Já se sabe qual será a ementa dos futuros colonos de Marte (e inclui insetos e ovos falsos)

Se uma colónia de um milhão de humanos alguma vez existir em Marte, será necessário que dezenas de milhares de naves espaciais de suprimentos vão até ao Planeta Vermelho para deixar comida.

Só depois de 100 anos é que os novos colonos serão autossuficientes – e apenas se comerem plantas, insetos, algas, ovos falsos e leite falso. Esta é a conclusão de um relatório feito por Kevin Cannon e Daniel Britt, da University of Central Florida, nos Estados Unidos, que foi publicado em agosto na revista especializada New Space: The Journal of Space Entrepreneurship and Innovation.

“Uma cidade marciana não será alimentada com alface e tomates“, de acordo com o artigo que defende que, como as plantas não conseguem crescer no exterior e criar animais também não será possível, a tecnologia alimentar será crucial. “Computadores de alimentos, quintas automatizadas de insetos e agricultura celular permitirão dietas completas produzidas localmente em Marte”.

Segundo o artigo, poderá demorar cerca de 100 anos até que as colónias se tornem autossuficientes. “Modelamos as necessidades calóricas e as exigências de terra para um assentamento marciano permanente que atinja uma população de um milhão de pessoas e se torne auto-suficiente em alimentos dentro de um século. No modelo, as necessidades calóricas foram atendidas com alimentos produzidos localmente em Marte, combinados com as importações da Terra“.

De facto, seriam importadas grandes quantidades de alimentos. “Seriam necessárias dezenas de milhares de naves de suprimentos cheios de comida, mas esse número poderia ser muito reduzido por um aumento na capacidade de produção de alimentos durante os primeiros anos do assentamento”, de acordo com os investigadores, que argumentam que o alto custo inicial do desenvolvimento de uma indústria comercial de alimentos em Marte economizariam muito dinheiro a longo prazo, porque seriam necessários menos lançamentos.

O relatório não está ligado com os projetos de enviar humanos para Marte da NASA ou outras agências espaciais comerciais, mas sim com a proposta de assentamento permanente de Elon Musk, CEO da SpaceX. O empresário quer estabelecer uma colónia independente em Marte num calendário ambicioso.

Em 2020, quer enviar uma missão para confirmar recursos hídricos, identificar perigos e implementar uma infraestrutura inicial de energia, mineração e suporte de vida. Dois anos depois, quer enviar uma tripulação inicial para construir um depósito de propulsores e preparar-se para futuros voos da tripulação. Além disso, quer que naves levem entre 100 a 200 pessoas para Marte a cada 26 meses. Dentro de 50 a 100 anos, quer criar uma colónia de um milhão de habitantes.

“Ao fornecer uma espinha dorsal do transporte, a SpaceX espera estimular as empresas e os indivíduos a mudarem-se para Marte e assumir projetos de desenvolvimento para apoiar um crescente assentamento”. No entanto, os investigadores sugerem que serão necessários naves de reabastecimento de carga para materiais extras, como urânio para energia nuclear e platina para projetos de fabricação.

Cannon e Britt pensam que são necessárias muito mais investigações sobre a produção de alimentos em Marte antes que se tente estabelecer um assentamento marciano.

Os marcianos vão precisar de culturas de alto rendimento, como trigo e milho, geneticamente editadas para crescer em condições mais altas de CO2, provavelmente usando estufas internas de luz artificial, porque as tempestades de poeira bloqueariam a luz.

Também é necessário descobrir uma forma eficiente de produzir carne feita de insetos com melhor sabor, usando nutrientes em Marte.

O envio de alimentos para Marte será astronomicamente caro, portanto, os marcianos devem construir instalações de alimentos o mais cedo possível que usem principalmente recursos locais de Marte. Isso reduzirá drasticamente o número de naves de carga, embora tudo dependa das taxas de imigração.

A proteína será difícil de chegar a Marte. Os cientistas espaciais devem conversar com o movimento alternativo de proteínas para aproveitar os mais recentes desenvolvimentos em produtos de carne unicelular e proteínas à base de plantas.

Além disso, nada deve ser desperdiçado numa colónia humana marciana. O desperdício de alimentos deve ser dado como alimento aos insetos e o desperdício humano deve ser usado para fertilizar as plantas.

Nos primeiros anos de uma colónia marciana, só se pensaria numa coisa: sobrevivência. No entanto, as coisas podem mudar. “Para atender ao direito humano de sobrevivência, algum requisito diário mínimo de calorias e nutrição será uma atividade necessária para se estabelecer em qualquer lua ou planeta. Qualquer coisa acima desses requisitos mínimos, no entanto, poderia ser uma atividade comercial“, disse Ken Davidian, editor-chefe da New Space, segundo a Forbes.

