/

Isabel do Santos desmente ação contra João Lourenço mas processo deu entrada no Supremo

(dr) Mercado

A empresária Isabel dos Santos, filha mais velha do antigo presidente de Angola, José Eduardo dos Santos

Isabel do Santos, filha do antigo Presidente da Angola, desmente ter entrado com uma ação contra o atual Presidente João Lourenço. No entanto, o processo cível contra o Estado deu entrada no Supremo.

De acordo com o Expresso, a Atlantics Ventures, empresa detida por Isabel dos Santos, pediu às autoridades angolanas a revogação decretada por João Lourenço dos direitos de construção do futuro Porto da Barra do Dande.

O semanário dava conta nesta sexta-feira que a empresária tinha entrado com um processo conta João Lourenço, iniciativa esta que a própria Isabel dos Santos acabaria por desmentir. No entanto, fonte judicial ouvida pelo jornal reafirma que a empresária deu mesmo entrada com uma ação cível contra o Estado angolano.

“[Isabel dos Santos] terá ponderado e até pode recuar depois de ter medido as consequências que adviriam daí para os seus negócios ligados por exemplo ao Candando ou a UNITEL”, adiantou ao Expresso fonte governamental próxima do processo.

No mesmo dia, o Diário de Notícias dava conta que Isabel dos Santos teria também colocado uma ação contra o Presidente angolano em Paris.

Em causa no alegado processo, estaria a anulação do contrato de construção do Porto da Barra do Dande no valor de 1,5 mil milhões de dólares (1278 milhões de euros), que lhe foi atribuída, dias antes da investidura do atual chefe de Estado.

Segundo o semanário, as autoridades angolanas concluíram que tinham sido induzidas por Isabel dos Santos “a cometer atos ilegais e ilícitos” através de “uma empresa com meros três meses de constituição no cartório” – a Atlantic Ventures que foi utilizada como veículo para a concessão do projeto.

Isabel dos Santos nega processo

A empresária angolana Isabel dos Santos negou esta sexta-feira ter avançado com um processo cível contra o Presidente de Angola, João Lourenço.

“A notícia não corresponde à verdade: a Eng.ª Isabel dos Santos não moveu qualquer processo contra S. Exa. Presidente de Angola, General João Lourenço, nem contra nenhuma pessoa física, em relação à concessão do Porto da Barra do Dande”, esclareceu em comunicado enviado às redações.

Deixando ainda claro que “a Atlantic Ventures, na qualidade de entidade adjudicatária da mencionada concessão, solicitou um procedimento arbitral e requereu ao Estado Angolano a avaliação jurisdicional do ato administrativo de revogação da concessão, nos termos previstos e permitidos pela legislação angolana.”

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.