A Lua está a afastar-se da Terra

NASA

A Terra vista da Lua por Bill Anders, astronauta da missão Apollo 8

A Terra vista da Lua por Bill Anders, astronauta da missão Apollo 8

Certamente não se apercebeu, mas a Lua está a afastar-se de nós. O satélite da Terra está actualmente 18 vezes mais distante do que quando se formou, há 4,5 mil milhões de anos.

Sem a Lua, o nosso planeta seria irreconhecível. Os oceanos quase não teriam marés, os dias teriam outra duração e nós poderíamos não estar aqui, de acordo com alguns cientistas que acreditam que a Lua foi fundamental para o início da vida no nosso planeta.

Então como é que o afastamento da Lua nos afecta, e com que rapidez está a ocorrer?

Distância exacta

A Lua, explica à BBC a investigadora Margaret Ebunoluwa Aderin-Pocock, do Departamento de Ciência e Tecnologia do University College de Londres, está a afastar-se da Terra a uma velocidade de 3,78 centímetros por ano – um pouco mais de 0,1 mm por dia.

Graças aos pousos na lua das missões Apollo, da Nasa, entre 1969 e 1972, podemos medir a distância da Terra à Lua com uma incrível precisão. Em três das missões Apollo, os astronautas deixaram no satélite unidades retro-refletoras cheias de pequenos espelhos.

Desde então, os astrónomos têm disparado com regularidade raios laser em direcção a essas unidades reflectoras, medindo o tempo que o raio demora a chegar à Lua, para manter um registo exacto da distância a que o satélite se encontra e a que velocidade se está a afastar.

Esta experiência foi aliás eternizada na televisão, no episódio “Lunar Excitation” da série The Big Bang Theory, no qual os personagens disparam um raio laser à Lua a partir do seu telhado.

“Enviamos à Lua cerca de 100 triliões de fotões em cada disparo de laser. Se tivermos sorte, por cada pulso que enviamos, regressa à Terra um fotão”, explica o astrónomo Russet McMilllan, do Apache Point Observatory, localizado nas montanhas de Sacramento, no Novo México, EUA.

Apesar de à primeira vista um fotão parecer pouco, é o suficiente para medir ao milímetro a distância entre a Lua e a Terra.

No momento em que Russet McMillan conversava com a BBC, a distância exacta entre a Terra e a Lua era de 393.499 km, 257 metros e 798 mm.

Porque está a Lua a afastar-se?

O afastamento da Lua deve-se à fricção entre a superfície da Terra e a enorme massa de água que a cobre.

Esta fricção faz com que, ao longo do tempo, a Terra gire um pouco mais lentamente sobre o seu eixo: a água está a atrasar a rotação da Terra.

De acordo com a 3ª lei de Newton, por cada acção há uma reacção de força igual e sentido oposto.

A Terra e a Lua estão unidas por uma espécie de abraço gravitacional. À medida que o movimento de rotação da Terra diminui, o da Lua acelera.

E, quando um corpo que está em órbita acelera, essa aceleração empurra-o para fora.

O efeito da desaceleração da Terra

A diminuição da velocidade de rotação da Terra e a distância da Lua afectam o nosso planeta de várias formas. Para começar, à medida que o nosso planeta roda mais devagar, os dias ficam mais longos, em dois milésimos de segundo a cada século. Além disso, os invernos serão muito mais frios e os verões, muito mais quentes.

Isso pode ter um efeito devastador sobre a Terra, antes de mais pela dificuldade dos animais em se adaptar a extremos climáticos. Além disso, se a força gravitacional da Lua se torna mais fraca, as marés na Terra não serão tão acentuadas.

Mas mesmo sem a Lua, existiriam marés – ainda que suaves – pelo efeito do Sol. E na realidade, nenhuma destas consequências nos deve preocupar: as mudanças são demasiado subtis para que possamos sequer aperceber-nos delas no nosso tempo de vida.

A Lua nunca vai fugir da Terra. Mesmo que a Terra continue a diminuir a sua velocidade, a certo momento acabaria por estar a girar à mesma velocidade a que a Lua a orbita. Nesse momento, a Terra e a Lua chegariam a um equilíbrio, a Lua deixaria de se afastar, e seria um satélite geo-estacionário.

Mas muito antes de isso acontecer, o Sol vai expandir-se, transformar-se num gigante vermelho e engolir a Terra e o seu satélite.  Portanto, esqueça a Lua. É com o Sol que se deve preocupar – dentro de “apenas” 5 mil milhões de anos.

