Ancestrais dos Índios Pueblos usavam milhares de penas de peru para fazer cobertores

Edge of the Cedars State Park Museum / WSU

Cobertores ancestrais feitos com penas de peru por habitantes do sudoeste americano

Os antigos habitantes do sudoeste americano – ancestrais dos atuais índios Pueblos – usaram cerca de 11.500 penas de peru para fazer um cobertor que os protegia das temperaturas extremamente baixas.

De acordo com um novo artigo publicado no Journal of Archaeological Science, uma equipa de arqueólogos da Washington State University (WSU), nos Estados Unidos, analisou um cobertor de penas de peru com aproximadamente 800 anos.

A peça, que mede cerca de 99 centímetros de largura e 108 de comprimento, é constituída por milhares de penas felpudas enroladas em cerca de 180 metros de cordão de fibra de iúca e encontra-se em exibição no Museu Edge of the Cedars State Park, no Utah.

Os investigadores analisaram e contaram as penas corporais de perus selvagens para obter uma estimativa de quantos perus teriam sido necessários para construir aquele cobertor e perceberam que teriam sido usado um número de penas equivalente a entre quatro a dez perus.

“Os cobertores ou mantos feitos com penas de peru como isolamento eram muito usados ​​pelos povos ancestrais Pueblo no que hoje é o Upland Southwest, mas pouco se sabe sobre como eram feitos porque poucos destes têxteis sobreviveram, devido à sua natureza perecível”, disse Bill Lipe, principal autor do artigo.

“O objetivo deste estudo foi lançar uma nova luz na forma como estes cobertores de penas de peru eram produzidos e explorar os aspetos económicos e culturais da criação de perus para fornecer as penas”, explicou, referindo que as roupas e cobertores feitos de peles ou penas de animais são considerados como inovações essenciais que permitiram a expansão dos humanos em ambientes frios.

Segundo a SciTechDaily, estudos anteriores mostraram que as penas de peru substituíram as tiras de pele de coelho e dados etnográficos sugerem que os cobertores eram feitos por mulheres e usados ​​como mantos no tempo frio.

“À medida que as populações de agricultores ancestrais de Pueblo cresciam, muitos milhares de cobertores de penas estavam em circulação”, disse Shannon Tushingham, co-autora do estudo e professora assistente de antropologia na WSU.

“É provável que todos os membros de uma comunidade ancestral Pueblo, desde os bebés aos adultos, possuíssem um”, acrescentou.

Os investigadores descobriram ainda que as penas de peru usadas pelos ancestrais Pueblo para fazer roupas eram, provavelmente, colhidas sem causar dor aos pássaros – escolhendo a época da muda de penas.

Isso permitia a colheita sustentável de penas, mais de uma vez por ano e durante cerca de 10 anos (tempo médio de vida daquela ave).

Além disso, as evidências arqueológicas indicam que nessa época os perus não eram usados ​​como fonte de alimento, visto que a maioria dos ossos de peru relatados em sítios arqueológicos são esqueletos inteiros que foram enterrados intencionalmente, indicando significado ritual ou cultural.

“Quando o cobertor que analisamos para o nosso estudo foi feito, os pássaros que forneciam as penas eram provavelmente tratados como indivíduos importantes para o lar”, disse Lipe.

“Essa reverência pelos perus e pelas suas penas ainda hoje é evidente nas danças e rituais dos Pueblos”, acrescentou.

A longo prazo, os investigadores esperam que o estudo ajude as pessoas a avaliar a importância dos perus nas culturas nativas americanas em todo o sudoeste.

“Os perus eram um dos poucos animais domesticados na América do Norte até à chegada dos europeus”, disse Tushingham. “Tiveram e continuam a ter um papel culturalmente significativo na vida dos Pueblo e esperamos que este estudo ajude a lançar luz sobre este importante relacionamento”, rematou.

  ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Como nasceu o mito dos vampiros? Mais doenças e menos Drácula

Os vampiros são um mito com séculos de história e que podem estar associados a doenças como a raiva e a pelagra — e não ao Drácula. O vampiro é uma imagem comum na cultura pop …

Edifícios impressos em 3D pelo exército norte-americano

Exército dos EUA pode agora imprimir edifícios de cimento em 3D em zonas de desastre

O objectivo da tecnologia é facilitar a construção de casas e pontes quando são precisas com urgência em zonas afectadas por catástrofes. O Corpo de Engenheiros do exército norte-americano pode agora imprimir quartéis, bunkers e outras …

Monumento Pillar of Shame, na Universidade de Hong Kong

Pillar of Shame foi, em tempos, um testemunho da liberdade de Hong Kong. Agora, dizem-lhe adeus

Em tempos, a escultura Pillar of Shame, plantada na Universidade de Hong Kong, foi um testemunho das liberdades da cidade. Agora, está a ser removida. Exposta há mais de 20 anos na Universidade de Hong Kong, …

Arquitetura em nome do amor. Homem constrói casa giratória para que a esposa possa escolher a vista

Na Bósnia, um autodidata de 72 anos construiu uma casa invulgar: a habitação gira 360 graus para mudar de vista. Algumas das mais bonitas obras arquitetónicas do mundo nasceram em nome do amor. É o …

Novo SEF deverá chamar-se Agência para as Migrações e Asilo

Afinal, já não vai haver um Serviço de Estrangeiros e Asilo (SEA) para substituir o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), mas sim uma Agência Portuguesa para as Migrações e Asilo (APMA). De acordo com o …

Pinto da Costa, presidente do FC Porto, com o guarda-redes Diogo Costa

Diogo Costa renova com o FC Porto até 2026

O guarda-redes Diogo Costa renovou contrato com o FC Porto até 2026, anunciaram os dragões, na tarde deste sábado. Diogo Costa, de 22 anos, aproveitou a lesão de Marchesín no início da temporada e assumiu a …

O algoritmo das plataformas de streaming afeta o que vemos (e quem somos)

As plataformas de streaming usam um algoritmo que afeta aquilo que vemos e o que queremos ver, moldando a nossa personalidade. Squid Game, o drama coreano distópico da Netflix, tornou-se a série mais vista lançada pela …

BPN e Banif custam mais do que alívio de IRS e subida de pensões

A despesa prevista no OE2022 para os veículos financeiros dos antigos Banif e BPN supera o valor previsto para medidas como o alívio no IRS e o aumento extra das pensões. Tal como destaca o Dinheiro …

A praia de Katoku, no Japão.

Praia intocada no Japão é uma das últimas do país. A sua pureza está a ser violada

A praia em Katoku, no Japão, é parte do Património Mundial da UNESCO. A construção de um paredão está a dividir a população local. Nesta praia cercada por montanhas em Katoku, no Japão, quase não há …

"Amazónia está próxima do ponto de não retorno", alerta ex-ministra brasileira

Ex-ministra brasileira do Meio Ambiente alertou, este sábado, para a aproximação da Amazónia de uma catástrofe ambiental de proporções planetárias, durante um evento da Universidade Estadual da Califórnia, Santa Bárbara (UCSB). "A Amazónia já está próxima …