Os Maias usavam o chocolate como moeda

Sidney Oliveira / Arquivo Ag.Pará

Para muitos, um bom chocolate é tão valioso como ouro mas, pelos vistos, a civilização maia já sabia disso. Sim, para os Maias, o chocolate servia como moeda.

Uma nova pesquisa sobre a antiga civilização pré-colombiana revelou que os Maias utilizaram durante séculos o chocolate como unidade monetária, servindo como moeda por troca de serviços, objetos ou outras iguarias.

O estudo, realizado pela arqueóloga norte-americana Joanne P. Baron, da Bard Early College Network, de Nova Jersey, nos EUA, e publicado em maio na revista Economic Anthropology, baseou-se em imagens, murais, pinturas, esculturas e outras obras que retratavam a civilização maia durante o período de 250 a.C e 900 d.C.

De acordo com a Newsweek, esta civilização nunca utilizou moedas mas já era sabido que trocava produtos como, por exemplo, tabaco, milho e têxteis e, segundo a investigadora, é neste período que se começa a observar a “monetização precoce dos grãos de cacau e tecidos de algodão“.

“Acredito que esses produtos, originalmente valorizados por serem usados para exibir o estatuto social, assumiram funções monetárias dentro de um contexto de expansão de mercados entre os reinos maias rivais”, escreveu Baron no estudo.

As imagens mostram representações dessas mesmas “trocas”, em que se pode observar a oferta de chocolate como forma de pagamento não só no comércio mas até mesmo nos impostos pagos às autoridades da civilização.

Inicialmente, o chocolate era oferecido como troca mas, a partir do final do século VII, tornou-se, de facto, numa espécie de moeda, isto é, num meio de pagamento. Os grãos secos de cacau funcionavam como moedas, aparecendo em cerca de 180 cenas retratadas em murais e cerâmicas do período entre 691 d.C e 900 d.C.

A confirmação desta utilização, segundo Baron, apareceu em imagens nas quais os grãos aparecem em sacos com grandes quantidades, notando uma quantidade muito maior do que seria preciso para ser consumido nos palácios. Ou seja, havia um outro propósito, neste caso servia como moeda.

“Como resposta, os regimes políticos e os seus súbditos dedicaram mais trabalho e recursos à aquisição destes produtos”, escreve ainda a arqueóloga no estudo.

Em declarações à revista Science, David Freidel, antropólogo e especialista na civilização maia da Universidade de Washington, em St. Louis, Missouri, que não esteve envolvido na pesquisa, concorda que o estudo está na direção certa porque o chocolate “é uma comida muito prestigiada” e “era quase de certeza uma forma de pagamento”.

No entanto, o especialista não concorda com a teoria de Baron quando a investigadora diz que eventuais perturbações no fornecimento de cacau podem ter levado a um colapso económico. “O meu palpite é que uma queda de uma única coisa não provocaria a queda do sistema”, explica.

  ZAP // Hypeness

PARTILHAR

RESPONDER

Cogumelos laminados

O consumo de cogumelos pode diminuir o risco de depressão

Além de reduzirem o risco de cancro e morte prematura, os cogumelos podem beneficiar a saúde mental de uma pessoa. Uma equipa de investigadores da Faculdade de Medicina de Penn State, nos Estados Unidos, analisou dados …

Os hipopótamos de Pablo Escobar começaram a ser esterilizados

O grupo de hipopótamos, mais uma parte do indesejado legado deixado na Colômbia pelo traficante de droga Pablo Escobar, está a ser esterilizado. Quando o Cartel de Medellín estava no seu auge, Pablo Escobar gastou parte …

Ian Brackenbury Channell, o "feiticeiro de Christchurch"

Duas décadas depois, uma cidade neozelandesa decidiu despedir o seu feiticeiro

Vinte e três anos depois, a autarquia de Christchurch, na Nova Zelândia, decidiu despedir Ian Brackenbury Channell, o famoso feiticeiro da cidade. Desde 1998 que Ian Brackenbury Channell era o "feiticeiro de Christchurch", sendo responsável por …

Um dos microscópios de Darwin vai a leilão. Esteve nas mãos da sua família durante quase 200 anos

Um microscópio que Charles Darwin ofereceu ao filho Leonard - e que esteve nas mãos da sua família ao longo de quase 200 anos - vai ser leiloado em dezembro e poderá valer cerca de …

Pedro Sánchez promete abolir a prostituição em Espanha, por considerar que esta "escraviza" as mulheres

Espanha é um dos países europeus com mais trabalhadoras na indústria do sexo, as quais são sobretudo originárias de países da Europa mais pobres, da América Latina e de África. O primeiro-ministro espanhol Pedro Sánchez anunciou …

"Um milagre". Dois jovens sobreviveram quase uma semana no deserto australiano

Dois jovens, de 14 e 21 anos, sobreviveram durante quase uma semana no deserto, sem água e sem comida, depois de se terem perdido no Território do Norte, na Austrália. A polícia fala num verdadeiro …

Carlos Moedas

Moedas vai "dar tudo como presidente" e exige que seja respeitada a legitimidade do seu mandato

Carlos Moedas tomou posse, esta segunda-feira, como novo presidente da Câmara de Lisboa, tendo falado dos objetivos para o próximo quadriénio e deixado um elogio ao seu antecessor e alguns avisos à esquerda. Depois dos cumprimentos …

Chanceler austríaco Sebastian Kurz

Sondagens falsas e notícias favoráveis. O lado negro de Sebastian Kurz foi desmascarado

Sebastian Kurz e pessoas que lhe são próximas foram acusados de tentar garantir a sua ascensão à liderança do partido e do país com a ajuda de sondagens manipuladas e notícias favoráveis na imprensa, financiadas …

Tem uma carreira de sonho na Nike, mas cometeu um homicídio há 65 anos

O presidente da Jordan Brand, Larry Miller, revelou que, há 56 anos, matou um adolescente nas ruas de Filadélfia, nos Estados Unidos. O presidente da Jordan Brand — marca do ex-jogador de basquetebol Michael Jordan — …

Rio diz que decisão sobre eventual recandidatura está "quase tomada"

O presidente do PSD afirmou, esta segunda-feira, que a decisão sobre a sua eventual recandidatura está "quase tomada" e será anunciada em breve. Em declarações aos jornalistas à chegada à tomada de posse do novo presidente …