Angola tira Portugal da lista dos principais parceiros

Fernando Villar / Lusa

O presidente de Angola, João Lourenço

O novo Presidente angolano, João Lourenço, excluiu esta terça-feira Portugal da lista de principais parceiros, no seu discurso de tomada de posse, sublinhando que Angola considerará todos que “respeitem” a soberania nacional.

A posição foi assumida por João Lourenço na cerimónia oficial de investidura como novo chefe de Estado angolano, que decorreu esta terça-feira em Luanda e na qual o Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, foi o único chefe de Estado europeu presente.

Angola dará primazia a importantes parceiros, tais como Estados Unidos da América, República Popular da China, a Federação Russa, a República Federativa do Brasil, a índia, o Japão, a Alemanha, a Espanha, a Franca, a Itália, o Reino Unido, a Coreia do Sul e outros parceiros não menos importantes, desde que respeitem a nossa soberania“, disse João Lourenço.

O novo chefe de Estado não fez qualquer referência a Portugal, principal origem das importações angolanas, no seu primeiro discurso oficial, numa altura de tensão na relação entre os dois países, decorrendo investigações das autoridades portugueses a figuras do regime angolano.

“Devemos continuar a pugnar pela manutenção de relações de amizade e cooperação com todos os povos do mundo, na base dos princípios da não-ingerência nos assuntos internos e na reciprocidade de vantagens, operando com todo os países para salvaguarda da paz, da Justiça e do progresso da humanidade”, disse ainda.

João Lourenço garantiu que a prioridade nas relações internacionais de Angola será dada aos países vizinhos, nomeadamente na defesa, segurança e desenvolvimento da região da África austral.

“Angola deve, pois, manter o seu papel de ator importante na manutenção da paz na sua sub-região, atuando de forma firme nas organizações das quais faz parte”, apontou, acrescentando que a relação com os restantes países africanos de língua portuguesa “vai estar sempre presente nas opções” do Governo angolano.

João Lourenço, general na reserva, de 63 anos, foi esta terça-feira investido, pelas 12:15, no cargo de Presidente da República de Angola, o terceiro que o país conhece desde a independência, em novembro de 1975.

O ato, presenciado por convidados nacionais e internacionais e milhares de populares, decorreu no Memorial António Agostinho Neto, em Luanda, no mesmo local e dia (26 de setembro) em que José Eduardo dos Santos foi investido pela última vez como chefe de Estado Angolano, após as eleições de 2012.

// Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Mais um atrasado mental… Mas quem é que dá ouvidos a este animal?
    Tenho pena é dos milhares de Angolanos que vivem miseravelmente e que não têm culpa deter governantes gananciosos e corruptos a rouba-los todos os dias!
    Esta gente vive apenas para eles, não para o povo!
    Não mencionou Portugal? Epá que dor… ficamos mesmo muito incomodados, fogo, já nem vamos conseguir dormir… que tristeza!
    Bem, os cães ladram e a caravana passa!

  2. Acho muito bem a acaba por ser perfeitamente normal.
    Eles querem parceiros com um nível de corrupção semelhante (China, Brasil, Rússia, etc) para não haver grandes entraves nas negociatas!!
    E para Portugal, quanta menor exposição a oligarquia e aos humores dos ditadores angolanos, melhor!
    Já se sabe que a “soberania de Angola”, ele quis dizer os interesses do regime que tomou conta dos recursos de Angola!

  3. Mais um “erro” do jornalista !
    Assim como os assobios e apupos, são sinais de euforia, em Angola quando se tira um país da lista dos principais parceiros, é sinal de que se gosta muito desse país !!! (ironia, claro).
    E a frase do novo Presidente acaba em beleza… “(lista dos bons países)…e outros países que não interferem na política angolana” !
    Será preciso fazer um desenho para entender a animosidade que continua a existir contra Portugal ?!
    … talvez daqui a 500 anos as relações entre os dois países poderão ser de igualdade e sem complexos.

RESPONDER

Professor suspenso depois de dizer que se alunos faltassem a Moral não podiam entrar em igrejas

O professor que enviou um documento aos encarregados de educação a avisar que se os seus educandos continuassem a faltar às aulas de Educação Moral e Religiosa Católica "corriam o risco" de não poder entrar …

Cheias já mataram duas pessoas. Veneza vai declarar estado de emergência

Luigi Brugnaro, presidente da câmara de Veneza, vai declarar estado de emergência na cidade que está inundada devido às piores cheias em 50 anos. Esta quarta-feira, é esperada uma nova subida da água na cidade italiana. …

Bolsonaro deixa PSL e cria um novo partido

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, anunciou esta terça-feira que decidiu abandonar o Partido Social Liberal (PSL) e criar um novo partido chamado Aliança pelo Brasil. A saída de Bolsonaro acontece na sequência de uma série …

Partido Trabalhista britânico sofre dois ciberataques (e suspeita-se que tenham "dedo" russo)

O Partido Trabalhista britânico sofreu dois ataques informáticos em apenas dois dias. Contudo, o partido de Jeremy Corbyn admite que os ataques falharam e que as suas plataformas estão operacionais. Num espaço de apenas dois dias, …

Sterling tentou fazer "mata-leão" a Joe Gomez e foi afastado da convocatória

O estágio da seleção inglesa para os jogos da Qualificação para o Campeonato da Europa, frente ao Montenegro e ao Kosovo, não poderia ter começado da pior forma. Raheem Sterling foi afastado da equipa após …

Alunos com gaguez não terão de fazer exames orais

Os alunos com gaguez podem ser dispensados da realização das provas orais. Há dois anos, estes exames passaram a integrar a avaliação externa em línguas estrangeiras nos exames do ensino secundária e nas provas de …

PSD. Só 15,8% dos militantes poderiam votar se eleições diretas fossem hoje

A dois meses das eleições diretas no PSD, há hoje perto de 17.000 militantes com quotas em dia, que podem ser pagas até 22 de dezembro, de acordo com informação disponibilizada online pelo partido. Se as …

Hong Kong: Reforço policial, Parlamento suspenso e escolas fechadas

O Parlamento de Hong Kong foi suspenso, esta quarta-feira, e a segurança foi reforçada na cidade e nos campus universitários, com as escolas a fecharem num momento em que prosseguem os confrontos entre manifestantes e …

Debate quinzenal: Políticas de rendimento, Rio ao ataque com o lítio e a primeira vitória dos pequenos

Os debates quinzenais com o primeiro-ministro regressam esta quarta-feira. António Costa vai abrir o debate com uma intervenção sobre "políticas de rendimento", mas as atenções estão centradas na primeira vitória dos pequenos partidos. As políticas de …

Governo vai propor 635 euros para salário mínimo em 2020. Proposta não agrada patrões

Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, vai apresentar esta quarta-feira na Concertação Social a proposta de aumento para o salário mínimo nacional para 2020, com uma atualização de 35 euros. Esta quarta-feira, …