A Lua pode ter sido bombardeada por mini-buracos negros

Paul M. Hutchinson FRAS / Flickr

Uma equipa de cientistas defende que a Lua está “salpicada” por crateras de buracos negros em miniatura, que podem revelar segredos revolucionários sobre a matéria escura.

Os cientistas acreditam que vários buracos negros do tamanho de um átomo se formaram logo após o Big Bang. À medida que viajavam pelo Universo, espalharam-se e chegaram, muito provavelmente, ao nosso Sistema Solar, tendo cravado a Lua para sempre.

Os autores do estudo, publicado na Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, defendem que estes mini-buracos negros podem ter sido esmagados por outros corpos celestes, incluindo a Terra. O mesmo não terá acontecido no impacto com a Lua, devido à atmosfera fina do nosso satélite natural.

De acordo com o Futurism, os investigadores acreditam que as provas do embate destes buracos negros em miniatura na Lua poderiam dar preciosas pistas sobre a matéria escura.

Apesar de ser um composto abundante no Universo, os cientistas não sabem de que tipo de partícula é composta a matéria escura. Alguns acreditam que é constituída por “buracos negros formados a partir de flutuações de densidade no Universo primitivo”.

Ora, se os buracos negros em miniatura tivessem mesmo perfurado a Lua, poderiam ter deixado provas desta enigmática matéria no satélite e alterado as propriedades de qualquer matéria comum com que tivessem entrado em contacto.

A busca pelos detalhes destas colisões poderia confirmar a existência de buracos negros primordiais como componentes de matéria escura.

Os astrónomos acreditam que futuras missões tripuladas à Lua, como o próximo programa Artemis da NASA, vão permitir encontrar e estudar estas crateras, além de ajudar a desvendar a natureza da misteriosa matéria que compõe o nosso Universo.

  Liliana Malainho, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.