Macron pondera avançar com referendo para acalmar protestos

Philippe Wojazer / EPA

O presidente francês poderá convocar um referendo para o mesmo dia das eleições europeias em França, dia 26 de maio. Desconhecem-se ainda qual ou quais serão as questões a figurar nos boletins de voto.

Numa tentativa de acalmar os protestos dos coletes amarelos, o presidente francês, Emmanuel Macron, está a ponderar convocar um referendo para o dia 26 de maio, o mesmo dia das eleições europeias em França, segundo o jornal Le Journal du Dimanche.

Os franceses serão convidados a expressar a sua opinião num boletim de votos sobre se concordam ou não com a diminuição dos deputados da Assembleia Nacional – atualmente são 577 – e a imposição de mandatos dos deputados, uma das reivindicações dos coletes amarelos.

Todavia, o Palácio do Eliseu está a ser aconselhado por elementos de topo do seu partido, República em Marcha, a colocar várias questões numa estratégia para o povo não se virar contra Macron com perguntas concretas. Desta forma, o chefe de Estado poderia reivindicar vitória independentemente do seu resultado.

Para que o referendo se realize no dia das europeias, Macron terá de dar luz verde nos próximos dias. Em causa estão todas as dificuldades de logística, como a impressão dos boletins e a sua distribuição por todo o país, além da própria organização das mesas de voto e escolha dos seus membros.

As gráficas e os fabricantes de papel já foram colocados em pré-aviso, esperando apenas a luz verde do chefe de Estado.

O Palácio do Eliseu e o Ministério do Interior, responsável pelos boletins, recusaram-se a comentar, mas o jornal cita várias fontes próximas do chefe de Estado que estão por dentro da estratégia política.

A possibilidade de um referendo surgiu depois de o “grande debate nacional” para se redigir um “novo contrato para a nação” francesa, apresentado por Macron como abertura à contestação dos coletes amarelos, não teve a adesão esperada. À sua direita e à sua esquerda, são muitos os que a consideram “ridícula” e uma “farsa”, como é o caso da França Insubmissa, de Jean-Luc Mélenchon, e da central sindical CGT.

Está convocada para esta terça-feira uma greve geral pela CGT em apoio aos coletes amarelos. Será a primeira grande ação em conjunto entre os coletes amarelos e os vermelhos, desconhecendo-se qual a sua intensidade e o impacto que terá. Esta ideia de referendo poderá ser uma iniciativa para desincentivar os franceses a irem para as ruas.

Há quase três meses que os coletes amarelos bloqueiam estradas e fazem todos os sábados manifestações nas principais cidades francesas. O movimento tem conseguido manter uma elevada pressão sobre o Palácio do Eliseu.

Os coletes amarelos começaram a protestar contra o aumento dos impostos dos combustíveis, mas rapidamente alargaram as suas reivindicações, demonstrando um elevado mal-estar entre a sociedade francesa quanto à governação de 19 meses de Emmanuel Macron.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Hotelaria pressiona Governo. Quer que turistas com estadias marcadas possam circular entre concelhos

A proibição de deslocação entre concelhos entre dia 30 de outubro e 3 de novembro de modo a evitar contágios agradou a alguns, mas não ao setor hoteleiro, que quer ser deixado de fora da …

Ligação fluvial entre o Seixal e Lisboa suspensa a partir de hoje (e durante 45 dias)

A Transtejo tinha informado que a ligação fluvial entre o Seixal e Lisboa estaria suspensa a partir desta segunda-feira, por 45 dias, devido a obras, mas será assegurado transporte rodoviário até ao terminal de Almada. “A …

Nagorno-Karabakh. Arménia e Azerbaijão acusam-se mutuamente de violação de novo cessar-fogo

A Arménia e o Azerbaijão trocaram esta segunda-feira acusações pela violação de um novo cessar-fogo acordado no domingo para pôr fim às hostilidades no enclave de Nagorno-Karabakh, que deveria ter entrado hoje em vigor. A Arménia …

Venezuela testou molécula que "anula a 100%" o novo coronavírus

O Presidente da Venezuela anunciou, este domingo, que o Instituto Venezuelano de Investigações Científicas (IVIC) testou com sucesso uma molécula, a DR10, que "anula 100%" o novo coronavírus. "O IVIC testou uma molécula usada para tratar …

Com a bancarrota a caminho, Governo Sócrates vendeu quase 80% dos imóveis públicos

Numa altura em que o país já estava em situação complicada, com o cenário de bancarrota no horizonte, o último Governo de José Sócrates vendeu quase 80% do património imobiliário público em apenas dois anos. Estes …

Na primeira noite de recolher obrigatório em Madrid, houve centenas de festas ilegais e álcool na rua

Na primeira noite de recolher obrigatório em Madrid, foram muitos os que ignoraram as restrições. A polícia espanhola foi obrigada a intervir em centenas de festas ilegais e numa festa ao ar livre com mais …

Casa Branca admite que EUA não poderão controlar pandemia. Biden acusa Trump de ter desistido

A Casa Branca admitiu este domingo que os EUA não poderão controlar a pandemia por ser tão contagiosa, numa mudança à postura de minimização da gravidade da crise, numa altura em que há novos recordes …

GNR obrigada a intervir no GP de Fórmula 1. Bastonário diz que evento foi um "insulto" aos profissionais de saúde

O circuito de Portimão teve de fechar algumas bancadas para garantir o distanciamento dos 27.500 espetadores autorizados pela Direção-Geral de Saúde (DGS). Pelo menos em duas foi necessária a intervenção da GNR. Em comunicado, a GNR …

Governo atira-se ao Bloco de Esquerda. Voto contra é "incompreensível"

Em conferência de imprensa, esta segunda-feira, o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, afirmou que "o Governo considera incompreensível que não possa contar com o Bloco de Esquerda" para aprovar o Orçamento do …

Chilenos votam de forma esmagadora para substituir Constituição de Pinochet

Os chilenos votaram de forma esmagadora, este domingo, a favor de uma nova Constituição para substituir a herdada da era do ditador Pinochet, num referendo realizado um ano após uma revolta popular contra a desigualdade …