Luso-venezuelanos regressam em massa à Madeira

Miguel Gutierrez / EPA

Luso-venezuelana em Caracas durante protestos contra o governo de Nicolás Maduro

Luso-venezuelana em Caracas durante protestos contra o governo de Nicolás Maduro

Entre 3.000 e 4.000 luso-venezuelanos regressaram à Madeira, avançou hoje na Venezuela o secretário regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus, Sérgio Marques, admitindo que o número possa vir a aumentar.

“Temos vindo a registar um número crescente de conterrâneos que regressam da Venezuela, isso tem-se vindo a intensificar nas últimas semanas. É notório”, disse.

Sérgio Marques falava à agência Lusa, na cidade de Maracay, a 100 quilómetros a oeste de Caracas, no âmbito de uma viagem de quatro dias à Venezuela, conjuntamente com o secretário de Estado das Comunidades Portuguesa, José Luís Carneiro.

“Estamos a tentar apurar o número das pessoas que tenham entrado na Madeira com rigor. Todos os cidadãos que entram com passaporte português, não há um registo de entrada e por isso temos alguma dificuldade em apurar esse número. De qualquer forma estimo que entre 3.000 e 4.000 pessoas possam ter regressado da Venezuela“, disse.

Por outro lado sublinhou esperar “que esse tenha sido um regresso temporário, porque o desejo das pessoas que têm chegado à Madeira, é que uma vez alterada a situação de crise política, económica e social que se vive na Venezuela possam ter condições para de novo retomar a normalidade das suas vidas na Venezuela“.

“Mas é um facto que temos já largas centenas de conterrâneos regressados à Madeira, e é óbvio que esta situação não é uma questão regional, é uma questão nacional, para que a Madeira possa da melhor forma apoiar o regresso de todos estes conterrâneos, tem que contar com a ajuda do Governo da República”, frisou.

“Este é um problema nacional em que todos temos que assumir as nossas responsabilidades, seja o Governo da República, seja o Governo da Venezuela”, acrescentou o secretário regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus.

Vontade de voltar e de reconstruir

Os portugueses radicados na Venezuela estão conscientes da gravidade do momento que estão a passar e o Governo português tudo fará para acolher os que decidam regressar a Portugal, vincou o secretário de Estado português das Comunidades.

O momento é muito grave. O momento que se vive na Venezuela é muito, muito grave, e os portugueses estão conscientes da gravidade do momento que estão a passar”, disse o o secretário de Estado das Comunidades, José Luis Carneiro, em Caracas.

“O mais surpreendente de tudo é que encontrei é uma vontade muito grande de vencer estas dificuldades, disse.

“Pude testemunhar in-loco portugueses que foram vítimas de assaltos que destruíram o seu património, que destruíram os seus estabelecimentos e já se encontram a tentar recuperar esses estabelecimentos, já se encontram de novo a abrir as portas e a afirma que querem fazer da Venezuela o seu país de futuro”, acrescentou.

“A grande maioria, mais de 90% das pessoas mostraram a vontade de recuperarem os seus estabelecimentos, de investir na Venezuela, por sentirem que pese embora este momento profundamente grave por que estão a passar, a Venezuela é um país com muitas oportunidades de investimento e oportunidades em relação ao futuro”, concluiu.

As manifestações a favor e contra o Presidente Nicolás Maduro intensificaram-se desde 1 de abril passado naquele país da América do Sul, depois de o Supremo Tribunal de Justiça  ter divulgado duas sentenças que limitavam a imunidade parlamentar e em que este organismo assumia as funções do parlamento.

Entre queixas sobre o aumento da repressão, os opositores manifestam-se ainda contra a convocatória para uma Assembleia Constituinte, feita a 1 de maio pelo presidente Nicolás Maduro. Dados oficiais dão conta de que pelo menos 56 pessoas já morreram desde abril, em vários confrontos entre as forças do regime e os oposicionistas a Maduro.

// Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Temporário?, em Cuba o Temporário já vai em 60 anos, o homem i matando gente todos os diase náo quer saber de nada, esta com menos de 15 % de popularidade,

  2. Há um ditado que diz que há males quem vêm por bem, neste caso a pouca sorte dos nossos compatriotas vítimas do ditador socialista na Venezuela contrasta com o convite do nosso 1º ministro socialista que diz que está na hora dos nossos compatriotas regressarem para usufruírem do grande progresso porque estamos passando.

RESPONDER

NASA apresenta rover "transformer" que vai explorar os penhascos íngremes de Marte

A NASA acaba de apresentar um rover de quatro rodas, denominado DuAxel, que se pode dividir em dois rovers de duas rodas separados. O robô foi projetado para, um dia, explorar alguns dos terrenos mais …

Veneno de vespa pode ter muito "potencial" na composição de antibióticos

Com o passar dos anos, a população começa a ficar mais resistente a certos medicamentos e estes deixam de fazer efeito. Agora, uma equipa de investigadores desenvolveu novas moléculas anti-microbianas a partir do veneno de …

"Ou és infetado ou morres de fome". Trabalhadores da Amazon nas Filipinas denunciam condições precárias

Trabalhadores contratados pela empresa de segurança Ring da Amazon que trabalham em call centers nas Filipinas denunciam condições de trabalho que dizem ser precárias, mostrando-se ainda mais preocupados com a situação por causa da pandemia …

"Momento muito duro". André Almeida sofreu rotura de ligamentos e arrisca paragem longa

O futebolista internacional português André Almeida sofreu uma entorse do joelho direito, que resultou numa “rotura do ligamento cruzado anterior e do ligamento lateral interno”, informou esta segunda-feira o Benfica. O lateral dos encarnados saiu aos …

Apoio à retoma. Empresas com perdas de 25% podem reduzir horário até 33% já esta terça-feira

Empregadores com quebra de faturação igual ou superior a 25% vão poder reduzir até 33% o horário dos trabalhadores, entre outubro e dezembro, segundo a alteração ao regime de retoma progressiva de empresas em crise. O …

Chega quer tornar voto obrigatório e sanções para quem não cumprir

O deputado único do Chega entregou uma nova proposta no âmbito do projeto de revisão constitucional do partido para tornar o voto obrigatório para todos os cidadãos que o possam exercer e sanções para quem …

A Alemanha quer tornar o teletrabalho um direito legal

O Governo alemão prepara-se para publicar um projeto de lei que dará aos trabalhadores do país o direito legar de trabalhar a partir de casa. A medida aplicar-se-á a todos as atividades laborais que possam …

Novo surto em lar de Beja e 90 alunos em isolamento em Famalicão

Um surto de covid-19 identificado no Lar de Idosos do Centro Paroquial e Social do Salvador, em Beja, já infetou 31 pessoas, sendo 24 utentes e sete funcionários, divulgou a Unidade Local de Saúde do …

Mais de 600 anos depois, encontram-se (várias) semelhanças entre a covid-19 e a peste negra

Numa altura em que o vírus da covid-19 se tem espalhado por todo o mundo, as comparações com outras doenças pandémicas são inevitáveis. Um exemplo disso foi a peste negra que em 1348 fez com …

Nacionalista apoiado pela Turquia eleito Presidente de Chipre do Norte

O nacionalista Ersin Tatar, apoiado pela Turquia, foi no domingo eleito "Presidente" da autoproclamada República Turca de Chipre do Norte (RTCN), numa vitória surpreendente face ao dirigente cessante, Mustafa Akinci, anunciou o conselho eleitoral. Com 51,74% …