Já se sabe porque há leoas “transexuais” no Botswana

Twitter

Uma leoa “transexual”, com juba, ao lado de um leão no Botswana.

Leoas com juba, que rugem como os leões, que protegem a manada e que até montam fêmeas. Ninguém sabe explicar como é que as chamadas leoas “transexuais” do Botswana existem, mas já se sabe porquê – é do excesso de testosterona.

O zoólogo britânico Geoffrey D. Gilfillan passou os últimos dois anos a estudar cinco leoas da reserva Moremi Game, no Botswana, que apresentam comportamentos típicos de machos, exibindo, nomeadamente, umas estonteantes jubas – a juba é um dos traços mais característicos dos leões que as usam para atrair fêmeas.

O investigador concentrou-se, em particular, na leoa que mais alterações revelava, SaF05, que era bem maior do que a maioria das fêmeas e que chegou a matar as crias de outra manada, atitude que é raro verificar-se nas leoas.

“Embora SaF05 fosse essencialmente fêmea no seu comportamento – ficando com a alcateia, acasalando com os machos -, também tinha alguns comportamentos masculinos, como a marcação de território com odor e um rugir acentuados, bem como montar outras fêmeas”, conta o investigador da Universidade de Sussex, no Reino Unido, em declarações à New Scientist.

“Embora as fêmeas rujam e marquem o território como os machos, habitualmente fazem-no muito menos frequentemente. Contudo, SaF05 era muito mais masculina no seu comportamento“, acrescenta Gilfillan.

Esta “transexualidade” das leoas deve-se aos altos níveis de testosterona, concluiu o investigador, após a pesquisa de dois anos, descrita num artigo publicado na African Journal of Ecology.

A ideia é reforçada pelo facto de as cinco leoas com juba nunca terem ficado prenhes, apesar de terem sido vistas a acasalar. Um sinal de que “são inférteis, uma conhecida consequência de altos níveis de androgénios [hormonas masculinas] como a testosterona nas fêmeas”, explica Kathleen Alexander, da Universidade Técnica da Virgínia, nos EUA, citada pela New Scientist.

Agora, falta apenas descobrir porque é que as cinco leoas apresentam esse excesso de produção de testosterona, especulando-se que possa ser devido a uma particular predisposição genética destas fêmeas.

Em 2012, a propósito do caso de uma leoa com juba, num Jardim Zoológico da África do Sul, o biólogo Luke Hunter, presidente da organização sem fins lucrativos Panthera, que defende a preservação dos felinos, dizia à National Geographic que poderiam estar em causa alterações verificadas aquando da concepção ou da formação no útero.

“A contribuição genética do esperma – o que determina o sexo do feto na maioria dos mamíferos – foi provavelmente aberrante, dando nascimento a uma fêmea com algumas características masculinas”, dizia Hunter, vaticinando ainda que, por outro lado, “o problema pode ter ocorrido durante a gestação, se o feto foi exposto a níveis aumentados de androgénios como a testosterona”.

Emma, a leoa sul-africana com juba

Em 2011, a leoa Emma transformou-se num caso de estudo porque começou-lhe a crescer uma farta juba que espantou os seus cuidadores no Jardim Zoológico da África do Sul.

Como se explica no site da NZG, a associação que gere os Zoos sul-africanos, verificou-se que Emma tinha problemas hormonais que lhe aumentavam os níveis de testosterona.

Após se ter procedido à remoção dos ovários da fêmea, conseguiu-se constatar que estes continham apenas “células normalmente encontradas nos testículos dos machos“. Um dado que aguçou ainda mais, a curiosidade, já que a leoa já tinha parido quatro crias, sinal de que teria os ovários em perfeito funcionamento nessa altura.

Os investigadores não conseguiram explicar porque é que os ovários de Emma terão sido alterados, mas quando os removeram, a fêmea perdeu a juba.

E apesar deste desconhecimento que persiste, Luke Hunter trata de salientar na New Scientist que não é “nada que nos deva preocupar”, já que as leoas “transexuais” do Boswana parecem ter “vidas longas e saudáveis” e uma vez que não há indícios de que “o padrão esteja a aumentar ou de que alguma vez venha a ser mais do que um raro fenómeno local”.

