Mais de metade dos idosos não gostam de viver sozinhos

Mais de metade dos seniores inquiridos num estudo que tentou perceber quem são os “idosos de hoje” confessam não gostar de viver sozinhos e um terço diz que vive sem “qualquer tipo de apoio”.

O estudo “Novos idosos, idosos novos“, realizado pelo Centro de Investigação Interdisciplinar e Intervenção Comunitária do Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo (ISCET), teve como principal objectivo saber quem são os idosos de hoje, do que gostam e como vivem.

Os autores do estudo explicam que estas questões “permitem compreender esta fase da vida e ainda ajustar as respostas e intervenções sociais no sentido de proporcionar níveis compatíveis de bem-estar e felicidade” a esta população.

O inquérito envolveu 100 idosos residentes em Cedofeita, no Porto, mas o estudo ressalva que, tendo conta que nesta freguesia residem 5.365 pessoas com 65 ou mais anos, segundo o Censos 2011, a amostra não é representativa da população.

Os dados preliminares do estudo, divulgados esta terça-feira no colóquio “Novos idosos, idosos novos”, no Porto, referem que 53% dos inquiridos não têm apoio da família, 78% não tem ajuda de amigos, 73% dos vizinhos e 33% dizem não ter qualquer tipo de apoio.

A esmagadora maioria (94%) diz que não beneficia de apoio de uma instituição de solidariedade, uma situação que Fátima Vilela, uma das autoras do estudo, atribui ao facto de estes idosos ainda terem alguma autonomia e conseguirem gerir a sua vida.

Os que passam despercebidos

Para o coordenador do estudo, Adalberto Carvalho, estes “números são alarmantes” e demonstram a solidão em que vivem os idosos.

“Estamos a lidar com uma amostra de apenas 100 pessoas, mas são indicadores que nos devem pôr em alerta”, disse Adalberto Carvalho, comentando que são estes idosos que ainda vivem nas suas casas que “passam despercebidos aos mecanismos de intervenção social”.

O estudo refere que quanto mais velha é a pessoa, “maior é a propensão para o agregado ser mais pequeno” e para a pessoa ter menos apoio da família e dos amigos.

Para Adalberto Carvalho, “o ciclo biológico da vida”, que leva à morte dos familiares, não está a ser contrariado pela sociedade: “As pessoas mais idosas são as mais necessitadas e são aquelas que ficam sozinhas”.

Perfil dos inquiridos

Traçando o perfil dos inquiridos, o estudo refere que 65% são mulheres, com uma média de idade de 78 anos, 41% são viúvos e 35% casados.

Mais de metade (54%) tem o ensino primário e 16% não sabe ler nem escrever. Nove por cento ainda trabalham.

A grande maioria (86%) é pensionista, sendo que 35% aufere um rendimento entre os 100 e os 300 euros e 41% entre 301 e 600 euros.

“Atendendo que a maioria dos idosos tem casas arrendadas, despesas com a medicação e com as restantes necessidades básicas, os rendimentos são muito baixos para sobreviverem”, observa o estudo.

Relativamente ao número de filhos, 31% têm dois, 25% não tem e 23% têm um filho.

Metade dos inquiridos vive em apartamentos, 26% numa moradia e 23% numa parte de casa, sendo que 73% vivem numa casa arrendada.

O drama da solidão

Para Fátima Vilela, estes dados mostram a existência de “uma população bastante envelhecida que vive ainda no seu domicílio” e “uma fragilidade nas dimensões de solidariedade social”.

“É importante reflectir sobre novas respostas sociais para contrariar esta solidão”, que vão para além das respostas tipificadas que existem (lares, centros de dia e apoio domiciliário), adiantou.

Adalberto Carvalho acrescentou que “o drama” destes idosos é a solidão: “Precisamos de pessoas com o sentido comunitário que façam companhia a estas pessoas”.

Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Ovar já tem linha telefónica própria para retirar pressão à Saúde 24

A Linha de Apoio Covid Ovar vai garantir assistência atempada à comunidade de 55.400 habitantes do concelho e é exclusiva para utentes que suspeitem ter sintomas do novo coronavírus. O Município de Ovar ativa, esta quinta-feira, …

Durão Barroso defende coronabonds (mas a prioridade é outra)

Em entrevista à SIC Notícias, Durão Barroso concordou com a criação dos ​​​​​​​coronabonds, mas defendeu que a prioridade é resolver "a crise humanitária". Durão Barroso considerou, em entrevista à SIC Notícias, que as instituições europeias têm …

Do empréstimo milionário à nacionalização. As soluções da TAP para resistir à crise

A TAP está a enfrentar uma das suas piores crises, face à pandemia de covid-19, e há várias soluções em cima da mesa, desde um empréstimo com aval do Estado à nacionalização da empresa. Para fazer …

"Matem-nos". Presidente das Filipinas autoriza disparos contra quem violar quarentena

O Presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, ordenou aos agentes da polícia e aos militares que disparem sobre qualquer pessoa que esteja a causar "problemas" durante o isolamento obrigatório, decretado devido à da pandemia de Covid-19. De …

Há mais de nove mil casos de covid-19 em Portugal. Número de recuperados sobe para 68

Um mês desde o primeiro teste positivo confirmado do novo coronavírus no país, Portugal tem um total de 9.034 casos confirmados de Covid-19, segundo o Relatório da Direção Geral da Saúde sobre a situação epidemiológica …

Ramalho Eanes: "Nós, os velhos, se for necessário oferecemos o nosso ventilador"

O antigo Presidente da República apelou aos mais "velhos", como ele, para darem o exemplo neste combate ao coronavírus, caso Portugal passe por uma situação semelhante à de Itália ou Espanha. Em entrevista à RTP, o …

"Profundamente preocupados". 13 países enviam recado a Viktor Orbán

Portugal e mais 12 países, entre os quais França, Bélgica e Espanha, garantiram, numa declarações conjunta, que apoiam a iniciativa da Comissão Europeia para verificar se as medidas de emergência implementadas respeitam os valores europeus. Os …

Da gripezinha ao "problema mundial". Bolsonaro fala com Trump e anuncia mais medidas

Jair Bolsonaro mudou de tom. Esta quarta-feira, o Presidente brasileiro anunciou um novo pacote financeiro de apoio a medidas para "manutenção de empregos", uma das suas maiores preocupações diante da pandemia de covid-19. O Presidente brasileiro, …

Bale não abdica de salário milionário e quer ficar em Madrid

Bale vai rejeitar todas as propostas que receber para sair do Real Madrid no final da temporada. O jogador não aceita uma redução do seu salário de 19 milhões de euros anuais. Gareth Bale não tem …

"Abuso da força é recorrente". Imprensa ucraniana levanta suspeitas sobre o SEF no aeroporto de Lisboa

A imprensa ucraniana tem estado a dar grande destaque à morte de Igor Homenyuk nas instalações do aeroporto de Lisboa. Em causa está a morte de um cidadão ucraniano que desembarcou no aeroporto de Lisboa, com …