Mais de um terço da água distribuída em Portugal não é faturada

worldbank / Flickr

-

Mais de um terço da água distribuída em Portugal não é faturada, correspondendo a uma perda anual de 160 milhões de euros, revela a Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR).

“Em média, 35% da água captada, tratada e distribuída pelos sistemas de abastecimento não é fatura, o que corresponde a uma situação claramente insatisfatória”, concluiu a ERSAR após ter realizado uma auditoria aos serviços de abastecimento de água.

Numa nota enviada à agência Lusa, a entidade reguladora adianta que a água não faturada inclui perdas reais através de fissuras, roturas e extravasamentos de água e perdas aparentes devido a imprecisões nas medições, furto ou uso ilícito de água.

De acordo com a ERSAR, há ainda perdas correspondentes a consumos autorizados mas não faturados, que corresponde a água para lavagem de ruas, rega de espaços verdes municipais, alimentação de fonte e fontanários, lavagem de condutas e coletores de esgotos e combate a incêndios.

A entidade reguladora concluiu que “cerca de 23% corresponde a perdas reais e os restantes 12% a perdas aparentes e a consumos autorizados mas não faturados”.

Os casos mais gravosos em termos de água não faturada podem atingir cerca de 70% e surgem nas áreas rurais, com especial relevância para a região Norte, enquanto os casos de melhor desempenho podem atingir menos de 10% e localizam-se nas áreas urbanas da região Centro e Lisboa.

A ERSAR frisa que as perdas aparentes e os consumos autorizados mas não faturado tendem a ser mais significativos nas zonas rurais e as perdas reais nas zonas urbanas, com redes mais complexas.

De acordo com a ERSAR, a água não faturada implica “impactes ambientais, reduções de receitas significativas que comprometem a sustentabilidade económica e financeira das entidades gestoras e oneram a conta dos consumidores”.

Em Portugal continental, “dos cerca de 820 milhões de metros cúbicos de água captada, cerca de 285 milhões de metros cúbicos não são faturados”, acrescenta a entidade reguladora, destacando a perda anual de 160 milhões de euros.

“Considerando como limiar técnico aceitável de água não faturada o valor de 20% da água entrada nos sistemas de abastecimento, os operadores incorreram em custos por água captada, tratada e distribuída, mas que acaba por não ser faturada, de cerca de 160 milhões de euros”, refere a ERSAR.

A entidade reguladora indica ainda que os serviços públicos de abastecimento de água têm receitas globais de cerca de 1.200 milhões de euros anuais.

No âmbito da avaliação da qualidade dos serviços públicos de abastecimento de água prestados aos utilizadores, a ERSAR procede regularmente à quantificação da água não faturada, aquela que, apesar de ser captada, tratada, transportada, armazenada e distribuída, não chega a ser vendida aos utilizadores.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Tratando-se de um bem comum e indispensável à nossa sobrevivência… a preocupação não devia ser a perda anual de 160 milhões de euros, mas sim à casa de quantos cidadãos falta chegar, esses sim são os números importantes. Porque se há milhões para salvar bancos, com certeza também há dinheiro para fazer chegar a água a quem ainda precisa de um balde para a ir buscar….

    E devíamos estar mais preocupados com a sustentabilidade da própria água do que com a sustentabilidade económica e financeira das entidades gestoras… porque se não houver água também não à entidade gestora…
    A ÁGUA É UM BEM COMUM

RESPONDER

Professor detido por violar aluna menor dentro de escola em Faro

Um professor de 55 anos foi detido, nesta quarta-feira, por suspeitas de ter violado uma aluna de 14 anos no interior de uma escola do concelho de Vila Real de Santo António, no distrito de …

Governo vira-se para Rio para mudar a lei e garantir o novo aeroporto

O Governo está a preparar uma alteração à Lei para evitar que o projecto do novo aeroporto do Montijo seja chumbado. Uma medida que passará, necessariamente, pela necessidade de um entendimento entre PS e PSD …

"Entretenimento saudável". Santa Casa desvaloriza estudo sobre raspadinhas

O Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa desvalorizou a investigação da Universidade do Minho que aponta para o vício das raspadinhas. Esta sexta-feira, um artigo científico publicado na The Lancet alertou para …

"Diga-lhe para ligar ao FBI". Autocarro com a cara do príncipe André circula em Londres

Um autocarro escolar, com a cara do príncipe André, andou a circular por Londres, esta sexta-feira, numa campanha da advogada Gloria Allred para pressionar o filho da Rainha a falar com o FBI. Esta sexta-feira, um autocarro …

Suspeito de terrorismo ouvido em tribunal (com o juiz a recusar ver os seus vídeos por não ter Internet)

O arguido Rómulo Costa, um dos oito portugueses acusados por financiamento ao terrorismo e recrutamento, adesão e apoio ao Estado Islâmico, foi interrogado, esta sexta-feira, na fase de instrução do processo que vai decorrer no …

FC Porto recorre do castigo de um jogo à porta fechada

O FC Porto vai recorrer do castigo de um jogo à porta fechada, aplicado pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) por ofensa a um agente desportivo. "O FC Porto vai recorrer …

Moita Flores investigado por corrupção. Antigo PJ fala em "coincidência" com empréstimo aos filhos

Francisco Moita Flores, antigo inspector da Polícia Judiciária e ex-presidente da Câmara de Santarém, está a ser investigado por suspeitas de corrupção. Há transferências de dinheiro de uma construtora para empresas a que esteve ligado …

SOS Animal vai constituir-se assistente no processo contra João Moura

A SOS Animal anunciou, esta sexta-feira, que se vai constituir assistente no processo criminal contra o cavaleiro tauromáquico detido, na quarta-feira, por suspeitas de maus-tratos a cães em Monforte, no distrito de Portalegre. Em comunicado, a SOS …

SMS de Rangel revelam teia de corrupção na Relação de Lisboa. Juiz Vaz das Neves tem empresa contra a lei

O ex-presidente do Tribunal da Relação de Lisboa, Luís Vaz das Neves, que foi constituído arguido na Operação Lex, tem uma empresa que se dedica à arbitragem extrajudicial de conflitos, o que constitui uma violação …

Presidente da PwC esteve em Lisboa para controlar danos do Luanda Leaks

O presidente mundial da PricewaterhouseCoopers (PwC) esteve em Lisboa, há duas semanas, para controlar os danos provocados pelo caso Luanda Leaks. Bob Moritz, presidente mundial da PricewaterhouseCoopers (PwC), esteve em Lisboa, há duas semanas, para perceber até …