José Eduardo dos Santos. Suspeitas de envenenamento e guerra familiar (até o funeral será um problema)

2

Ricardo Stuckert / ABr

O Presidente de Angola, José Eduardo dos Santos

José Eduardo dos Santos continua ligado às máquinas nos cuidados intensivos de uma clínica em Barcelona e já se fala do seu funeral. Mas, antes disso, há uma guerra familiar pela continuação do suporte de vida do ex-Presidente de Angola e levantam-se suspeitas de envenenamento.

Zédu, como é conhecido em Angola o homem que governou o país durante 38 anos, está entre a vida e a morte nos Cuidados Intensivos do Centro Médico Tekon, uma clínica privada em Barcelona.

O ministro das Relações Exteriores de Angola, Tete António, visitou, enquanto representante oficial do Estado, a clínica nesta quinta-feira de manhã. Depois de ter passado pela unidade, garantiu aos jornalistas, como cita a Rádio Nacional de Angola, que não pressionou os médicos para desligarem as máquinas que mantêm Zédu vivo.

Tete António também revelou que é o Estado angolano quem paga todas as despesas do tratamento do antigo presidente do país.

“O Governo vai continuar a assumir as suas responsabilidades, incluindo os custos da hospitalização“, apontou o ministro, justificando que se trata de “um ex-Presidente da República” e que “a República de Angola tem responsabilidades acrescidas em situações do género”.

A família de Zédu agradece, mas uma das suas filhas, Tchizé dos Santos, já pediu respeito pelo pai, solicitando ainda que não haja um aproveitamento político da situação, conforme declarações à RTP.

Funeral poderá ser um problema

Esta posição surge numa altura em que há relatos de que as autoridades angolanas já estão a preparar um funeral de Estado para José Eduardo dos Santos. A ideia será realizar uma cerimónia em Luanda, mas as filhas do ex-presidente estarão contra, conforme revela o correspondente do Expresso em Angola.

Isabel dos Santos e Tchizé dos Santos podem ser detidas pela justiça angolana se forem a Luanda para o funeral, fruto de processos judiciais que as envolvem.

O presidente de Angola, João Lourenço, tem mantido contactos com a actual mulher de Zédu, Ana Paula dos Santos, e há relatos de que pretende transformar o funeral num momento de glorificação do MPLA, tanto mais quando estamos nas vésperas de eleições gerais em Angola, a 24 de Agosto próximo.

Esse evento seria uma homenagem a Zédu como “Arquitecto da Paz”, após uma mortífera guerra civil. Mas marcaria também, de certa forma, o encerramento de um capítulo da história de Angola.

Por outro lado, para João Lourenço seria um abrir de portas para vincar a sua luta contra a corrupção, sem a sombra de Zédu por perto, para que a justiça condene algumas das figuras que lhe foram próximas enquanto esteve no poder, bem como familiares.

Análises a “possíveis envenenamentos”

Mas antes de se pensar no cenário de funeral, é preciso avaliar ainda a questão clínica de Zédu que está ligado a máquinas de suporte de vida, em coma irreversível.

Tchizé dos Santos já contratou uma advogada espanhola, Cármen Varela, para impedir que as máquinas sejam desligadas.

Esta advogada revelou que a Justiça espanhola não reconhece o casamento de Zédu com Ana Paula dos Santos. Assim, sublinha que “quem pode decidir são as filhas” e que estas “não querem desligar as máquinas do pai”, como cita a agência Lusa.

Cármen Varela também refere que vai pedir análises sobre “possíveis envenenamentos”, bem como para que se investigue porque é que se passaram cerca de 15 minutos entre a alegada queda de Zédu e o pedido de socorro.

Além disso, a advogada diz que vai pedir ainda à justiça para que Ana Paula dos Santos e o médico que “parece ser enviado pelo Presidente de Angola”, para seguir Zédu no hospital, não possam entrar no quarto dele.

