/

Um dos maiores telescópios do mundo ficou gravemente danificado devido a um cabo partido

University of Central Florida

O radiotelescópio de Arecibo, um ícone da busca para entender o Universo, sofreu graves danos como resultado do rompimento de um cabo. A causa da quebra e quanto tempo o telescópio demorará a ser consertado são desconhecidos.

A University of Central Florida, uma das operadoras da Arecibo, anunciou os danos no seu site. “Um dos cabos auxiliares que ajuda a apoiar uma plataforma de metal acima do Observatório de Arecibo em Porto Rico partiu-se na segunda-feira (10 de agosto), causando um corte de 30 metros de comprimento no prato refletor do telescópio”, lê-se no comunicado.

“Temos uma equipa de especialistas a avaliar a situação”, disse Francisco Cordova, diretor do observatório. “O nosso foco é garantir a segurança da nossa equipa, protegendo as instalações e equipamentos e restaurando as instalações para operações completas o mais rapidamente possível, para que possa continuar a ajudar os cientistas em todo o mundo”.

Quando construído em 1963, Arecibo era o maior telescópio do mundo, com um diâmetro de 305 metros, e manteve esse estatuto durante 53 anos até ser ultrapassado pelo Telescópio Esférico de Abertura de Quinhentos metros da China.

Para muitos efeitos, grupos de telescópios mais pequenos e muito mais flexíveis superam o desempenho de Arecibo dramaticamente, mas ainda alguns objetivoss para os quais poucos outros telescópios se podem igualar.

Um dos principais usos do Arecibo tem sido na busca por vida extraterrestre. Os dados analisados ​​pela Search for Extraterrestrial Intelligence [email protected] são recolhidos pelo Arecibo. O radiotelescópio também é usado para traçar as órbitas de objetos potencialmente perigosos, tornando-nos parcialmente cegos a esses perigos enquanto está em baixo.

Mas na realidade, possivelmente a manutenção do telescópio já não está dentro dos padrões exigidos para um instrumento com 60 anos.

O Arecibo sofreu alguns danos quando o furacão Maria atingiu Porto Rico em 2017. No entanto, em comparação com a devastação em toda a ilha, a perda temporária de uma linha de alimentação e 0,1% dos seus painéis de alumínio foi apenas um ferimento superficial e as operações do telescópio quase não foram afetadas.

Ainda não se sabe quanto custará e quado estará pronta a reparação do radiotelescópio. O observatório esteve a ponto de fechar várias vezes por falta de financiamento.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.