhece que levará algum tempo e exigirá financiamento, pois o documento compreende mais de 200 páginas.

“Agora que o idioma e o sistema de escrita foram explicados, as páginas do manuscrito estão abertas para os estudiosos explorarem e revelarem, pela primeira vez, o seu verdadeiro conteúdo linguístico e informativo”, conclui o investigador.

O véu do mistério está, assim, apenas a começar a ser destapado. Mais novidades e surpresas se podem esperar para os próximos tempos.

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. O texto não faz sentido. Não sou linguista, mas pelo que sei, o proto-romance (se é que tal existe enquanto língua) não é mais que o Latim vulgar falado pelas pessoas menos cultas. A similaridade entre as línguas ditas românicas advém, precisamente, de serem originárias do Latim e em particular do Latim vulgar, uma vez que a língua era levada essencialmente pelos legionários que falavam o chamado baixo latim.

Trump recebe Erdogan na Casa Branca para primeiro encontro após ofensiva na Síria

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, recebe esta quarta-feira na Casa Branca o seu homólogo turco, Recep Tayyip Erdogan, naquele que é o primeiro encontro após a ofensiva turca lançada a 9 de outubro …

O mistério daquilo que torna uma piada engraçada (mas só para algumas pessoas)

https://vimeo.com/372607767 Aquilo que torna uma piada engraçada poderá depender do contexto social e temporal. Cientistas ainda tentam perceber até que ponto o nosso cérebro pode ter influência neste processo. Acha engraçada esta piada da Suméria de 1900 …

Elon Musk explica como construir uma cidade sustentável em Marte

O CEO da Space X, o multimilionário Elon Musk, revelou na rede social Twitter detalhes sobre os planos da empresa para estabelecer um assentamento em Marte que seja sustentável para os seres humanos. No entender de …

Físicos já conseguem espreitar o gato de Schrödinger sem o matar

Pode haver uma forma de espreitar o gato de Schrödinger - a famosa experiência mental baseada em felinos que descreve o comportamento misterioso das partículas subatómicas - sem matar permanentemente o animal hipotético. O gato de …

Acesso à Internet deve ser considerado direito humano básico

Uma nova investigação, levada a cabo pela Universidade de Birmingham, no Reino Unido, concluiu que acesso à Internet deve ser um direito humano básico, pois significa a capacidade participar na vida pública. Merten Reglitz, professor de …

Fórmula 1 quer atingir emissões zero de CO2 até 2030

A Fórmula 1 pretende reduzir a zero as emissões de CO2 até 2030, com base num plano que pretende “pôr em marcha de imediato”, anunciou esta terça-feira a Federação Internacional do Automóvel (FIA). O plano divulgado …

A Tesla vai lançar a sua misteriosa pickup “cyberpunk” elétrica ainda este mês

A nova Tesla Cybetruck já tem data de lançamento após um longo tempo de espera. O fundador da empresa, Elon Musk, anunciou que a carrinha "pickup" será revelada no dia 21 de novembro. O anúncio foi …

Asteróide "potencialmente perigoso" aproxima-se da Terra esta quarta-feira

Um asteróide com 147 metros de diâmetro, caracterizado pela NASA como "potencialmente perigoso" vai aproximar-se da Terra esta quarta-feira. Em causa está o corpo rochoso UN12 2019, explica a agência espacial norte-americana, dando conta que o …

Encontrado submarino da II Guerra Mundial que esteve perdido durante 75 anos (devido a um erro de tradução)

Uma equipa de exploradores oceânicos privada encontrou na costa do Japão um submarino do exército norte-americano do tempo da II Guerra Mundial, que estava desaparecido há 75 anos por causa de um erro num dígito …

Uma casa esteve a afundar-se no Tamisa para alertar para a subida do nível dos oceanos

No passado domingo, quem passou junto ao rio Tamisa, em Londres, não deverá ter ficado indiferente à típica casa dos subúrbios ingleses que se afundava perto da Tower Bridge. Felizmente, de acordo com a agência Reuters, …