Israel lança primeira nave espacial privada. Destino? Lua

Marshall Space Flight Center / NASA

Uma sonda, financiada inteiramente por fundos privados, vai tentar pousar na superfície da Lua. É desta forma que Israel procura inscrever o seu nome na história da exploração espacial.

Os olhos estão postos no Espaço, e desta vez o centro das atenções não é um eclipse. Esta sexta-feira foi lançada para o Espaço a primeira missão lunar privada, feito tentado pela SpaceIL, uma empresa israelita sem fins lucrativos.

A sonda que vai alunar chama-se Beresheet, e significa “génesis” em hebraico. O lançamento aconteceu esta sexta-feira, por volta das 01h45 de Portugal Continental, a bordo do foguetão da SpaceX. A alunagem deverá acontecer daqui a sete semanas, no dia 11 de abril.

Em vídeo, a SpaceIL explica que será preciso uma boa colaboração entre a sonda e as órbitas terrestre e lunar para que a missão seja bem sucedida, um processo que não promete ser nada meigo, adianta o Insider.

Os especialistas esperam que a sonda esteja ativa durante dois anos. Beresheet pode mesmo tornar-se no primeiro equipamento privado a pousar na superfície da Lua.

Segundo o The Verge, o custo desta missão, financiada por fundos privados, deverá rondar os 90 milhões de dólares, sendo que deste valor apenas dois milhões foram financiados pelo Governo de Israel.

Na verdade, a financiada inteiramente por fundos privados, tem pela frente uma “missão impossível”. No entanto, apesar disso, esta organização tem vindo a preparar-se ao longo dos anos para este momento. Durante anos, a organização foi participante do Lunar X Prize, uma competição que contava com o apoio da Google e que previa um prémio para o primeiro projeto privado a pousar na Lua.

O prazo do concurso foi prolongado algumas vezes, mas, mesmo assim, nunca ninguém conseguiu concluir a missão dentro do prazo estipulado. A entidade não quis abandonar o seu trabalho, e continuou a desenvolver a sua sonda, lançada para o Espaço esta sexta-feira.

Na Lua, a Beresheet deverá enviar fotografias e vídeos da superfície do satélite e deverá recolher informações do campo magnético para, posteriormente, enviar para a Terra. Este pode ser o início de uma corrida lunar, sem contar com dinheiros estatais.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.