Guerra entre filha e madrasta

A postura de Tchizé dos Santos será motivada pelo desejo de “travar Ana Paula dos Santos”, como revela uma fonte próxima da família à agência Lusa.

Ana Paula dos Santos reaproximou-se do ainda marido após vários anos de afastamento no seguimento da sua saída do poder. Tchizé diz que “abandonou o marido”, culpando-a pela degradação da saúde do pai.

Numa publicação no Instagram, Tchizé dos Santos refere-se à mulher do pai como “a suposta esposa que nos últimos 4 anos esteve com ele 2 meses“.

A ex-deputada do MPLA também lançou nesta rede social uma espécie de campanha para que “não desliguem as máquinas” e “deixem JES viver”. “Quem decide pela vida é Deus”, nota ainda, usando a hashtag #souzedu.

“Isto é um caso de polícia”

Em entrevista à DW África, Tchizé dos Santos acusou o médico que tem seguido o pai, e que será pago pelo Estado angolano, de “negligência” e de “estar a deteriorar o [seu] estado de saúde”.

“Tem que haver uma investigação. Isto é um caso de polícia“, disse ainda a antiga deputada.

“O que está a acontecer ao engenheiro José Eduardo dos Santos foi induzido, foi muito bem maquinado. Foi-lhe deteriorada a saúde o máximo possível”, acrescentou Tchizé, insinuando que João Lourenço pode estar por trás disso.

“Ao ver o que está a acontecer com o meu pai e sendo eu a única outra política da família, eu temo pela minha vida e quero fazer questão de transmitir isso antes de que eventualmente me possa acontecer alguma coisa”, apontou ainda Tchizé na mesma entrevista.

João Lourenço passa a vida a tentar apagar o legado de José Eduardo dos Santos“, acrescentou, revelando que, na última conversa que manteve com o pai, este lhe disse que preferia que, nas próximas eleições em Angola, ganhasse o líder da oposição ao MPLA, Adalberto da Costa Júnior, presidente da UNITA.

Sobre a situação do pai, Tchizé referiu que “está vivo” e que “todos os órgãos do seu corpo estão a funcionar normalmente“, embora assumindo que há “uma questão neurológica”.

PUBLICIDADE

A título de exemplo, fala do caso de Michael Schumacher que está “há anos, anos e anos [doente] e que não morreu”. “Então porque é que querem desligar as máquinas? Para satisfazer o capricho de João Lourenço de ver morrer aquela pessoa que ele odeia e que ele quer destruir e ir triunfante dançar em cima do seu caixão?”, atirou ainda Tchizé dos Santos.

10 filhos e uma fortuna pessoal de 20 milhões

José Eduardo dos Santos tem 10 filhos de seis mulheres diferentes.

Isabel dos Santos é filha do seu primeiro casamento, com a russa Tatiana Kukanova que conheceu quando estudava Engenharia Petroquímica na ex-URSS.

José Filomeno, ou Zenu, é filho do relacionamento com Filomena Perdigão.

Tchizé dos Santos e José Eduardo Paulino, conhecido por Coréon Dú, são fruto do relacionamento com Maria Luísa Abrantes.

Com Ana Paula dos Santos, Zédu é pai de Eduane Danilo, Joseana, Eduardo e Houston.

É ainda pai de José Avelino e de Josias dos Santos, filhos de Maria Bernarda e Eduarda, respectivamente.

Zenu está impedido de viajar para visitar o pai depois de ter sido condenado a cinco anos de prisão, em 2020, pelos crimes de burla e defraudação, peculato e tráfico de influências. Recorreu da sentença e aguarda a decisão em liberdade, mas tem o passaporte retido.

No meio desta extensa família, Zédu possui um amplo património numa fortuna que já foi avaliada em 20 milhões de dólares, incluindo várias propriedades em Angola

  Susana Valente, ZAP // Lusa

2 Comments

  1. Tem uma fortuna pessoal de 20 milhões (e o resto!) e é Angola que paga a clínica!…
    Era desligar a máquina a essa familia toda…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.