/

Julian Assange pode morrer na prisão se não receber tratamentos médicos

5

Facundo Arrizabalaga / EPA

Julian Assange, fundador do WikiLeaks

Julian Assange, de 48 anos, encontra-se detido na prisão de alta segurança em Belmarsh, no sul de Londres, onde aguarda a decisão do tribunal britânico sobre o pedido de extradição para os Estados Unidos (EUA), país no qual pode vir a ser julgado pela divulgação de documentos confidenciais.

Na carta divulgada esta segunda-feira e dirigida à ministra do Interior britânica, Priti Patel, um grupo de 60 médicos de vários pontos do mundo – entre esses EUA, Itália, Alemanha e Sri Lanka -, expressam “grande preocupação” sobre o estado de saúde de Julian Assange, noticiou a agência Lusa.

“Do ponto de vista médico e perante as provas disponíveis estamos muito preocupados com o estado de saúde de Assange, que tem de enfrentar um julgamento em fevereiro. Na nossa opinião, Julian Assange precisa de ser analisado do ponto de vista médico sobre o seu estado físico e psicológico”, refere o documento firmado pelos médicos.

Caso “não receba ajuda médica, Julian Assange, poder morrer na prisão”, acrescentam os subscritores da carta. Os médicos basearam as suas conclusões nos relatos de Nils Melzer, relator especial da ONU sobre tortura e tratamentos cruéis, das audições de Juian Assange de 21 de outubro e 01 de novembro, em Londres, no Reino Unido.

“Se uma avaliação e tratamento tão urgentes não aconteceram, temos preocupações sérias, baseadas nas evidências atualmente disponíveis, de que o sr. Assange possa morrer na prisão. A situação médica é, assim, urgente. Não há tempo a perder”, afirmaram os médicos, citados pela France-Presse.

Os EUA acusam o fundador do portal WikiLeaks por se ter infiltrado nos sistemas informáticos governamentais norte-americanos. Este esteve refugiado sete anos na embaixada do Equador em Londres, onde foi detido este ano.

  ZAP //

5 Comments

  1. Estou convencido que em termos de espionagem nada se alterou desde que este andou a fazer denúncias. A não ser os métodos e técnicas muito mais refinadas para não dar nas vistas. Sempre existiu e vai existir. E cada vez mais.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.