“Jesus saiu e até podia vir o Mourinho… Seria questionado”

Clube de Regatas do Flamengo / Facebook

Jorge Jesus no Flamengo, do Brasil.

Filipe Luís não esconde que a saída de Jorge Jesus é o motivo principal para o Flamengo já ter sido afastado da Taça do Brasil e da Libertadores.

O Flamengo continua na luta pela conquista do Brasileirão mas de certeza que já não vai repetir o ano histórico de 2019. Já foi afastado da Taça Libertadores e da Taça do Brasil (que também não conquistou no ano passado) e as exibições têm sido mais modestas em relação à época passada.

Filipe Luís não tem dúvidas: “O principal fator para essa quebra é a saída do Jorge Jesus. A equipa estava dominada, sabíamos a forma de jogar. Tivemos que aprender de novo. Não é culpa do treinador, mas a mudança abala. A defesa passa a jogar de outra forma. Essa foi a principal razão”.

Foi a principal razão mas não foi a única, segundo o lateral: “A segunda é que nós, jogadores, somos os culpados. Nós assumimos a responsabilidade de não termos conseguido o objetivo da Taça do Brasil e da Libertadores”.

A antiga figura do Atlético de Madrid, ainda fazendo comparação com 2019, admitiu que foi “triste” ter assistido à saída de Jorge Jesus para o Benfica: “Era um pai, amigo, gestor. Foi traumatizante para o clube. Não importava quem viesse. Foi o Domènec Torrent, mas poderia ter sido o Mourinho, o Guardiola… Seria questionado. Foi um processo de reestruturação. Tivemos que nos reinventar. Não existem dois treinadores iguais. Pensar no passado atrapalha”.

Em conferência de imprensa realizada nesta quarta-feira, o brasileiro elogiou a “evolução” que o Flamengo tem mostrado desde a chegada do novo treinador Rogério Ceni, sucessor de Domènec Torrent – que só se manteve no cargo durante três meses.

“A equipa está numa evolução grande nas últimas jornadas. É um modelo diferente. Estamos a crescer, com uma solidez maior. Muitos dos golos são difíceis de explicar. O Rogério é completo, trabalha todos os aspectos. Linhas, compactações… tudo. Claro que exige tempo. Há diálogo e correção com vídeos. Entendemos cada vez melhor para termos a cara do Rogério Ceni”, explicou Filipe Luís, no Ninho do Urubu.

E mudar de treinador é algo normal no futebol, lembrou o internacional brasileiro, que vê o futebol no Brasil como um dos mais difíceis do planeta: “Isso é uma coisa que acontece desde que eu jogava no Figueirense, em 2003 ou 2004. O Jorge decidiu sair. Não é fácil. Como foi o Coudet no Inter. Técnicos são diferentes, tudo é diferente. Deve dar-se os parabéns para os clubes que conseguem ter calma. Mas o futebol brasileiro demonstra que é um dos mais difíceis do mundo. Pressão da comunicação social, dos adeptos… É o mais complicado”.

  NMT, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Novo ano letivo marcado pelo recorde de pedidos de bolsas de estudo no superior

Número crescente de alunos e perda de rendimentos das famílias são duas das razões apontadas para os pedidos recorde. O ano letivo 2021/22 ainda agora arrancou, mas já está a bater recordes no que respeita aos …

Urgências em Lisboa estão cheias. Situação pode piorar nas próximas semanas

As urgências do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, e do Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, estão em situação crítica, com tempos de espera elevados. A situação de calamidade multiplica-se em vários hospitais do país, de …

Portugal já tem 86% da população totalmente vacinada contra a covid-19

A vacinação completa contra a covid-19 abrange já 86% da população portuguesa e são já mais de nove milhões de pessoas as que têm pelo menos uma dose da vacina, de acordo com os dados …

Direção do CDS desautoriza Telmo Correia e defende eleições "o mais brevemente possível"

A direção do CDS-PP não gostou de ouvir o líder parlamentar dizer que a melhor altura para realizar eleições legislativas seria no final de janeiro ou fevereiro. Depois de uma reunião com o presidente da Assembleia …

Órban e Le Pen apoiam a Polónia e criticam "imperialismo" da UE

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Órban, e a líder da União Nacional (RN, na sigla em francês), Marine Le Pen, manifestaram esta terça-feira apoio à Polónia no conflito que mantém com a UE, a qual acusam …

Após goleada frente ao Bodø/Glimt, Mourinho põe de lado quatro jogadores

Em duas convocatórias consecutivas, José Mourinho deixou de fora quatro futebolistas que participaram na derrota por 6-1 frente ao Bodø/Glimt. Naquela que foi a maior derrota de sempre da carreira de José Mourinho, o Tottenham perdeu …

O que cai e o que fica: as medidas que o chumbo do OE deita por terra e as que permanecem

O grosso das medidas previstas na proposta de Orçamento do Estado para 2022 não deverá sair do papel. As aprovadas em Conselho de Ministros, por sua vez, manter-se-ão viáveis, já foram discutidas fora da sede …

Truque permite que o Orçamento não seja votado esta quarta-feira

Há um mecanismo que, se for acionado, permite que o Orçamento do Estado para 2022 sobreviva mesmo que não seja votado. O Orçamento do Estado para 2022 pode baixar à comissão sem votação. Este mecanismo, nunca …

Conceição reconhece supremacia do Santa Clara e admite culpa na derrota

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, reconheceu que o Santa Clara foi superior e diz-se culpado pela derrota pesada que deixa o clube fora da Taça da Liga. O FC Porto está fora da Taça …

"Vechtpartij", quadro de Jan Steen.

Antigos jogos de bebida acabavam em vinho derramado e esfaqueamentos

Hoje vistos como jogos de diversão para jovens, na antiguidade, os drinking games (jogos de bebida) eram comuns em toda a sociedade — e, por vezes, terminavam mal. O kottabos era um antigo jogo de bebida …