Luke Skywalker ajuda a enviar 500 drones para Ucrânia

3

Mark Hamill, o ator que faz o papel de Luke Skywalker, é embaixador do exército de drones e confirma que a Ucrânia vai receber novos drones para reforçar o seu arsenal.

O ator de 71 anos confirmou que a Ucrânia vai receber novos drones em breve para reforçar o seu arsenal, no programa “Sound On“, da rádio Bloomberg,

“É muito simples: a Ucrânia precisa de drones. Eles definem o resultado de guerra, protegem o território, a população, monitorizam a fronteira, podem ser os olhos no céu”, sublinhou Mark Hamill no programa, citado pelo Observador.

“Com orgulho, sou embaixador do exército de drones”, assumiu o ator, que se juntou ao projeto criado pela UNITED 24 — uma iniciativa do Presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, para receber doações para a Ucrânia.

“Fiquei muito chocado porque sou atualizado pelo menos duas ou três vezes por semana sobre o que se passa e disseram que receberam 500 drones desde que comecei isto”, relatou o ator que ficou imortalizado por interpretar a personagem Luke Skywalker na saga Star Wars,.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Mark Hamill (@markhamill)

A iniciativa UNITED 24 conta com o apoio de várias celebridades, como por exemplo Demna Gvasalia, designer e diretor criativo da Balenciaga, Barbra Streisand, a banda Imagine Dragons, bem como a atriz e cantora Barbra Streisand.

A Rússia tem reforçado o uso de drones em território ucraniano, sendo acusada de recorrer aos Shahed-136 iranianos. Kiev já está a preparar uma resposta e a empresa estatal de fabrico de armas militares — Ukroboronprom — anunciou que está a produzir drones kamikaze, que deverão estar prontos até ao final do ano.

Estas aeronaves não pilotadas terão um alcance 1.000 quilómetros de distância e a componente explosiva terá uma carga de 75 quilos de TNT.

  ZAP //

3 Comments

  1. Estou estupefacto por ver tanta gente interessada em ajudar o regime da Ucrânia sem se preocuparem em saber quem são os governantes e que regime formaram depois do Golpe de Estado de 2014.
    Há oito anos que as regiões do Donbass são bombardeadas pelo regime de Kiev e mataram 14.000 cidadãos locais.
    Qualquer cidadão, ucraniano ou não, que fale em público a língua russa, que foi sempre a sua, será perseguido e agredido até à morte. Estes crimes étnicos foram cometidos durante oito anos pelos militantes nazis e fascistas que agora controlam o governo do país.
    O Ocidente cínico que sabe disto, não deixa que os povos tomem conhecimento.
    Só podemos ficar espantados como os políticos europeus colaboram com os criminosos de guerra herdeiros dos carrascos de Auschewitz, Dachau, Treblinka e outros.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.