Inteligência artificial da Google aprende a criar inteligência artificial

(dr) The Future of Life Institute

Num projeto chamado AutoML, os investigadores de inteligência artificial da Google ensinaram um software de “machine learning” a construir outro software semelhante. Em alguns casos, foi mais poderoso e eficiente do que os melhores sistemas que os próprios investigadores podiam projetar.

De acordo com a Google, o sistema recentemente atingiu um recorde de 82% na categorização de imagens pelo seu conteúdo. Numa tarefa mais difícil, de marcar a localização de múltiplos objetos numa imagem – algo importante para a realidade aumentada e robôs autónomos – o sistema gerado automaticamente obteve um sucesso de 43%, em comparação com os 39% do melhor sistema criado por humanos.

Tais resultados são significativos porque os conhecimentos necessários para construir sistemas avançados de inteligência artificial (IA) são raros, mesmo na Google.

“Hoje, estes sistemas são feitos manualmente por cientistas da área e, literalmente, apenas alguns milhares em todo o mundo conseguem fazer isso”, disse o CEO da Google, Sundar Pichai, na semana passada, num evento de lançamento para novos smartphones e outros dispositivos. “Queremos habilitar centenas de milhares de desenvolvedores para conseguirem fazer o mesmo”, acrescentou.

Por enquanto, o AutoML é apenas um projeto de pesquisa. Ironicamente, os cientistas que estão a trabalhar nele são exatamente o tipo de especialistas que esta tecnologia pretende automatizar.

Mas um número crescente de investigadores fora da Google também está a trabalhar em projetos semelhantes. Se a IA se revelar prática, a “machine learning” pode espalhar-se para fora da indústria da tecnologia como, por exemplo, nas áreas da saúde e finanças.

Redes neurais artificiais

Investigadores de dois grupos da empresa, o Google Brain e o DeepMind, já ajudaram a reduzir as contas de energia em centros de dados da Google e aceleraram, por exemplo, a capacidade da empresa de mapear novas cidades.

O AutoML poderia tornar esses especialistas ainda mais produtivos ou ajudar engenheiros menos qualificados a construir sistemas poderosos de IA sozinhos.

Um dos objetivos da Google, ao investir neste tipo de tecnologia, é acelerar o processo de implantação de redes neurais artificiais. Esta técnica envolve a alimentação de dados através de redes de operações matemáticas inspiradas pelo funcionamento dos neurónios.

Pode parecer altamente sofisticado mas boa parte do trabalho dos especialistas é usar o seu instinto, bem como a tentativa e erro, para descobrir a arquitetura certa para uma determinada rede neural.

“Uma grande parte do trabalho é essencialmente uma tarefa muito aborrecida, de tentar múltiplas configurações para ver quais funcionam melhor”, explica Roberto Calandra, da Universidade da Califórnia, em Berkeley.

Um sistema de inteligência artificial chamado AdaNet, criado numa colaboração que inclui funcionários da Google, já conseguiu construir sozinho uma rede neural camada por camada, testando cada adição ao design para garantir que melhora o seu desempenho.

Se o AutoML funcionar bem o suficiente para se tornar uma ferramenta prática para programadores, os seus efeitos podem ser sentidos além da própria empresa. “Queremos democratizar este avanço“, afirmou Pichai na semana passada, insinuando que está disposto a disponibilizar a ferramenta a outras empresas.

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Máquinas inteligentes que criam máquinas ainda mais inteligentes, de forma autónoma, sem qualquer intervenção humana.

    Onde é que isto vai parar? Será que vai acabar bem (para a humanidade)? Duvido! Aliás, acredito sim que é o principio do fim.

RESPONDER

Elon Musk quer enviar passageiros para o Espaço já no próximo ano

O bilionário Elon Musk, também fundador da fabricante de automóveis elétricos Tesla, fez um anúncio surpreendente: quer que pôr passageiros no Espaço já em 2020. “Isto pode soar totalmente louco, mas queremos tentar entrar em órbita …

Cientistas reverteram principal sintoma da esquizofrenia em camundongos

Um medicamento que está atualmente a ser desenvolvido para tratar a leucemia reverteu (em camundongos) um sintoma de esquizofrenia anteriormente intratável: o enfraquecimento da memória de trabalho. A memória de trabalho é um processo cerebral fundamental usado …

Para as criaturas marinhas, as doenças infecciosas são a sentinela da mudança

Uma recente investigação analisou as mudanças nas doenças relatadas em espécies submarinas num período de 44 anos. A conclusão não surpreende: a saúde dos oceanos está a piorar a passos largos. A compreensão das tendências oceânicas …

Solidariedade e ambiente. Nos EUA, já é possível doar as suas peças Lego

Nunca somos demasiado velhos para brincar com peças Lego. No entanto, se estiver a ficar sem espaço para as arrumar e estiver à procura de uma forma de garantir que os seus blocos acabam em …

Eis os primeiros smartphones pensados e fabricados em África

https://vimeo.com/365789486 No Ruanda nasceram os primeiros rebentos do grupo Mara, que anunciou o lançamento dos seus dois primeiros smartphones. São os primeiros a serem totalmente fabricados em África. Estes são os dois primeiros smartphones totalmente fabricados em …

Siza Vieira recebe Grande Prémio da Academia de Belas-Artes francesa

O arquitecto Álvaro Siza Vieira recebeu o Grande Prémio de Arquitetura da Académie des Beaux-Arts, pelo conjunto do seu percurso, no valor de 35 mil euros. “É uma grande honra, porque é um prémio importante. É …

Para os jovens refugiados, um telemóvel pode ser tão importante quanto comida ou água

Entre 2015 e 2018, mais de 200.000 jovens não acompanhados reivindicaram asilo na Europa. Muitos deles, agora na União Europeia, têm uma coisa em comum: os seus smartphones. Não são apenas ferramentas para entretenimento nem uma …

Cientistas observaram pela primeira vez porcos a usar ferramentas

Uma equipa de cientistas registou pela primeira vez uma família de javalis das Visayas, num jardim zoológico em Paris, a usar paus para cavar e construir ninhos. Os porcos não gostam só de chafurdar na lama …

Transição verde: o mundo tem muito a aprender com uma pequena cidade na Islândia

Uma pequena cidade no norte da Islândia tornou-se quase neutra em dióxido de carbono (CO2). Uma equipa de cientistas viajou até ao país insular nórdico para descobrir como podemos aprender com esta cidade. Atualmente, as cidades …

Adolfo Mesquita Nunes não será candidato à liderança do CDS

Adolfo Mesquita Nunes anunciou este domingo que não será candidato à liderança do CDS. A garantia foi deixada pelo próprio, na sua página pessoal de Facebook, depois de ter sido desafiado por António Pires de …