A Ciência está a um passo de fazer bebés só com mulheres

Uma equipa de investigação japonesa conseguiu produzir em laboratório as células que originam espermatozóides e óvulos a partir do sangue de uma mulher. Apesar de serem demasiado imaturas para dar origem a bebés, abre-se uma porta determinante para um novo mundo em que o sexo poderá ser prescindível no processo de reprodução.

Depois do caso do cientista chinês He Jiankui que chocou o mundo com o anúncio de que criou os primeiros bebés geneticamente modificados, uma investigação japonesa abre caminho para um novo mundo em que a genética poderá substituir o sexo no processo de reprodução humana.

Uma equipa de cientistas liderada pelo biólogo Mitinori Saitou, do Departamento de Anatomia e Biologia Celular da Escola de Medicina da Universidade de Quioto, no Japão, conseguiu criar células germinais primordiais humanas (as que antecedem as células germinais que originam o espermatozóide e o óvulo) a partir de células sanguíneas de uma mulher.

As células extraídas do sangue foram transformadas em células estaminais pluripotentes que podem transformar-se, por sua vez, em qualquer tipo de célula humana, como explicam os autores da pesquisa num artigo publicado na revista Science.

Essas células estaminais foram depois inseridas em mini-ovários “artificiais” criados em laboratório, usando células embrionárias de ratos, dando então origem a células germinais primordiais humanas.

Para já, não se conseguiu ainda desenvolver células suficientemente maturas para serem fertilizadas. Mas em 2012, em ensaios com ratos efectuados por Mitinori Saitou, já foi possível fazê-lo, obtendo células reprodutivas totalmente amadurecidas que originaram pequenos ratinhos.

A técnica conhecida como gametogénese in vitro consiste em criar em laboratório o processo de reprodução sem a intervenção de óvulos ou de esperma, obtendo-se os gâmetas masculino e feminino a partir da pele ou do sangue.

Este passo dado pelos investigadores japoneses é determinante no trilho para tornar prescindível a intervenção dos homens, já que ainda será necessário o útero da mulher para a implantação do embrião. Mas futuramente, até úteros artificiais podem vir a ser desenvolvidos.

“Se conseguirmos criar óvulos humanos e esperma a partir de células da pele, abre-se um enorme número de possibilidades para mudar como os humanos se reproduzem“, aponta o bioeticista Henry T. Greely, professor de Direito da Universidade de Stanford, nos EUA, e autor do livro “The End of Sex and the Future of Reproduction” [“O fim do sexo e o futuro da Reprodução”], em declarações à Rádio NPR.

George Clooney pode ter vários filhos sem querer

Há muitas vantagens que podem surgir fruto dos avanços nesta área, nomeadamente tornando mais baratos os processos de fecundação in vitro, já que deixaria de ser preciso crio-preservar óvulos ou recorrer a doadores de esperma.

As pessoas inférteis têm aqui uma nova esperança, tal como os casais do mesmo sexo que querem ter filhos com o seu próprio ADN. O desenvolvimento da técnica até pode inverter o relógio biológico e possibilitar a mulheres com 50 ou 60 anos serem mães com o seu próprio material genético.

Mas também há problemas éticos e riscos inerentes a este processo, já que “há muitas possibilidades estranhas que podem emergir”, como alerta o bioeticista Robert Green na NPR.

“Uma mulher pode querer ter um filho do George Clooney. E o seu cabeleireiro poderia começar a vender os seus folículos de cabelo online. Por isso, subitamente, poderíamos ter muitos progenitores do George Clooney sem o seu consentimento”, destaca Robert Green.

Henry T. Greely nota, por outro lado, que podem surgir dilemas morais relacionados com o desejo de criar bebés à medida, frisando que há “muitas implicações”, nomeadamente a possibilidade de “pais e, potencialmente, governos” poderem vir a escolher “que embriões prosseguem para se tornarem bebés”, em função das suas características analisadas em “testes genéticos”.

O tema é controverso e por isso as investigações nesta área são alvo de controlo apertado. Em países como Portugal, EUA, Reino Unido e China, a edição genética de embriões carece de aprovação prévia de diversos comités.

