Maduro rejeita ultimato europeu. “É uma insolência total”

Cristian Hernandez / Lusa

O Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, rejeitou o ultimato lançado por vários países europeus, que lhe deram oito dias para convocar eleições na Venezuela, declarando que o seu país não está “ligado” à Europa.

“Eles deveriam retirar este ultimato. Ninguém pode fazer-nos um ultimato”, declarou Nicolás Maduro numa entrevista ao canal CNN Turk, citada pelas agências internacionais.

Madrid, Paris, Berlim, Lisboa, Londres e Bruxelas exigiram no sábado que Maduro convoque eleições na Venezuela no prazo de oito dias, caso contrário estas capitais reconhecerão Juan Guaidó como “Presidente interino”, com a responsabilidade de organizar eleições. Gaidó é o presidente da Assembleia Nacional venezuelana e proclamou-se chefe de Estado interino do país.

“Se alguém quiser abandonar o país, pode fazê-lo. A Venezuela não está ligada à Europa. Isto é uma insolência total“, afirmou Maduro. Para o Presidente venezuelano, “a Europa está uma vez mais a cometer um erro em relação à Venezuela. Consideram a nossa história como inexistente, apesar de 200 anos de independência”.

“Menosprezar-nos porque somos do Sul é insolente”, acrescentou.

“Vamos estabelecer a paz e continuar a condenar estes eventos, como fizemos no Conselho de Segurança [das Nações Unidas no sábado]. Todas estas mentiras são obra dos Estados Unidos. Eu estou aberto ao diálogo”, afirmou.

A Venezuela rejeitou, desde logo, a exigência de eleições das seis capitais europeias e da UE pela voz do seu ministro dos Negócios Estrangeiros, Jorge Arreaza, que em declarações no Conselho de Segurança das Nações Unidas no sábado disse: “A Europa dá-nos oito dias de quê? (…) de onde tiraram a ideia que podem dar-nos ultimatos?”.

Para além da Espanha, França, Alemanha, Portugal, Reino Unido e Bélgica, também o bloco dos 28 Estados europeus, pela voz da Alta Representante da União Europeia para Política Externa, Federica Mogherini, advertiram Caravas de que a UE tomará “novas medidas”, incluindo o reconhecimento da liderança do país, se não forem convocadas eleições na Venezuela nos “próximos dias”.

Entretanto, os Estados Unidos, Canadá, e vários países sul-americanos, incluindo o Brasil, a Colômbia e a Argentina, já reconheceram Juan Gaidó como líder interino da Venezuela.
Em reação, Maduro anunciou a rutura das relações diplomáticas com os Estados Unidos, principal importador do petróleo venezuelano.

Também Israel, através do seu primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, reconheceu este domingo o “novo poder” na Venezuela, corporizado pelo presidente do parlamento, Juan Guaidó, numa mensagem de vídeo difundida nas redes sociais.

Para além da Rússia, China e o Irão, a Turquia e o seu líder conservador islamita, Recep Erdogan, é um dos mais importantes aliados políticos e económicos de Maduro.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Este casaco foi desenhado para nos ajudar a dormir em qualquer lado

A britânica Vollebak lançou um casaco, inspirado nos astronautas, que facilita a ideia de poder dormir, literalmente, em qualquer lado. A pensar em todas aquelas pessoas que gostam de fazer uma sesta ou outra, independentemente do …

DJ Juice WRLD morre aos 21 anos

A estrela do hip-hop norte-americano Juice WRLD faleceu este domingo (8), depois de sofrer convulsões no Aeroporto de Midway, em Chicago, avança o TMZ. O rapper tinha feito 21 anos a 2 de dezembro. De acordo …

"A Favorita" arrebata prémios do cinema europeu

O filme "A Favorita", do realizador grego Yorgos Lanthimos, arrecadou oito prémios da Academia de Cinema Europeu, numa cerimónia realizada em Berlim. "A Favorita" conquistou, entre outros, os prémios de Melhor Filme Europeu, Melhor Comédia, Realização …

Belenenses 1-1 Porto | "Dragão" escorrega e deixa fugir líder

O FC Porto não foi além de um empate na visita ao Jamor, ante o Belenenses. André Santos abriu as “hostilidades” e Alex Telles, na marcação de uma grande penalidade, fixou o resultado final. Com esta …

Caligrafia desleixada de Isabel I denuncia-a como a tradutora anónima de um livro romano

A rainha Isabel I de Inglaterra foi identificada como a tradutora anónima do livro "Anais" de Tácito. As idiossincrasias da sua caligrafia acabaram por ser fundamentais para a descoberta. Na análise a uma tradução de século …

Hashtags políticas como #MeToo tornam as pessoas menos propensas a acreditar em notícias

Tendem a passarem despercebidas, mas as hashtags são mais importantes do que julgamos. A questão que se impõe é: serão benéficas para a saúde democrática da Internet? Uma hashtag (#) é uma marca funcional, amplamente usada …

Sporting 1-0 Moreirense | "Leão" resolve à cabeçada

O Sporting regressou às vitórias na Liga NOS, embora não sem sentir algumas dificuldades, em especial no ataque. Os "leões" bateram o Moreirense por 1-0, numa partida em que remataram muito (28, máximo na Liga até …

Orçamento do Estado. "Sentido de voto do BE está completamente em aberto"

A coordenadora do BE afirmou, este domingo, que o sentido de voto do partido sobre o Orçamento do Estado para 2020 está "completamente em aberto", desejando que o Governo socialista atenda às reivindicações bloquistas. "Fizemos uma …

João Cotrim Figueiredo eleito presidente da Iniciativa Liberal com 96% dos votos

João Cotrim Figueiredo foi eleito, este domingo, presidente da Comissão Executiva da Iniciativa Liberal, uma candidatura única que recolheu 96% dos votos na III Convenção Nacional do partido. A III Convenção Nacional do partido decorre hoje …

Inteligência artificial decifra manuscrito que pode mudar história da Austrália

A Terra Australis Incognita, hoje conhecida como Austrália, foi descrita por um jesuíta espanhol quase cem anos antes da descoberta em 1770 pelo marinheiro britânico James Cook, segundo um manuscrito decifrado através de inteligência artificial. A …