Índia. Sem acesso à internet, crianças e jovens estudam debaixo de um viaduto em obras

A Índia é um dos países mais afetados pelo novo coronavírus, e é também um dos países com os níveis de pobreza mais altos. A falta de recursos é uma realidade que chegou às crianças mais pobres, que agora só têm uma saída: estudar debaixo de um viaduto em obras.

Quero a minha escola reaberta e os nossos professores a ensinar-nos como antes. Enfrento muitos problemas diariamente porque não posso receber aulas online”, conta Archana, de 15 anos, à Sky News.

Esta é uma realidade paralela a muitas outras crianças e jovens. “Não tenho acesso às aulas online. Mesmo para quem tem telefone, não há eletricidade para o carregar, e a rede móvel é um problema”, desabafa a jovem aluna indiana.

Embora a educação se tenha tornado online em todo o mundo, as crianças indianas estão a perder as aulas porque não têm acesso a tecnologia. Na Índia as escolas estão fechadas desde março e não há previsões de voltarem a abrir.

Há cinco anos, Satyendra Pal Shakya começou a ensinar as crianças da sua comunidade debaixo de uma árvore nas margens do rio Yamuna. Agora, em época de pandemia, o jovem dá aulas em Deli. Há mais de 120 crianças de todas as idades a estudar na escola gratuita administrada pelo estudante.

A escola começou por ser numa cabana de palha com apenas algumas mesas e bancos, mas devido ao grande aumento de alunos, Shakya foi forçado a dar aulas ao ar livre – debaixo de um viaduto que está em obras. Sentadas em tapetes, as crianças não se deixam incomodar com o barulho dos equipamentos ​​dos trabalhos realizados bem perto do local onde tentam estudar.

Rajesh, um aluno do 10º ano, está sempre presente nas lições e admite que “melhorei a minha matemática desde que comecei a vir assistir a estas aulas. Shakya explica-nos tudo muito bem”.

Uma emergência educacional global

De acordo com um relatório recente da UNICEF, pelo menos um terço das crianças em idade escolar não consegue ter acesso ao ensino à distância enquanto as escolas estão fechadas.

O relatório avança que pelo menos 463 milhões de crianças não conseguem ter acesso a aulas online. Henrietta Fore, diretora executiva da UNICEF, descreveu esta situação como uma “emergência educacional global”.

Pelo menos 1,5 milhão de escolas foram fechadas desde março na Índia, o que afetou 286 milhões de alunos do pré-primário ao secundário. Com a maioria dos indianos a residir em aldeias e cidades rurais, os recursos à internet são ainda mais escassos e inexistentes. Esta situação complica-se ainda mais nas famílias com vários filhos que precisam de partilhar dispositivos com os seus pais e irmãos.

Segundo a Sky News, no caso das crianças da escola de Satyendra, estas vêm de comunidades marginalizadas e algumas são extremamente pobres. Estes jovens vivem em cabanas de barro, sem acesso a bens essenciais como eletricidade ou água potável. Normalmente, os pais trabalham como operários ou mineiros e não conseguem arrecadar com as despesas educacionais das crianças.

Com mais de 3,4 milhões de casos de coronavírus, a Índia é o terceiro país mais afetado do mundo. Mais de 62 mil vidas foram perdidas com o vírus.

  ZAP //

 

PARTILHAR

RESPONDER

Governo: voto contra do Bloco é "definitivo". Marcelo diz que chumbo provoca dissolução

O Governo afirmou este domingo que entendeu o anúncio de voto contra por parte do BE como “uma posição definitiva”, remetendo eventuais novas negociações com este partido para a fase da especialidade do Orçamento do …

Soldados do exército chinês alinhados.

Chinesas querem "empregos de homem" — mas o sistema educacional corta-lhes as asas

Várias escolas, academia e universidades chinesas impõe cotas que limitam o acesso de estudantes do sexo feminino. Mulheres têm de tirar notas mais altas do que os homens para entrar. Um pouco por todo o mundo …

"A Escola de Atenas", quadro de Rafael Sanzio.

Ideias da filosofia grega podem ter-nos conduzido às alterações climáticas

Algumas das ideias defendidas por antigos filósofos gregos podem ter conduzido a civilização rumo às alterações climáticas. Incêndios florestais causados por ventos crescentes e um calor sem precedentes cercaram Atenas, Grécia, no verão passado, cobrindo os …

Vizela 0-1 Benfica | Milagre de São Rafa no último suspiro

A ressaca pós-goleada frente ao Bayern, na Liga dos Campeões, foi difícil para o Benfica. Os comandados de Jorge Jesus sentiram muitas dificuldades frente a um Vizela que sabia que o seu adversário iria patentear …

Otoniel, o camponês paramilitar (e criminoso mais procurado da Colômbia) foi capturado

O governo da Colômbia anunciou este sábado a captura do narcotraficante mais procurado do país, Dairo Antonio Úsuga (com a alcunha de 'Otoniel'), por quem os Estados Unidos ofereciam uma recompensa de cinco milhões de …

"Tratam as doentes como histéricas". O longo caminho da Medicina até levar a sério a dor feminina está a custar vidas

Muitos dos avanços na medicina tiveram apenas metade da população em conta. Para além da falta de representação das mulheres nos estudos médicos, a dor e os relatos das pacientes são muitas vezes desvalorizados nas …

Bloco faz ultimato: vota contra o OE se até 4ª feira o Governo "insistir em impor recusas"

A coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, avisou este domingo que o BE votará contra o orçamento se até quarta-feira “o Governo insistir em impor recusas onde a esquerda podia ter avanços”, mantendo, no …

Nova faca de madeira é três vezes mais afiada do que as de aço - e pode ser lavada após ser usada

Através do uso de métodos alternativos, uma equipa de cientistas criou uma nova forma endurecida da madeira que pode ser transformada em facas afiadas. A equipa da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, refere que as …

Áustria planeia confinar quem não estiver vacinado contra covid-19

O governo austríaco anunciou que, se ocupação de camas de Unidades de Cuidados Intensivos com pacientes covid-19 atingir nível crítico, pessoas não imunizadas poderão sair de casa apenas em casos excepcionais, como compras essenciais e …

"Deixa os homens cantar". Ex-paraquedistas vaiam e pedem demissão do ministro da Defesa

Centenas de ex-paraquedistas vaiaram e pediram hoje a demissão do ministro da Defesa e do Chefe do Estado Maior do Exército durante a cerimónia militar nas comemorações do Dia do Exército, em Aveiro. A iniciativa, que …