Por cá, é o Conselho Nacional de Procriação Medicamente Assistida (CNPMA) que analisa e autoriza este tipo de investigações. Em 2016, o CNPMA aprovou o primeiro projecto de investigação com recurso a embriões humanos, no âmbito de um estudo de implantação embrionária durante o tratamento de infertilidade.

O Governo japonês pretende aprovar, no início de 2019, um projecto de lei que permitirá a edição genética de embriões humanos, numa medida que é vista como um incentivo à investigação nesta área.

SV, ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. O titulo é muito tendencioso. Se podem fazer células pluripotenciais a partir do sangue, podem criar estas células a partir do sangue de homem ou mulher. E em relação ao útero – que a própria noticia diz que em breve será artificial, não esquecer que já foi desenvolvida há algum tempo a técnica de desenvolvimento em proveta e posteriormente a colocação do embrião no útero de outro mamífero grande (nos testes realizados foi um porco ou vaca).
    Portanto, e face à história da humanidade e o papel que a mulher teve (ou sofreu) neste desenvolvimento, a notícia não abona nada para o lado das mulheres.

Desmantelada rede criminosa ligada à imigração ilegal para a Europa

A polícia italiana deteve hoje 19 pessoas de uma rede criminosa dedicada ao tráfico e transporte ilegal de migrantes do Afeganistão, Irão, Iraque e Paquistão para a Itália e, posteriormente, para o norte da Europa, …

Nasceu o SeeArch, uma espécie de colete salva-vidas para resgates em mar aberto

Se uma pessoa se separar da sua embarcação em mar aberto, permanecer à tona não é o único desafio. Ser visto pelos salvadores é uma missão importante que o novo SeeArch, usável e insuflável, vai …

Há 127 concelhos que vão manter os limites no fim de semana. Saiba quais

Os concelhos que mantém risco muito elevado e extremamente elevado terão de manter até dia 23 deste mês as atuais restrições, incluindo de limitação de circulação ao fim de semana. Houve 27 concelhos que saíram …

Piscina mais profunda do mundo inaugurada na Polónia

Com 45 metros de profundidade, a piscina Deepspot foi recentemente inaugurada na Polónia. Vai servir de zona de treino para mergulhadores, bombeiros e forças armadas. A piscina mais profunda do mundo foi inaugurada esta semana em …

Mais 6087 novos casos de covid-19 em Portugal. Este é o maior número da semana

Portugal registou este sábado 6087 novos casos e 73 mortes por covid-19. No total, mais de 318 mil pessoas já foram infetadas com o novo coronavírus e 4876 morreram. Nas últimas 24 horas, mais 6165 …

Sedada e com um capuz sobre os olhos, a girafa Asiwa foi resgatada de uma ilha no Quénia

Conservacionistas, autoridades do Governo e membros da comunidade local uniram-se para resgatar oito girafas numa ilha no Quénia. A população de girafas em África tem diminuído nas últimas décadas devido à perda de habitat e à …

Governo mantém restrições. Exceções no Natal, mas no Ano Novo volta a ser proibida a circulação entre concelhos

António Costa falou hoje ao país para anunciar as novas medidas para a quadra festiva. O primeiro-ministro revelou que no Natal as medidas serão aliviadas, como já se esperava, porém voltam a apertar no Ano …

Joe Biden está a planear uma tomada de posse em versão reduzida. Trump pode não marcar presença

A pouco mais de um mês de tomar posse como Presidente dos EUA, Joe Biden anunciou que está a planear reduzir a dimensão da cerimónia para garantir a segurança devido à pandemia. Segundo o Público, Joe …

O Peru enfrenta o maior desafio político desde a ditadura de Fujimori. A responsabilidade está nas mãos de Sagasti

O novo presidente do Peru assumiu o cargo em 17 de novembro em circunstâncias nada desejáveis. O país, que até ao ano passado vinha a ser apontado como um exemplo na área económica, enfrenta agora …

Três anti-histamínicos mostram eficácia a inibir infeção pelo coronavírus

Três medicamentos anti-histamínicos mostraram alguma eficácia a inibir a infeção de células pelo novo coronavírus responsável pela covid-19, segundo os resultados preliminares de um estudo da Universidade da Florida divulgado na sexta-feira. As descobertas sobre os …