Maduro rejeita ultimato europeu. “É uma insolência total”

Cristian Hernandez / Lusa

O Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, rejeitou o ultimato lançado por vários países europeus, que lhe deram oito dias para convocar eleições na Venezuela, declarando que o seu país não está “ligado” à Europa.

“Eles deveriam retirar este ultimato. Ninguém pode fazer-nos um ultimato”, declarou Nicolás Maduro numa entrevista ao canal CNN Turk, citada pelas agências internacionais.

Madrid, Paris, Berlim, Lisboa, Londres e Bruxelas exigiram no sábado que Maduro convoque eleições na Venezuela no prazo de oito dias, caso contrário estas capitais reconhecerão Juan Guaidó como “Presidente interino”, com a responsabilidade de organizar eleições. Gaidó é o presidente da Assembleia Nacional venezuelana e proclamou-se chefe de Estado interino do país.

“Se alguém quiser abandonar o país, pode fazê-lo. A Venezuela não está ligada à Europa. Isto é uma insolência total“, afirmou Maduro. Para o Presidente venezuelano, “a Europa está uma vez mais a cometer um erro em relação à Venezuela. Consideram a nossa história como inexistente, apesar de 200 anos de independência”.

“Menosprezar-nos porque somos do Sul é insolente”, acrescentou.

“Vamos estabelecer a paz e continuar a condenar estes eventos, como fizemos no Conselho de Segurança [das Nações Unidas no sábado]. Todas estas mentiras são obra dos Estados Unidos. Eu estou aberto ao diálogo”, afirmou.

A Venezuela rejeitou, desde logo, a exigência de eleições das seis capitais europeias e da UE pela voz do seu ministro dos Negócios Estrangeiros, Jorge Arreaza, que em declarações no Conselho de Segurança das Nações Unidas no sábado disse: “A Europa dá-nos oito dias de quê? (…) de onde tiraram a ideia que podem dar-nos ultimatos?”.

Para além da Espanha, França, Alemanha, Portugal, Reino Unido e Bélgica, também o bloco dos 28 Estados europeus, pela voz da Alta Representante da União Europeia para Política Externa, Federica Mogherini, advertiram Caravas de que a UE tomará “novas medidas”, incluindo o reconhecimento da liderança do país, se não forem convocadas eleições na Venezuela nos “próximos dias”.

Entretanto, os Estados Unidos, Canadá, e vários países sul-americanos, incluindo o Brasil, a Colômbia e a Argentina, já reconheceram Juan Gaidó como líder interino da Venezuela.
Em reação, Maduro anunciou a rutura das relações diplomáticas com os Estados Unidos, principal importador do petróleo venezuelano.

Também Israel, através do seu primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, reconheceu este domingo o “novo poder” na Venezuela, corporizado pelo presidente do parlamento, Juan Guaidó, numa mensagem de vídeo difundida nas redes sociais.

Para além da Rússia, China e o Irão, a Turquia e o seu líder conservador islamita, Recep Erdogan, é um dos mais importantes aliados políticos e económicos de Maduro.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Portugal considera "inamistosa e injustificada" a decisão da Venezuela sobre a TAP

O ministro dos Negócios Estrangeiros Augusto Santos Silva já reagiu às acusações de Caracas sobre o alegado transporte de explosivos feito pela transportadora portuguesa. O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, considera “inamistosa” e “injustificada” …

Presidente do Afeganistão reeleito para segundo mandato

O Presidente do Afeganistão foi reeleito para um segundo mandato com 50,64% dos votos, anunciou a comissão eleitoral independente afegã, esta terça-feira, ao divulgar os resultados definitivos das eleições realizadas em setembro passado. "A comissão eleitoral …

Mário Ferreira torna-se o segundo maior acionista da Cofina

O empresário português vai investir 20 milhões de euros no aumento de capital da Cofina, o suficiente para tornar-se o segundo maior acionista da empresa. De acordo com o semanário Expresso, o empresário Mário Ferreira deverá …

Índia dá às mulheres direitos iguais aos dos homens em cargos militares

O Supremo Tribunal indiano decidiu que as mulheres têm os mesmos direitos que os homens para assumir funções de liderança no exército da Índia e criticou os argumentos do Governo que considera perpetuarem "estereótipos de …

Identificado 12.º caso suspeito de coronavírus em Portugal

A Direção-Geral da Saúde (DGS) informou, esta terça-feira, que foi validado um novo caso suspeito de infeção por novo coronavírus (Covid-19) em Portugal. De acordo com o comunicado da Direção-Geral da Saúde (DGS), citado pelo jornal …

Autoridade Tributária alerta contribuintes para novo e-mail fraudulento

A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) alertou, esta terça-feira, para um e-mail que está a ser enviado aos contribuintes, solicitando-lhes que regularizem dívidas fiscais e avisa que a mensagem é falsa e deve ser apagada. Num …

União Europeia acrescenta quatro paraísos fiscais à "lista negra"

Ilhas Caimão, Palau, Panamá e Seicheles juntam-se a Samoa Americana, Fiji, Guame, Samoa, Omã, Trindade e Tobago, Vanuatu e Ilhas Virgens Americanas na lista de não respeitadores das regras comunitárias. O Conselho da União Europeia (UE) …

"Relação estava cristalizada". PS satisfeito com retoma do "diálogo cordial" com CDS

O presidente do PS saudou, esta terça-feira, a "retoma" de um relacionamento "cordial" com a nova direção do CDS-PP em torno de matérias de interesse nacional, considerando que se verificou uma transição e acabou uma …

Ministra espanhola não pensa "nem um segundo" em substituir Centeno

A ministra dos Assuntos Económicos de Espanha, Nadia Calviño, assegurou que não dedica “nem um segundo” a pensar numa candidatura à presidência do Eurogrupo, apontando que Mário Centeno “está a fazer um excelente trabalho”. A cerca …

Grupo alemão de extrema-direita tinha planos "assustadores" para atacar mesquitas

Um grupo alemão de extrema-direita, em que 12 elementos foram detidos na semana passada, é suspeito de planear ataques em larga escala "assustadores e chocantes" contra muçulmanos, semelhantes aos realizados na Nova Zelândia no ano …