SV, ZAP

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Também por cá anda muita gente com excesso de testosterona, muitos e muitas apanham-na apenas no cérebro e depois ataca-lhes o corpo todo.

  2. “Leoas com juba, que rugem como os leões, que protegem a manada (…)”; “Embora SaF05 fosse essencialmente fêmea no seu comportamento – ficando com a alcateia (…)”. Então um conjunto de leões, primeiro é uma manada e depois já é uma alcateia??? Ovalhamedeus! Nem uma coisa nem outra: manada é de bovídeos e alcateia é de lobos. Ainda aceito que pudesse ser uma alcateia, à falta de melhor, mas uma manada? Estou mesmo a ver o filme: uma manada de leões ataca uma manada de búfalos!!!

RESPONDER

"Ponte" biodegradável pode curar lesões nervosas do sistema nervoso periférico

Investigadores da Universidade de Pittsburgh descobriram recentemente uma "ponte" biodegradável que poderá ajudar no tratamento de lesões nos nervos e a recuperar cerca de 80% da função nervosa. As lesões superficiais que ocorrem no sistema nervoso …

Os polegares dos neandertais adaptaram-se a ferramentas com pega

Os polegares dos neandertais adaptaram-se para segurar melhor ferramentas com pega, da mesma forma como utilizamos atualmente um martelo, revela uma nova investigação da Universidade de Kent, no Reino Unido. A mesma investigação sugere ainda …

Sporting 2-1 Moreirense | JackPote rende pontos ao “leão”

O “Leão” soma e segue na liderança do campeonato, depois de vencer o Moreirense por 2-1, graças a um bis Pedro Gonçalves. Neste sábado, na recepção ao Moreirense, num embate relativo à oitava jornada, sofreu, mas conseguiu …

Raro crustáceo parasita descoberto na boca de um tubarão em exibição num museu

Uma equipa de cientistas descobriu uma espécie extremamente rara de Cymothoidae na boca de um espécime de tubarão capturado no Mar da China Oriental e agora em exibição num museu. Os Cymothoidae são uma família de isópodes …

Série da Netflix faz disparar venda de jogos de xadrez nos Estados Unidos

A série "The Queen’s Gambit", da plataforma de streaming Netflix, que retrata a ascensão de uma jovem jogadora de xadrez na década de 1950, fez disparar as vendas deste jogo de tabuleiro nos Estados Unidos. …

Novo comité central do PCP eleito com 98,5%

O novo comité central do PCP foi este domingo eleito no XXI congresso nacional dos comunistas, em Loures, com 98,5% dos votos. Dos 611 delegados, 602 votaram a favor, seis abstiveram-se e três votaram contra na …

Elefante salvo de um poço profundo na Índia. Resgate durou 14 horas

Uma equipa de 50 pessoas ajudou a salvar um elefante que tinha caído num poço profundo em Dharmapuri, no sul da Índia. Moradores locais atiraram folhas de bananeira para o animal comer antes de ser …

Santa Clara 0-1 Porto | Magia de Díaz resolve jogo pobre

Missão cumprida. O Porto viajou até aos Açores para defrontar o Santa Clara e leva na bagagem os três pontos. Mas não o conseguiu com brilhantismo, longe disso. A eficácia foi a palavra de ordem, num …

Raro pinguim totalmente branco encontrado nas Ilhas Galápagos

Um raro pinguim com o corpo totalmente "pintado" de branco foi encontrado no arquipélago das Galápagos, no Equador. Em comunicado, o Parque Nacional das Galápagos detalha que o raro espécime foi encontrado enquanto um guia fazia …

A China tem 8 milhões de cegos, mas apenas 200 cães-guia. Há uma razão

A China tem 8 milhões de cegos, mas apenas 200 cães-guia. As cidades populosas, as vias não adaptadas, as poucas escolas de treino e a própria população são entraves à existência destes companheiros (e verdadeiros …