Liberdade no mundo atingiu o pior nível da última década

Zouhir Al Shimale / EPA

A Síria está no fundo da Tabela e surge designada como um país “não livre”.

Em 2017, a liberdade do mundo atingiu o pior nível em 12 anos. Esta é a conclusão do relatório da organização não-governamental Freedom House.

Divulgado esta terça-feira, o relatório anual sobre direitos políticos e liberdades civis centra-se sobretudo na crise da democracia a nível global. O documento, intitulado “Freedom in the World 2018: Democracy in Crisis”, sublinha que a democracia está “sob ataque e a recuar em todo o mundo”.

A organização não-governamental Freedom House analisou 195 países em todo o mundo e em 71 deles detetou um “claro declínio”, com apenas 35 países a apresentar alguns progressos.

Dos 195 países avaliados neste estudo, 88 (45%) foram classificados como “livres”, 58 (30%) como “parcialmente livres” e 49 (25%) como “não livres”. De acordo com a Freedom House, o ano passado foi o 12º ano consecutivo de queda da liberdade global.

Segundo o Diário de Notícias, dos 49 países “não livres”, a Síria é o que se posiciona no fundo da tabela, com uma pontuação abaixo de dez, numa escala de 100.

“Estados outrora promissores como a Turquia, a Venezuela, a Polónia e a Tunísia estão entre aqueles que experimentaram declínios nos padrões democráticos; a recente abertura democrática em Myanmar (antiga Birmânia) ficou permanentemente arruinada por uma chocante campanha de limpeza étnica contra a minoria Rohingya”, lê-se no relatório.

Michael J. Abramowitz, presidente da Freedom House, considera que a democracia está a enfrentar a sua mais grave crise em décadas. A garantia de eleições livres e justas, os direitos das minorias, a liberdade de imprensa e o Estado de direito estão, nas palavras do presidente, “sob ataque em todo o mundo“.

Ainda assim, o relatório destaca como um grande desenvolvimento de 2017 o “recuo dos EUA como defensor e exemplo de democracia”, devido “às evidências de ingerência russa nas eleições presidenciais norte-americanas de 2016, às violações de princípios éticos básicos pelo novo Governo e a uma redução da transparência governamental”.

Abramowitz afirma que as principais instituições da democracia norte-americana estão a ser “maltratadas por uma Administração que tem tratado a tradicional separação de poderes do país com desdém”.

A Turquia passou do grupo dos países “parcialmente livres” para o dos “não livres”, quando o Presidente Erdogan “alargou e intensificou a perseguição aos seus alegados opositores, iniciada após uma tentativa falhada de golpe de Estado em julho de 2016, com consequências extremas para os cidadãos turcos”, consta no relatório.

Segundo a organização não-governamental, nos últimos 12 anos – desde que o recuo da liberdade começou, em 2006 – foram 113 os países que assistiram a um claro declínio dos direitos políticos e liberdades civis. Só 62 registaram um claro aumento.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. desde 1991 que a liberdade em grande parte das democracias de os ditos países livres,começou a retroceder, deixou de existir o motivo ! a guerra fria terminou,o urso soviético comunista morreu e com isso a necessidade de mostrar que temos uma sociedade mais livre e equilibrada,assustador o facto de certas pessoas so verem isso agora !!!!!

RESPONDER

FC Porto 3-1 Braga | Entrada de “dragão”

O FC Porto iniciou a defesa do título nacional com uma vitória importante sobre o Sporting de Braga por 3-1. Os minhotos marcaram primeiro no Dragão, por um ex-portista, mas os descontos do primeiro tempo foram …

Barco navega em forma de coração para agradecer aos habitantes da Nova Escócia

A escuna Bluenose II navegou de forma bastante original no último dia da temporada de 2020. A rota seguida criou a forma de um coração no porto de Lunenburg, na Nova Escócia. De acordo com o …

França bate recorde com 13.498 novos casos. Espanha não vai confinar

A França registou este sábado um recorde diário de casos de covid-19, com 13.498 novos infetados nas últimas 24 horas, anunciou a Agência Nacional de Saúde, acrescentando que, no mesmo período, morreram mais 26 pessoas. No …

Diogo Jota no Liverpool

O Liverpool oficializou hoje a contratação do futebolista internacional Diogo Jota, de 23 anos, num contrato “de longa duração”, sem especificar a duração. A imprensa inglesa tem adiantado que o jogador vai assinar por cinco épocas, …

Companhia aérea australiana oferece voos de 7 horas (para lugar nenhum)

A companhia aérea australiana Qantas anunciou recentemente planos para um voo panorâmico de sete horas que fará um loop gigante em Queensland e Gold Coast, New South Wales e os remotos centros do interior do …

Barack Obama vai publicar um livro de memórias (mas só depois da eleições de novembro)

O livro de memórias do antigo Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, só vai ser publicado depois das eleições presidenciais de novembro. Uma enxurrada de livros políticos chegou às prateleiras nas últimas semanas, no final da …

Confrontos em Londres entre polícia e opositores das restrições devido à pandemia

A polícia de Londres, Inglaterra, entrou hoje em confronto com manifestantes que protestavam contra as restrições que visam conter a disseminação do novo coronavírus. De acordo com a agência Associated Press (AP), os confrontos ocorreram quando …

Milhares infetados por bactéria após fuga em fábrica farmacêutica chinesa

Milhares de pessoas no noroeste da China contraíram uma doença bacteriana depois de uma fuga que causou um surto numa biofarmacêutica no ano passado. De acordo com a CNN, que cita relatos dos media locais, mais …

Guardas da Revolução do Irão prometem vingar morte do general Soleimani

O chefe dos Guardas da Revolução, o exército ideológico do Irão, garantiu hoje que a morte do general Qassem Soleimani, alvo de um raide aéreo dos Estados Unidos, será vingada em “todos os seus implicados”. “Senhor …

"O mundo está no momento mais perigoso da história humana", diz Noam Chomsky

O professor norte-americano Noam Chomsky, conhecido como o pai da linguística moderna, advertiu que o mundo está no momento mais perigoso da história da humanidade devido à crise climática, à ameaça de guerra nuclear e …