ZAP // BBC

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Pelos vistos não foi preciso a cataclismo nuclear que «ocorreu» em 13/09/1999 provocado pelos depósitos em redor da base lunar ALFA para provocar esse afastamento…. ou será que foi???….. O Comandante John Koonig não tem que se preocupar… também já não anda por estes lados….

  2. Este artigo foi uma maravilha, adorei mesmo. Quero, no entanto, dizer o seguinte: se o movimento de rotação da Terra se tornar inferior ao movimento de translação da Lua, o equilíbrio pode-se romper, e a Lua acelera mais no seu movimento, continuando, assim, a afastar-se cada vez mais sem parar; digo eu. Na teoria gravitacional de Einstein, a curvatura espacial causada por um corpo celeste depende da sua massa e distância em relação a si, mas quando falámos do afastamento da lua, parece que o espaço curvo causado pela Terra que diz à lua qual a trajectória a seguir, também depende, além da massa, do movimento de rotação da Terra. Não sei se fui claro o suficiente.

  3. São temas que desde sempre me fascinaram, desde que elaborados em português correcto e de acordo com a Lei em vigor de 08 de Dezembro de 1945. Ao iniciar a leitura do artigo, ver a ortografia e os erros introduzidos pela imposição ilegal e inconstitucional do AO90 perco de imediato todo e qualquer interesse pelo tema.

RESPONDER

Odemira. Problema não está nos contentores, mas sim "nas aldeias"

A ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, considera que o problema de Odemira reside "nas aldeias, onde são alugadas casas sem condições". Em entrevista à Visão, Maria do Céu Albuquerque, ministra da Agricultura, falou do …

19 anos depois, Ellen Degeneres diz adeus ao seu programa de televisão

O The Ellen DeGeneres Show vai terminar em 2022. O anúncio foi feito pela própria apresentadora, Ellen DeGeneres, na quarta-feira. A 19.ª temporada do talk show será a última do programa, que está no ar desde …

Calamidade até 30 de maio. Champions com lugares marcados, teletrabalho até ao final do mês

Após a reunião do Conselho de Ministros desta quinta-feira, a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, anunciou que o país continuará em situação de calamidade até 30 de maio. Acompanhada pelo secretário de Estado das …

Greve da Função Pública "não interfere" com negociações, diz Governo

A Frente Comum marcou para o dia 20 uma greve dos trabalhadores da Administração Pública para exigir um aumento dos salários, a valorização das carreiras e a revogação do sistema de avaliação de desempenho dos …

Estado recebeu 671 milhões do Banco de Portugal em 2020

Em ano de pandemia, o Banco de Portugal (BdP) deu 671 milhões de euros em dividendos ao Estado, segundo os dados divulgados, esta quinta-feira, pelo supervisor da banca. No Relatório do Conselho de Administração de 2020, …

Pedrógão Grande. Testemunha afirma que Câmara a aconselhou a mudar a morada fiscal

A proprietária de uma segunda habitação reconstruída após o incêndio de 2017, em Pedrógão Grande, disse esta quinta-feira que alterou a sua morada fiscal a conselho de um "senhor Bruno", da Câmara Municipal. O julgamento das …

Corrida aos combustíveis. Ciberataque a oleoduto provoca pânico nos EUA

Quase dois terços dos postos de gasolina do sudeste dos Estados Unidos registam escassez de combustível, depois de um ciberataque à maior rede de oleodutos do país ter obrigado a suspender as operações desde sexta-feira. A …

Cecília Meireles sente "enorme tristeza" por ver CDS com 1% nas sondagens

A deputada centrista abordou vários temas numa entrevista, publicada esta quinta-feira, desde a queda do CDS nas sondagens ao seu lugar de deputada na Assembleia da República. Numa entrevista à rádio Renascença e ao jornal Público, …

"Chernobyl do século XXI." Pandemia de covid-19 poderia ter sido evitada, dizem especialistas

A pandemia de covid-19 podia ter sido evitada e o mundo deve aprender com os erros que não permitiram travar a disseminação do vírus, conclui um novo relatório, divulgado esta quarta-feira. A pandemia de covid-19 poderia …

"Estamos a ver a patologia da banca. Uma patologia triste", diz CEO do Novo Banco

O presidente executivo do Novo Banco, António Ramalho, tem visto, nos últimos tempos, grandes devedores da instituição financeira a explicarem-se na comissão de inquérito, classificando o que assiste como "triste". "Estamos a ver a patologia da …