Lukashenko acusa Kiev de disparar mísseis contra a Bielorrússia

2

Andrei Stasevich / (H) Belta

Aleksandr Lukashenko, Presidente da Bielorrússia

Desde o início da ofensiva que as forças russas têm tirado vantagem do território bielorrusso nas suas manobras, nomeadamente no ataque inicial contra Kiev que viria a fracassar.

O Presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko, afirmou hoje que o seu exército intercetou mísseis disparados da Ucrânia que se dirigiam contra a Bielorrússia

“Nós estamos a ser provocados. Eu tenho de vos dizer que há três dias, talvez mais, a Ucrânia tentou atingir alvos militares na Bielorrússia. Graças a Deus, os nossos sistemas anti-aéreos Pantsir intercetaram todos os mísseis disparados pelas forças ucranianas”, afirmou o governante, citado pela agência estatal Belta.

Na declaração, o Presidente bielorrusso garantiu que o seu país não tem “qualquer intenção de combater na Ucrânia”.

Desde a ofensiva militar lançada por Moscovo contra a Ucrânia, no final de fevereiro, a Bielorrússia, um aliado do Kremlin, tem servido de base de retaguarda para as forças russas.

As tropas russas avançaram da Bielorrússia para a Ucrânia com a intenção de tomar a capital ucraniana, Kiev, antes de desistirem dessa intenção, no final de março, face à resistência ucraniana.

O regime liderado por Alexander Lukashenko é muito dependente quer do ponto de vista económico quer militar da Rússia.

Na última semana, o Presidente da Rússia, Vladimir Putin anunciou que Moscovo iria entregar nos “próximos meses” à Bielorrússia mísseis Iskander-M, capazes de carregar ogivas nucleares.

  // Lusa

2 Comments

  1. A credibilidade deste senhor, Lukashenko, é praticamente zero. Se calhar, está a arranjar um bom pretexto para meter a colher no pudim.

  2. “Nós estamos a ser provocados”!…
    Hahahahaaa…

    E ainda fala em Deus!… se Deus existisse, talvez este animal não tivesse nascido!!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.