O “manifesto pela beleza” de Paris quer reavivar o encanto da cidade do amor

Depois de um movimento nas redes sociais ter denunciado a degradação e o lixo na cidade, a Câmara Municipal de Paris está a tentar responder aos problemas e preservar a beleza da capital francesa.

As autoridades municipais de Paris publicaram um “manifesto pela beleza” com planos para realçar novamente o encanto da capital francesa, depois de uma campanha online ter mostrado o lado mais feio da cidade.

O vice-autarca Emmanuel Grégoire revelou que várias iniciativas recentes da aliança entre socialistas e verdes que governa a cidade vão ser revertidas, incluindo uma que permitia aos parisienses plantar os seus próprios jardins no espaço público, que arrancou em 2015, lembra o The Guardian.

Esta iniciativa dava a possibilidade aos residentes de se candidataram a licenças para poderem plantas flores à volta das raízes das árvores nas rua, ao custo das tampas de ferro conhecidas da paisagem de Paris.

Muitos destes jardins amadores ficaram desde então cheias de lixo e fezes de cães. Gregoire admitiu que a estética da cidade saiu a perder e que as flores trouxeram grandes desafios de gestão. A resposta surgiu agora com uma nova política de tolerância zero ao lixo na cidade, assim como aos posters e grafittis ilegais.

As marcas amarelas temporárias que definem as ciclovias também vão ser removidas para não fazerem poluição visual e as barreiras de cimento que foram colocadas recentemente vão ser substituídas por outras alternativas mais estéticas.

As medidas surgem depois da hashtag #SaccageParis — lixo em Paris — ter-se tornado viral no início de 2021, com os parisienses a publicar fotografias das pilhas de lixo espalhadas pela cidade, assim como bancos degradados, jardins sem manutenção e trotinetas abandonadas.

A autarquia tem sido o alvo da raiva dos residentes, que consideram que os responsáveis não estão a cumprir o seu dever de proteger a arquitectura da cidade.

Apesar de terem inicialmente descrito as críticas como uma campanha para “manchar” a sua imagem, as autoridades da cidade adoptaram medidas para responder ao problema.

Gregoire admite que a campanha online “foi útil” para obrigar a Câmara Municipal a reagir, mas considera que a dimensão de alguns dos problemas foi exagerada.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE