“Liga do LOL”: jornalistas franceses acusados de criar grupo para perseguir feministas na Internet

O meio jornalístico francês foi abalado esta semana pela descoberta de um grupo online de profissionais da área dedicado à perseguição, com piadas de mulheres e minorias nas redes sociais.

Diversas vítimas decidiram relatar as suas experiências e, esta segunda-feira, o jornal Libération, de esquerda, anunciou a suspensão de dois dos seus jornalistas, acusados de terem atuado durante anos como membros do “gangue” virtual, que se autoproclama de “Liga do LOL”.

Entre 2000 e 2010, os jornalistas agrediram verbalmente diversas mulheres nas redes sociais, que agora decidiram revelar o caso e provocar um debate sobre o abuso de poder quando se tem visibilidade numa plataforma como o Twitter.

Tudo começou com um grupo Facebook, criado pelo jornalista Vincent Glag, que escreve para o Libération, onde cerca de 30 pessoas, na sua maioria homens brancos, faziam piadas sobre mulheres feministas ou militantes antirracistas influentes na Internet. Os participantes eram jornalistas, bloggers ou publicitários.

De acordo com o podcaster Henry Michel, a “Liga do LOL” tinha a intenção de produzir “piadas que não podíamos fazer em público”. “Era divertido, besta, tinha esse lado de um observatório dos personagens do Twitter. Partilhávamos links, fotos, fazíamos piada das pessoas”, explica.

O caso chocou o meio jornalístico na França por revelar a hipocrisia de certos profissionais que, ao invés de apoiarem lutas por uma sociedade melhor, usavam a plataforma a qual tinham acesso para atacar, denegrir e gozar com os colegas militantes. Alguns membros do grupo, como Alexandre Hervaud, disseram que não fazem as mesmas piadas e que “mudaram”.

Em defesa das vítimas, a jornalista Iris KV disse que “mudar é bom”, mas exigiu um pedido de desculpas oficial da parte dos agressores. Ela publicou uma mensagem a “todos os membros, que agrediam feministas, indivíduos com problemas mentais, etc. Vocês esqueceram-se, mas as pessoas que sofreram têm uma memória melhor”.

Vários depoimentos surgiram

“Durante diversos anos no Twitter, eu e outras amigas feministas fomos alvo desses homens parisienses que gozavam com a nossa cara”, disse Daria Marx ao Libération.

Eu era gorda e, por isso, não tinha o direito de falar. Um dia, um dos membros pegou numa imagem pornográfica de uma menina gorda e loira, que poderia vagamente parecer-se comigo, e partilhou-a a dizer que tinha encontrado a minha sextape”, conta.

Eram absolutamente infames no Twitter”, revela Nora Bouazzouni, jornalista do site FranceInfo. “Fui atacada com insultos, montagens fotográficas, GIFs pornográficos com minha cara e e-mails anónimos”, declara.

“Um desses personagens, que fazia parte do grupo, com quem tive uma relação, fez-me acreditar que tinha AIDS para me assustar. São loucos”, desabafa a repórter Capucine Piot.

Mélanie Wanga, cofundadora do podcast Le Tchip – que fala sobre “a experiência negra”, segundo o site do projeto – também acusou A Liga do LOL de atacar, além das feministas, as pessoas LGBT e militantes antirracistas.

Imaginem ser uma jornalista preta, falar de blackface, de apartheid e ter de ver coisas como essas 20 vezes por dia pelos colegas durante vários dias”, disse Mélanie.

Consequências para a carreira

As acusações contra os membros da “Liga do LOL”, factos ocorridos antes de 2013, já prescreveram, levando em conta o prazo para crimes de cyberbullying, que é de seis anos na França.

Marlène Schiappa, secretária de Estado encarregada da Igualdade de gênero e da Luta contra as discriminações, disse que tentaria propor um prolongamento desse período. A punição para esse tipo de delito é de 30 mil euros e pode chegar a 45 mil euros e três anos de prisão se a vítima for menor de idade ou vulnerável.

Mas a revelação do grupo  já provocou consequências para alguns. O Libération suspendeu Alexandre Hervaud e Vincent Glad – o último também perdeu a sua colaboração com a Brain Magazine. Já o estúdio de podcast Nouvelles Ecoutes demitiu o jornalista Guilhem Malissen.

// RFI

 

PARTILHAR

RESPONDER

"DeepNude". Inteligência Artificial "tirou a roupa" a mulheres nas redes sociais

A empresa de informação Sensity alertou que mais de 100 mil imagens foram carregadas para um canal de Telegram onde um bot "tirou a roupa" de mulheres. A empresa de segurança Sensity revelou recentemente que existe …

Poluição atmosférica "custa" a cada citadino europeu 1.276 euros por ano

A poluição atmosférica "custa" 1.276 euros por ano a cada cidadão europeu residente em cidades, de acordo com um estudo da Aliança Europeia de Saúde Pública (EPHA) divulgado esta quarta-feira. O estudo chegou ao valor médio …

"Emergência arqueológica". O degelo dos Alpes está a "libertar" artefactos escondidos há milhares de anos

As alterações climáticas podem estar a ajudar os arqueólogos a encontrar artefactos escondidos nos glaciares do Alpes há milhares de anos. O derretimento dos glaciares dos Alpes está a "liberta" objetos que permaneceram congelados no tempo …

Thermite RS3 é o primeiro robô de combate a incêndios dos EUA (e está pronto a entrar ao serviço)

O Corpo de Bombeiros de Los Angeles, nos Estados Unidos, deu as boas-vindas ao mais recente membro da equipa: um bombeiro robótico. O Thermite RS3 é um rover de controlo remoto capaz de bombear milhares de …

Inventor dinamarquês que matou jornalista no seu submarino escapou da prisão (mas já foi apanhado)

O inventor dinamarquês Peter Madsen, condenado a prisão perpétua por torturar e assassinar a jornalista sueca Kim Wall, fugiu da prisão esta terça-feira.  As autoridades dinamarquesas capturaram-no minutos depois. Peter Madsen, o dinamarquês condenado a prisão …

Molécula descoberta por menina de 14 anos pode levar a uma cura para a covid-19

A jovem norte-americana de 14 anos, Anika Chebrolu, descobriu uma molécula que pode levar a uma potencial cura para a covid-19. Enquanto cientistas dos quatro cantos do mundo trabalham no desenvolvimento de uma vacina para a …

Cerca de 1.300 reclusos fogem de prisão no Congo após ataque do Estado Islâmico

Cerca de 1.300 reclusos escaparam de uma prisão na República Democrática do Congo na manhã de terça-feira, após um ataque reivindicado pelo Estado Islâmico, informou a Organização das Nações Unidas (ONU). Embora as autoridades locais tenham …

Amesterdão vai usar flores para impedir que os ciclistas estacionem bicicletas nas pontes

A cidade conhecida pelo uso de bicicletas, vai agora tomar uma medida em relação ao estacionamento destas nas pontes. Tudo para proteger as vistas para os seus famosos canais. Amesterdão orgulha-se de ser uma das cidades …

Morreu voluntário envolvido no ensaio da vacina de Oxford. Tinha 28 anos e era médico recém-formado

As autoridades de saúde brasileiras divulgaram esta quarta-feira a morte de um voluntário dos testes da vacina contra a covid-19, desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca e pela Universidade de Oxford. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), …

Milo, o "comunicador de ação" que permite conversar em grupo durante atividades ao ar livre

Chegou o Milo, o novo aparelho que vai revolucionar as aventuras em grupo. Este pequeno dispositivo permite-lhe conversar com o seu grupo à distancia sem precisar de levar o smartphone para o meio da montanha, …