Por isso, é possível que acabe por haver café, frutas extra ou qualquer outro alimento que exceda os requisitos mínimos. Os autores até sugerem que a produção e distribuição de alimentos podem formar uma parte significativa de uma economia crescente em Marte.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Curioso verificar como existe tanto empenhamento e dispêndio em imaginar sobreviver num planeta inóspito quando por cá onde temos todas as condições de habitabilidade e soam os alarmes de que tudo estamos a pôr em causa com a nossa indiferença, teimosamente aqueles que possivelmente melhor poderiam contribuir para a resolução do problema divertem-se noutros cantos do universo, será que já estarão enjoados disto tudo?

    • Provavelmente daqui a alguns milhões de anos a terra não terá mais condições de abrigar vida. A solução mais viável e terraformar outro planeta e o de maior probabilidade é Marte por estar mais próximo da terra. É lógico que nos próximos séculos as agências espaciais deverão dispender de volumes altíssimos de dinheiro, porém com o passar do tempo novas tecnologias surgirão possibilitando diminuir drasticamente as despesas de viagens interplanetárias.

  2. Os caras não resolvem nem os problemas aqui da Terra e querem pensar rm Marte. Só um idiota ou louco da cabeça iria pra um planeta assim. Poderia mandar o Luladrao e toda s corja do PT lá pra Marte. A população brasileira aplaudiria de pé essa iniciativa, inclusive acompanharia o embarque( só de ida, claro ).

RESPONDER

Autarca de Cascais associa festa privada de luxo a “número muito expressivo” de casos

O presidente da Câmara Municipal de Cascais associou este sábado uma festa privada, organizada num clube de luxo na Avenida de Liberdade, a "um número muito expressivo de casos" registado no concelho. "A festa de aniversário …

João Almeida acaba em 4.º e faz história no Giro. É o melhor português de sempre na prova

O português João Almeida (Deceuninck-QuickStep) subiu este domingo ao quarto lugar final da 103.ª edição da Volta a Itália em bicicleta, no contrarrelógio da 21.ª etapa, que 'coroou' o britânico Tao Geoghegan Hart (INEOS). O português …

Santo Stefano paga 8.000 euros por ano a quem quiser viver na vila medieval italiana

Santo Stefano di Sessanio, uma vila medieval em Abruzzo, uma região no lado leste do centro-sul da Itália, está disposta a pagar a quem quiser mudar-se e começar um negócio nesta pequena localidade. Uma pequena vila medieval …

Portugal com mais 19 mortos e 2.577 casos confirmados

Portugal contabiliza este domingo mais 19 mortos relacionados com a covid-19 e 2.577 casos confirmados de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o boletim este …

Espanha decreta novo estado de emergência. Durará seis meses e terá recolher obrigatório

O Governo de Espanha aprovou este domingo o estado de emergência sanitária que permitirá a instauração do recolher obrigatório em todo o país para travar a de casos do novo coronavírus, anunciou o primeiro-ministro. O estado …

CDS quer saber se proibição de deslocações entre concelhos exclui assistir a espetáculos

O grupo parlamentar do CDS-PP questionou este sábado o Governo se a proibição de deslocações durante o fim de semana dos Fiéis Defuntos exclui deslocações para assistir a espetáculos culturais, querendo saber como justifica a …

Pandemia "roubou" dez anos à almofada financeira das reformas

O jornal Público escreve este domingo que dez meses de pandemia foram o suficiente para encurtar em uma década o prazo previsto até ao esgotamento do fundo que serve de almofada financeira para o sistema …

Chicago tem a maior praga de ratos dos Estados Unidos (pelo 6.º ano consecutivo)

Chicago, a cidade mais populosa do estado do Illinois, é, pelo sexto ano consecutivo, aquela que tem a maior praga de ratos dos Estados Unidos. Uma empresa de controlo de pragas garante receber mais chamadas …

Presidente da Samsung morre aos 78 anos

O presidente da Samsung Electronics, Lee Kun-hee, morreu este domingo aos 78 anos, disse o grupo sul-coreano em comunicado. Lee, que transformou o grupo num gigante global das telecomunicações, estava acamado desde um ataque cardíaco em …

Chuva de críticas à F1 em Portimão. Organização promete expulsar quem não cumprir distanciamento

Fotografias das bancadas da Fórmula 1 em Portimão começaram a correr este sábado nas redes sociais, gerando alguma polémica e descansando uma série de críticas, uma vez que as bancadas pareciam ter mais público do …