Israel quer leiloar bens doados pela União Europeia aos palestinianos

Abir Sultan / EPA

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel

A tensão entre Israel e a União Europeia (UE) está a aumentar. Tudo por causa de bens doados pela UE aos palestinianos, para a construção de escolas, que foram confiscados pelas autoridades israelitas.

A UE quer recuperar os materiais que foram apreendidos por Israel sob a alegação de que as escolas pré-fabricadas com os bens doados foram construídas de forma ilegal. Os planos de Israel passam por os leiloar, como é habitual nos casos de apreensões na Palestina.

As autoridades israelitas planeavam vender os bens num leilão público, nesta semana. Mas este foi adiado depois de várias notícias terem reportado a intenção do Governo de Israel e de a UE ter manifestado o seu desagrado.

Oficialmente, o adiamento é justificado por razões “técnicas”, mas parece evidente que Israel procura alcançar um entendimento com a UE para evitar que as relações diplomáticas entre as partes se deteriorem ainda mais.

O jornal israelita Haaretz adianta que a UE terá rejeitado um acordo com Israel que passava por recuperar as estruturas em troca do compromisso de não as doar novamente aos palestinianos sem que Israel autorize um “plano adequado de construção”.

A UE espera recuperar os bens sem qualquer contrapartida, alegando que está a actuar ao abrigo do “direito humanitário internacional”. Assim, apela às autoridades israelitas para “devolverem os itens confiscados sem pré-condições, o mais brevemente possível”.

Caso contrário, devem fornecer uma “compensação sem demora pelos bens desmantelados”, destaca a UE numa nota pública, realçando que “o prejuízo financeiro directo” que lhe é causado devido à apreensão é de “15.320 euros”.

Reconhecendo que Israel tem o poder “administrativo” e a “responsabilidade de segurança” da zona, a UE frisa que o Governo do país também tem “a obrigação de proteger e de facilitar o desenvolvimento para a população local“, bem como “conceder acesso sem restrições à assistência humanitária”.

Os materiais doados pela UE foram confiscados em Outubro de 2018 quando as autoridades israelitas desmantelaram dois edifícios pré-fabricados que deveriam ser usados como salas de aula por 49 crianças palestinianas em Ibziq, localidade perto de Nablus, no norte do território.

Nessa altura, Israel confiscou também tendas à comunidade Al-Hadidiya perto do Vale do Jordão.

Este tipo de apreensões são recorrentes na Palestina e, por norma, Israel leiloa os bens confiscados ao cabo de 90 dias, caso os seus proprietários não os reclamem.

A UE teme que as estruturas apreendidas sejam vendidas a colonos israelitas.

SV, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Nona Sinfonia de Beethoven revela novos detalhes sobre o cérebro humano

A Nona Sinfonia de Ludwig van Beethoven, 250 anos após a sua criação, ajudou a demonstrar a existência de células conceituais no cérebro. Quase 200 anos depois da morte de Beethoven, a maior obra do músico …

Governo vai suspender devolução dos manuais escolares

O ministro da Educação informou hoje que o Governo vai suspender a devolução de manuais escolares, em curso desde 26 de junho, cumprindo a decisão do parlamento, que aprovou uma proposta nesse sentido. O plenário da …

Cuba prestes a abrir portas ao turismo (exceto aos cubano-americanos)

Depois de fechar as suas fronteiras para os turistas no final de março por causa da pandemia da covid-19, Cuba prepara-se agora para reabrir várias das suas baías ao turismo - mas há algumas exceções. …

Cidade do México enterrou os rios para prevenir doenças, mas a covid-19 resiste e prospera

Na tentativa de evitar a disseminação de doenças como a malária e a cólera, a Cidade do México enterrou os seus rios. Agora, como consequência, criou inadvertidamente as condições necessárias para a covid-19 prosperar. A Cidade …

Descoberto sistema de túneis da I Guerra onde estarão enterrados dezenas de soldados

A Agência do Património da Bélgica anunciou esta semana a descoberta de um sistema de túneis alemão da I Guerra Mundial, onde estarão, muito provavelmente, dezenas de soldados enterrados. Em comunicado, citado pela Russia Today, …

Cinco funcionários da Tesla dizem ter sido despedidos por terem ficado em casa durante a pandemia

Cinco funcionários da produtora automóvel Tesla dizem ter sido despedidos por terem ficado em casa durante a pandemia, avança o The Washington Post. De acordo com o jornal norte-americano, foram cinco os colaboradores dispensados da …

"Qual o lugar mais seguro?". Costa compara infetados no Reino Unido e Algarve

O primeiro-ministro apresentou hoje uma tabela que mostra o Reino Unido muito acima do Algarve em número de infetados com covid-19 por cem mil habitantes e pergunta qual o lugar mais seguro para umas férias …

Azul anuncia venda de 6% da TAP ao Estado por 10 milhões de euros

A companhia aérea brasileira Azul, de David Neeleman, anunciou hoje a venda de 6% da TAP, no âmbito do acordo anunciado esta quinta-feira entre o Estado e os acionistas privados, que “garante a continuação” da …

NASA cria dispositivo que o avisa para não tocar no rosto (e pode ser reproduzido em casa)

A pensar na pandemia, a NASA desenvolveu o PULSE, um colar vibratório que nos alerta se formos tocar no rosto com as nossas mãos. A pandemia de covid-19 alastrou pelo mundo e, enquanto não chega um …

Há mais 11 mortes e 374 novos casos de infecção (300 são na Grande Lisboa)

Portugal regista hoje mais 11 mortos devido à doença covid-19 do que na quinta-feira e mais 374 infectados, dos quais 300 na Região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo o boletim da Direcção-Geral da …