Itália investiga empresas de entrega de comida. Há estafetas tratados “como escravos”

Itália está a investigar as empresas de entrega de comida online, com um promotor a lamentar que os estafetas que fazem as entregas, muitos deles imigrantes, são praticamente tratados “como escravos”.

Procuradores de Milão avançaram que quatro grandes empresas de entrega em Itália receberam 90 dias para melhorar o tratamento dispensado aos estafetas, incluindo o fornecimento de bicicletas seguras, seguros de acidentes, contratos de trabalho e treino, entre outras proteções de trabalho.

As autoridades avançaram ter emitido um total de 733 milhões de euros em multas.

A promotora Tiziana Siciliano disse, citada pela Associated Press, que as entregas “representam um elo fundamental, sem o qual os negócios não poderiam funcionar”.

A agência de notícias italiana LaPresse disse que três das quatro empresas emitiram declarações expressando surpresa e alegando que oferecem flexibilidade e segurança aos entregadores.

Com cafés e restaurantes fechados total ou parcialmente durante meses sob as restrições da pandemia de covid-19, estafetas a carregar caixas de comida ‘zumbiam’ pelas grandes e pequenas cidades para ajudar a manter inúmeros italianos alimentados e seguros nas suas casas.

As quatro empresas têm cerca de 60 mil funcionários que usam bicicletas e scooters, e quase nenhum destes trabalha com qualquer tipo de contrato, contribuições para pensões, férias remuneradas, licença médica ou cobertura de acidentes, disseram os procuradores em Milão.

Os estafetas ganham cerca de quatro euros por cada entrega, sendo que os promotores avançaram, numa conferencia de imprensa, que as empresas usam algoritmos para determinar quais os estafetas que recebem mais entregas, e esses são chamados para ainda mais trabalho.

“Não é mais tempo de dizer que são escravos, mas é hora de dizer que são cidadãos”, disse o procurador Francesco Greco aos jornalistas, acrescentando que os investigadores aplicaram “não uma abordagem moral ao assunto, mas legal”.

A indagação surgiu de uma investigação de 2019 sobre acidentes de rua envolvendo estafetas de entrega de comida através de bicicletas.

As empresas também estão sob investigação para determinar se podem ter violado as leis tributárias, disseram os procuradores.

Lusa // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Já pode "adotar" um pedaço de Notre-Dame para ajudar na sua reconstrução

Uma organização está a dar a oportunidade de o público ajudar na reconstrução de artefactos específicos da catedral de Notre-Dame, em França, que foi parcialmente destruída por um incêndio em 2019. De acordo com a cadeia …

Proporção divina identificada na gerbera

Descobrir como se formam os padrões distintos e omnipresentes das cabeças das flores tem intrigado os cientistas há séculos. Quando se pede a alguém que desenhe um girassol, quase todas as pessoas desenham um grande círculo …

Audi apresenta o novo Q4 e-tron que traz uma autonomia até 520 km

Ainda antes do verão, a Audi vai colocar no mercado o seu primeiro SUV elétrico concebido de raiz e não adaptado a partir de uma plataforma concebida para motores a combustão. O Q4 e-tron destaca-se pela …

Vanuatu em alerta depois de um corpo com covid-19 ter dado à costa

Vanuatu proibiu viagens de e para a sua principal ilha três dias depois de ter dado à costa um corpo de um pescador filipino, que testou positivo à covid-19. De acordo com a Radio New Zealand, …

Cientistas russos querem criar a primeira vacina comestível contra a covid-19

O Instituto de Medicina Experimental de São Petersburgo, na Rússia, anunciou o seu plano de concluir dentro de um ano os testes pré-clínicos da primeira vacina comestível do mundo contra o novo coronavírus. Em entrevista à …

Em plena crise política, o país mais pobre das Américas ainda não recebeu nenhuma vacina

Numa altura em que a maior parte dos países já têm o processo de vacinação a decorrer, o governo do Haiti ainda não garantiu uma única dose da vacina contra o coronavírus. O país mais pobre …

Afinal, Leonardo da Vinci não esculpiu o busto de Flora

Está terminada a controvérsia que durou mais de cem anos após a aquisição do Busto de Flora em 1909, por Wilhelm von Bode. A datação por radiocarbono revelou, recentemente, que a obra não foi …

Crise climática "implacável" intensificou-se em 2020, diz relatório da ONU

Houve uma intensificação "implacável" da crise climática em 2020, com a queda temporária nas emissões de carbono devido ao confinamento a ter um impacto pouco significativo nas concentrações de gases de efeito de estufa, revelou …

Já se sabe o que causou a misteriosa "tempestade de asma", que vitimou dez pessoas em 2016

Em 2016, na cidade de Melbourne, aconteceu o evento de "tempestade de asma" mais grave do mundo. Os cientistas descobriram agora o culpado. No dia 21 de novembro de 2016, as urgências de um hospital em …

Carlos César reivindica papel do PS na construção da democracia e no combate à corrupção

O presidente do PS defendeu, esta segunda-feira, que se deveu ao seu partido o aprofundamento da democracia e os avanços no combate à corrupção, embora admitindo desvios", "erros" e "omissões num ou outro momento da …