João Rendeiro encontrado morto na prisão

15

Luís Miguel Fonseca / Lusa

O ex-banqueiro João Rendeiro no Tribunal de Verulam.

O ex-banqueiro João Rendeiro no Tribunal de Verulam.

O ex-banqueiro João Rendeiro foi encontrado morto, esta sexta-feira, na prisão em África do Sul, onde aguardava decisão sobre o processo de extradição para Portugal.

João Rendeiro, de 69 anos, foi encontrado morto na prisão onde estava detido, na África do Sul, na manhã desta sexta-feira, segundo informações avançadas pela CNN Portugal.

A morte do ex-banqueiro foi, entretanto, confirmada pela sua advogada, June Marks. Ao Expresso, a advogada disse que Rendeiro enforcou-se. Rendeiro estava numa cela de 80 metros quadrados com cerca de 50 reclusos.

O antigo banqueiro do BPP tinha alegado em tribunal problemas de saúde para ser libertado.

Segundo o Correio da Manhã, João Rendeiro ia ser hoje presente a tribunal, numa sessão prévia da decisão final sobre a extradição, que estava agendada para 13 de junho, e que foi antecipada.

Os guardas da prisão de Westville e a advogada June Marks relataram um “comportamento errático” de Rendeiro nos últimos dias, apurou o CM.

Detido em 11 de dezembro na cidade de Durban, após quase três meses fugido à justiça portuguesa, João Rendeiro foi presente ao juiz Rajesh Parshotam, do tribunal de Verulam, que lhe decretou em 17 de dezembro a medida de coação mais gravosa, colocando-o em prisão preventiva no estabelecimento prisional de Westville.

“Não vou regressar a Portugal”, disse aos jornalistas em dezembro.

O ex-banqueiro foi condenado em três processos distintos relacionados com o colapso do BPP, tendo o tribunal dado como provado que retirou do banco 13,61 milhões de euros. Das três condenações, apenas uma já transitou em julgado e não admite mais recursos, com João Rendeiro a ter de cumprir uma pena de prisão efetiva de cinco anos e oito meses.

João Rendeiro foi ainda condenado a 10 anos de prisão num segundo processo e a mais três anos e seis meses num terceiro processo, sendo que estas duas sentenças ainda não transitaram em julgado.

O colapso do BPP, em 2010, lesou milhares de clientes e causou perdas de centenas de milhões de euros ao Estado.

  Daniel Costa, ZAP //

15 Comments

  1. Li bem ? Enforcou-se numa cela (sala) de 80 m2 ao pé de 50 prisioneiros ?
    Estavariam todos a dormir profundamente, talvez depois de tomarem uns sedativos ?

  2. Não é, de todo, uma má notícia; antes pelo contrário!
    Espero que não regresse a Portugal…

    O Salgado já vai tarde!…

  3. Será que foi mesmo assim, ou será que tomou algum medicamento que o dá como morto, e mais tarde ressuscita? O dinheiro faz tudo … Mas se é verdade que morreu, foi feita justiça. Assim não fica a rir dos que roubou.

  4. Com a fuga de Portugal foi cair no sítio certo! Ali parece não haver prisões para privilegiados, ao contrário de cá que mais parece um protetorado de malandragem engravatada! Aconselhava Salgados, Vieiras, Sócrates e vários outros a irem até lá e gozarem daquelas instalações exclusivas para bons malandros!

    • Piada ou desconhecimento total da realidade da Africa do Sul?
      Não fosse a pressão mediática de um país da UE e onde estaria este “anjinho”?… e falta saber se o bandido está realmente no inferno!…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE