Indústria do açúcar pagou para que a gordura levasse com a culpa pelos problemas cardíacos

A indústria do açúcar pagou a cientistas para minimizar a ligação entre o açúcar e doenças cardíacas e promover as gorduras saturadas como as grandes culpadas destes problemas.

Um estudo publicado esta segunda-feira na JAMA Internal Medicine revela que, na década de 60, a indústria do açúcar pagou a cientistas para minimizar os efeitos nefastos do açúcar na saúde.

Investigadores da Universidade da Califórnia descobriram documentos históricos que comprovam que, há cerca de 50 anos, quando os estudos começavam a ligar dietas ricas em açúcar aos níveis elevados de doenças cardíacas na população norte-americana, a indústria pagou a investigadores da Universidade de Harvard para que publicassem estudos que atirassem as culpas para as gorduras.

“Eles conseguiram manipular a discussão sobre o açúcar durante décadas”, afirma Stanton Glantz, um dos investigadores responsáveis pelo novo estudo.

“O estudo ajudou a moldar não apenas a opinião pública sobre as causas dos problemas cardíacos mas também a perspectiva da comunidade científica sobre como avaliar os fatores de risco para doenças do coração”, explica Cristin Kearns, a investigadora que descobriu os documentos num arquivo público.

Os documentos mostram que a Sugar Research Foundation – um grupo da indústria hoje chamado Sugar Association – pagou a cientistas da Universidade de Harvard o equivalente a 50 mil dólares (cerca de 45 mil euros) para publicarem um estudo sobre açúcar, gorduras e doenças do coração.

Os investigadores ignoraram estudos que comprometessem o açúcar e concluíram que havia apenas uma mudança na dieta – alterar o consumo de gorduras – que podia prevenir doenças cardíacas.

O artigo foi publicado em 1967 na New England Journal of Medicine. Tanto os cientistas como os executivos do açúcar responsáveis pela pesquisa já morreram.

“Foi uma estratégia muito inteligente da indústria, porque pesquisas como estas, em particular as publicadas em revistas científicas importantes, tendem a moldar a discussão científica no geral”, descreve Stanton Glentz ao New York Times.

Foi nessa altura que começou a obsessão com dietas pobres em gordura – e a indústria alimentar continuou a adicionar açúcar aos seus produtos para saberem melhor sem ser demasiado incomodada por isso.

Os problemas cardíacos são a principal causa de morte prematura nos Estados Unidos, e os novos resultados mostram que o açúcar é – a par das gorduras – também um dos principais culpados por isso.

Em resposta ao artigo, a Sugar Association afirma que em 1967 as revistas médicas não exigiam que os investigadores revelassem possíveis conflitos de interesse, sublinhando que estudos patrocinados pela indústria são importantes para o debate científico.

O ano passado, o New York Times revelou que a Coca-Cola estava a financiar estudos que demonstrassem que o sedentarismo era o principal culpado pela obesidade, e não a má alimentação.

AF, ZAP

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Sempre disse que a gordura saturada é a MELHOR para o corpo humano. Óleo de côco, manteiga, banha, ghee, têm o ponto de saturação mais alto de todas as gorduras. Todas elas saturadas!!! e acreditem que nos fazem muito bem! Ao contrário do açúcar, que só nos destrói por dentro. As células cancerígenas ADORAM açúcar.
    Cozinhar com azeite? muito cuidado para não ultrapassar a temperatura de saturação, pois não permanece estável a altas temperaturas.

    • Isto é só a ponta do iceberg…
      Então e os estudos do “Nutrasweet” (aspartamo)? UI… com cada trafulha só para legalizar aquele veneno!… As pessoas não têm noção, ainda para mais que está em todo o lado!

  2. E isto é o “pão nosso de cada dia” na indústria farmacêutica.
    Os interesses monetários estão sempre à frente da saúde das pessoas, pois ainda têm dúvidas que para estes fazerem dinheiro, necessitam de nós doentes?…
    Não é teoria, é facto.

  3. Pois claro!…
    Universidades privadas americanas (Harvard, etc) com financiamento desconhecido (manhoso) no top’s das melhores do mundo dá nisto…

  4. Nunca gostei muito de açúcar, tenho 63 anos , 48 kg. E sempre como minhas gorduras, óleo de Coco, azeite de oliva, manteiga, azeite de dendê, ovos, carnes, frutos do mar etc. Sem problemas.meu triglicerio é baixo.

RESPONDER

O nosso cabelo sabe o que comemos, onde moramos e quanto custou o corte

Milímetro a milímetro, o cabelo constrói um registo da nossa dieta. Como os fios de cabelo são construídos a partir de aminoácidos, preservam os traços químicos da proteína da comida que ingerimos. Os fios de cabelo …

Não foram meteoros. Uma forte atividade vulcânica arrefeceu a Terra há 13 mil anos

Porque é que a Terra arrefeceu repentinamente há 13 mil anos? Sedimentos antigos encontrados numa caverna no Texas, nos Estados Unidos, parecem ter resolvido este grande mistério. Alguns cientistas acreditam que o fenómeno que arrefeceu repentinamente …

Novo método prevê erupções solares com algumas horas de antecedência

Um novo método capaz de prever explosões solares poderia ajudar a Humanidade a preparar-se contra possíveis desastres causados por este fenómeno explosivo da nossa estrela. As erupções solares são explosões que ocorrem na superfície do Sol …

Mulan a preço premium estreia na Disney+ em setembro

A adaptação live-action de Mulan tem nova data de estreia. O anúncio foi feito pela Disney nesta terça-feira (4). O filme chega à plataforma de streaming Disney+ no dia 4 de setembro, estando disponível em …

Belgas trocam as voltas à pandemia e passam férias nas árvores

Enquanto uns passam o verão em casa, outros atrevem-se a ter uma experiência diferente. Alguns belgas estão a passar as noites de verão pendurados em árvores, em tendas em forma de lágrima. A pandemia de covid-19 …

Máscara inteligente traduz até oito línguas (mas não protege do coronavírus)

Esta máscara inteligente, criada por uma empresa japonesa, consegue traduzir o discurso do seu utilizador em várias línguas (mas, por si só, não o protege do novo coronavírus). Quando a pandemia de covid-19 transformou as máscaras …

Empresa fica com excedente de 40 mil quilos de frutos secos devido à covid-19

A GNS Foods, a empresa que nos últimos 30 anos forneceu os frutos secos à American Airlines, ficou com um excedente de 40 mil quilos por causa de restrições impostas devido à covid-19. Servir frutos secos …

Astronautas da NASA fizeram partidas por telefone para "matar" tempo durante o regresso à Terra

Os astronautas da NASA Bob Behnken e Doug Hurley fizeram algumas partidas por telefone durante o regresso à Terra a bordo cápsula Dragon, da empresa SpaceX de Elon Musk, num voo que foi duplamente histórico. …

Em plena pandemia, há um venezuelano que assegura os funerais no Peru

Ronald Marín é a última esperança para os habitantes de Comas, em Lima. O venezuelano é o único que realiza funerais católicos num cemitério longe do centro da capital, em plena pandemia. Vestido com uma túnica …

Covid-19 pôs mais de um milhão de portugueses em teletrabalho no 2.º trimestre

Um milhão de pessoas esteve em teletrabalho no segundo trimestre, sobretudo devido à covid-19, o equivalente a 23,1% da população empregada, enquanto mais de 600 mil não trabalharam nem no emprego nem em casa. De acordo …