24 horas depois, Israel anula acordo com ONU sobre migrantes

Kremlin.ru / Wikimedia

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel

Apenas algumas horas depois de ter anunciado o acordo, o chefe de governo israelita já tinha suspendido a aplicação do mesmo.

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, anunciou esta terça-feira a anulação do acordo com a ONU que previa a regularização de milhares de migrantes africanos em Israel e a reinstalação de um número semelhante em países ocidentais.

“Após ouvir numerosas críticas ao acordo, analisei as vantagens e os inconvenientes e decidi anular este acordo“, afirmou Netanyahu, num comunicado do seu gabinete.

O acordo com o Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados previa a instalação em países ocidentais, nomeadamente o Canadá, a Alemanha e Itália, de mais de 16.000 migrantes africanos que se encontram em Israel. Em contrapartida, Israel daria o estatuto de residente temporário a um número semelhante.

Seria assim resolvida a situação de mais de 30 mil migrantes africanos em Israel – em particular eritreus e sudaneses – que não têm em curso um processo de pedido de asilo e que deveriam ser expulsos do país de acordo com um controverso plano governamental entretanto cancelado.

Quando anunciou na segunda-feira, na rede social Facebook, que tinha decidido suspender o acordo, Netanyahu afirmou ter prestado atenção às críticas de habitantes de Telavive, onde vive a maioria daqueles migrantes.

Mas o anúncio do acordo também provocou reações fortes junto da direita israelita. A ministra da Justiça, Miri Regev, uma indefetível de Netanyahu, e o ministro da Educação, Naftali Bennett, pronunciaram-se contra o acolhimento de “clandestinos” em Israel.

A oposição, de esquerda, que tinha saudado o acordo, criticou o primeiro-ministro quando o suspendeu.

“Apesar das restrições jurídicas e de crescentes dificuldades, vamos continuar a trabalhar com determinação para fazer sair os clandestinos do país“, adiantou hoje Netanyahu, de acordo com o comunicado do seu gabinete.

Segundo as autoridades israelitas, vivem atualmente em Israel 42.000 migrantes africanos. As mulheres e as crianças não estavam ameaçadas de expulsão pelo plano governamental inicial.

Os migrantes chegaram, na sua maioria, a Israel depois de 2007, infiltrando-se no país através do Sinai egípcio, e instalaram-se sobretudo nos bairros pobres de Telavive.

De acordo com a revista Visão, existem no mundo 65 milhões de pessoas em condições de fuga forçada, quer pela guerra, por perseguição política, étnica ou religiosa: este é um número recorde, desde a fundação das Nações Unidas em 1945.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Uma estranha e rara molécula foi detetada na atmosfera de Titã

Uma equipa de cientistas da NASA identificou uma estranha e rara molécula na atmosfera de Titã, o maior satélite natural de Saturno. Em comunicado, os cientistas detalham que em causa está a molécula de ciclopropenilideno …

Paços 3-2 Porto | “Castor” épico tomba “dragão” com pés de pau

Surpresa na Capital do Móvel. O campeão nacional FC Porto foi a Paços de Ferreira averbar a segunda derrota nesta Liga NOS, saindo com um resultado desfavorável de 3-2. Num terreno tradicionalmente difícil – os “dragões” …

Teoria da Relatividade de Einstein observada em estrelas distantes

O que é que Albert Einstein, o GPS e um par de estrelas a 29.000 anos-luz da Terra têm em comum? A resposta é um efeito da Teoria Geral da Relatividade de Einstein chamado "desvio gravitacional …

Encontrada possível localização do gigante Snow Cruiser. Está perdido na Antártida há 60 anos

O Snow Cruiser era um veículo de exploração enorme enviado ao Pólo Sul em 1939 que ficou preso após desembarcar na Antártida e foi abandonado alguns anos depois. Redescoberto sob vários metros de neve e gelo …

Mbappé tem uma "mancha" na Liga dos Campeões

Números invulgares do avançado do PSG, que em 2020 ainda não marcou qualquer golo no torneio europeu. Pires e Rami falaram sobre o seu futuro. Kylian Mbappé. Visto por muita gente como o melhor avançado do …

Administração de Nixon recebeu um Nobel por um cessar-fogo que não existiu

O prémio Nobel da Paz foi atribuído em 1973 ao secretário de Estado da Administração de Richard Nixon, e seu assessor de segurança nacional, Henry Kissinger, e ao político vietnamita Le Duc Tho. As duas personalidades foram …

Cidade usa satélite para medir poluição luminosa (e os candeeiros de rua não são o maior problema)

As cidades do mundo desperdiçam uma grande quantidade de eletricidade - e dinheiro - ao deixar ligadas luzes brilhantes durante a noite toda. Porém, os candeeiros de rua não são os maiores culpados. Uma experiência de …

Prevenir uma futura pandemia pode estar dependente de apenas três medidas (e podem ser aplicadas já)

Até 70% das doenças infecciosas que surgiram nos humanos nos últimos 30 anos tiveram origem em animais e foram causadas por patogénicos originados em animais domésticos ou selvagens. Agora, um relatório lança aos princípios básicos …

"Não se torne um fantasma real". Coreia do Sul teme aumento de casos devido ao Halloween

A Coreia do Sul teme que as festividades do Halloween levem a um aumento de casos de covid-19 no país. Assim, para evitar que tal aconteça, investiram numa campanha de informação pública para apelar aos …

Trump Jr. diz que as mortes por covid-19 se reduziram a "quase nada". Têm morrido 1.000 pessoas por dia

Donald Trump Jr., o filho mais velho do Presidente norte-americano, afirmou esta quinta-feira que a taxa de mortalidade por covid-19 caiu para "quase nada nos Estados Unidos", num dia em que o país registou quase …