Inteligência Artificial reconstrói o que vemos ao ler as ondas cerebrais

Investigadores da Universidade de Toronto, no Canadá, criaram uma Inteligência Artificial (IA) capaz de ler mentes e recriar imagens vistas por seres humanos com base na sua atividade cerebral.

O primeiro passo da equipa foi alimentar um grande número de imagens de rostos a uma rede neural, com o objectivo de a ensinar a detetar características e padrões.

Depois de ter aprendido a distinguir características, a IA aprendeu a combinar essas características com padrões de atividade cerebral registados em exames de eletroencefalograma (EEG), observando esses mesmos rostos.

De acordo com Dan Nemrodov, que participou no estudo, quando a mente humana vê algo, o nosso cérebro cria uma perceção mental, que é essencialmente uma impressão mental do objeto visto.

“Conseguimos capturar esta perceção usando EEG para obter uma ilustração direta do que está a acontecer no cérebro durante esse processo”, explicou em comunicado.

Voluntários observaram imagens de rostos utilizando sensores de EEG. Em seguida, a IA foi capaz de reconstruir esses rostos usando as informações lidas a partir desses EEGs, com uma precisão surpreendente.

“Não só a IA pode produzir uma reconstrução baseada no que uma pessoa estava a perceber, mas também do que se lembrava e imaginava, no que queria expressar”, disse Adrian Nestor, um dos autores do estudo, publicado no final de janeiro na revista eNeuro.

Segundo a equipa, a tecnologia pode revelar o conteúdo subjetivo da nossa mente e fornecer uma maneira de aceder, explorar e partilhar o conteúdo da nossa perceção, memória e imaginação.

Os resultados dessa pesquisa podem ter aplicações práticas, por exemplo, para pessoas que não conseguem comunicar verbalmente. Se a experiência lhe trouxe à memória “Black Mirror”, acertou em cheio. A equipa também afirmou que, no futuro, a tecnologia poderia ser usada como forma de combater o crime.

“Também poderia ter usos forenses para a aplicação da lei na recolha de informações de testemunhas oculares sobre possíveis suspeitos, em vez de confiar em descrições verbais fornecidas a um artista para criar um retrato falado”, explicou Nestor.

Por outras palavras, em vez de descrever um crime que testemunhou, os polícias acederiam ao cérebro da testemunha ocular para obter uma imagem mais precisa do que viu e do que se lembra dos eventos. O crime e o rosto do criminoso poderiam assim ser reconstruidos a partir das ondas cerebrais.

Esta não é a primeira vez que imagens de rostos de pessoas são reconstruidas a partir de exames cerebrais, mas é a primeira vez que isso é feito com EEG. A técnica aprofunda a perceção da mente das pessoas e reconstrói o que veem de forma mais barata, portátil e acessível do que nunca.

PARTILHAR

RESPONDER

Casaco e guitarra de Kurt Cobain vão a leilão (e valem milhares de euros)

O casaco que o líder dos Nirvana usou no lendário concerto MTV Unplugged in New York vai ser leiloado, com um preço de venda estimado em 270 mil euros. Uma guitarra de Cobain pode ficar …

"50 sombras" da Idade Média. Páginas censuradas de um livro francês encontradas nos EUA

As páginas de um romance medieval foram descobertas nos arquivos da Diocese de Worcester, no estado norte-americano de Massachusetts.  Investigadores descobriram uma versão perdida de um romance medieval, que contém cenas eróticas. O poema francês - …

A tecnologia usada na Bitcoin também está a ser usada para encontrar o amor

Várias dating apps (aplicações de encontros) estão a recorrer ao blockchain para que os seus utilizadores possam encontrar a cara-metade de uma forma mais segura e transparente. O Tinder é provavelmente a dating app mais usada …

Elon Musk quer enviar passageiros para o Espaço já no próximo ano

O bilionário Elon Musk, também fundador da fabricante de automóveis elétricos Tesla, fez um anúncio surpreendente: quer que pôr passageiros no Espaço já em 2020. “Isto pode soar totalmente louco, mas queremos tentar entrar em órbita …

Cientistas reverteram principal sintoma da esquizofrenia em camundongos

Um medicamento que está atualmente a ser desenvolvido para tratar a leucemia reverteu (em camundongos) um sintoma de esquizofrenia anteriormente intratável: o enfraquecimento da memória de trabalho. A memória de trabalho é um processo cerebral fundamental usado …

Para as criaturas marinhas, as doenças infecciosas são a sentinela da mudança

Uma recente investigação analisou as mudanças nas doenças relatadas em espécies submarinas num período de 44 anos. A conclusão não surpreende: a saúde dos oceanos está a piorar a passos largos. A compreensão das tendências oceânicas …

Solidariedade e ambiente. Nos EUA, já é possível doar as suas peças Lego

Nunca somos demasiado velhos para brincar com peças Lego. No entanto, se estiver a ficar sem espaço para as arrumar e estiver à procura de uma forma de garantir que os seus blocos acabam em …

Eis os primeiros smartphones pensados e fabricados em África

https://vimeo.com/365789486 No Ruanda nasceram os primeiros rebentos do grupo Mara, que anunciou o lançamento dos seus dois primeiros smartphones. São os primeiros a serem totalmente fabricados em África. Estes são os dois primeiros smartphones totalmente fabricados em …

Siza Vieira recebe Grande Prémio da Academia de Belas-Artes francesa

O arquitecto Álvaro Siza Vieira recebeu o Grande Prémio de Arquitetura da Académie des Beaux-Arts, pelo conjunto do seu percurso, no valor de 35 mil euros. “É uma grande honra, porque é um prémio importante. É …

Para os jovens refugiados, um telemóvel pode ser tão importante quanto comida ou água

Entre 2015 e 2018, mais de 200.000 jovens não acompanhados reivindicaram asilo na Europa. Muitos deles, agora na União Europeia, têm uma coisa em comum: os seus smartphones. Não são apenas ferramentas para entretenimento nem uma …