Índia. Sem acesso à internet, crianças e jovens estudam debaixo de um viaduto em obras

A Índia é um dos países mais afetados pelo novo coronavírus, e é também um dos países com os níveis de pobreza mais altos. A falta de recursos é uma realidade que chegou às crianças mais pobres, que agora só têm uma saída: estudar debaixo de um viaduto em obras.

Quero a minha escola reaberta e os nossos professores a ensinar-nos como antes. Enfrento muitos problemas diariamente porque não posso receber aulas online”, conta Archana, de 15 anos, à Sky News.

Esta é uma realidade paralela a muitas outras crianças e jovens. “Não tenho acesso às aulas online. Mesmo para quem tem telefone, não há eletricidade para o carregar, e a rede móvel é um problema”, desabafa a jovem aluna indiana.

Embora a educação se tenha tornado online em todo o mundo, as crianças indianas estão a perder as aulas porque não têm acesso a tecnologia. Na Índia as escolas estão fechadas desde março e não há previsões de voltarem a abrir.

Há cinco anos, Satyendra Pal Shakya começou a ensinar as crianças da sua comunidade debaixo de uma árvore nas margens do rio Yamuna. Agora, em época de pandemia, o jovem dá aulas em Deli. Há mais de 120 crianças de todas as idades a estudar na escola gratuita administrada pelo estudante.

A escola começou por ser numa cabana de palha com apenas algumas mesas e bancos, mas devido ao grande aumento de alunos, Shakya foi forçado a dar aulas ao ar livre – debaixo de um viaduto que está em obras. Sentadas em tapetes, as crianças não se deixam incomodar com o barulho dos equipamentos ​​dos trabalhos realizados bem perto do local onde tentam estudar.

Rajesh, um aluno do 10º ano, está sempre presente nas lições e admite que “melhorei a minha matemática desde que comecei a vir assistir a estas aulas. Shakya explica-nos tudo muito bem”.

Uma emergência educacional global

De acordo com um relatório recente da UNICEF, pelo menos um terço das crianças em idade escolar não consegue ter acesso ao ensino à distância enquanto as escolas estão fechadas.

O relatório avança que pelo menos 463 milhões de crianças não conseguem ter acesso a aulas online. Henrietta Fore, diretora executiva da UNICEF, descreveu esta situação como uma “emergência educacional global”.

Pelo menos 1,5 milhão de escolas foram fechadas desde março na Índia, o que afetou 286 milhões de alunos do pré-primário ao secundário. Com a maioria dos indianos a residir em aldeias e cidades rurais, os recursos à internet são ainda mais escassos e inexistentes. Esta situação complica-se ainda mais nas famílias com vários filhos que precisam de partilhar dispositivos com os seus pais e irmãos.

Segundo a Sky News, no caso das crianças da escola de Satyendra, estas vêm de comunidades marginalizadas e algumas são extremamente pobres. Estes jovens vivem em cabanas de barro, sem acesso a bens essenciais como eletricidade ou água potável. Normalmente, os pais trabalham como operários ou mineiros e não conseguem arrecadar com as despesas educacionais das crianças.

Com mais de 3,4 milhões de casos de coronavírus, a Índia é o terceiro país mais afetado do mundo. Mais de 62 mil vidas foram perdidas com o vírus.

ZAP ZAP //

 

PARTILHAR

RESPONDER

"Muita fraternidade”. Portugal enviou vacinas para Cabo Verde

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse esta segunda-feira que os indicadores da pandemia de covid-19 em Portugal permanecem "muito estáveis" e que a última grande abertura no plano de desconfinamento não teve …

Mais de metade dos alunos LGBTQI sofre bullying na escola, diz relatório

Mais de metade dos alunos LGBTQI sofre 'bullying' na escola, alertou esta segunda-feira a UNESCO, por ocasião do Dia Internacional Contra a Homofobia, Bifobia e Transfobia. A Organização Internacional de Jovens e Estudantes LGBTQI (IGLYO) e …

Telescópio vai "caçar" a luz de 30 milhões de galáxias para mapear Universo e "revelar" energia escura

Um instrumento de um telescópio nos Estados Unidos vai capturar nos próximos cinco anos a luz de quase 30 milhões de galáxias e outros objetos cósmicos, permitindo aos cientistas mapearem o Universo e desvendarem os …

Portugal ficou acima da média europeia quanto ao teletrabalho

Dados do Eurostat sobre o teletrabalho durante a pandemia revelaram que Portugal registou uma média ligeiramente superior (13,9%) à da União Europeia (12,3%) entre as pessoas com idade dos 15 e os 64 anos. Em anos …

"Idiotas". Bolsonaro critica pessoas que mantêm isolamento social na pandemia

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, criticou os brasileiros que seguem as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e mantêm isolamento social na pandemia, a quem chamou de 'idiotas', em conversa com os seus …

SEF com 18 casos de exploração de imigrantes na agricultura na região Oeste

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) tem em investigação 18 casos associados a auxílio à imigração ilegal, angariação de mão-de-obra ilegal e tráfico de pessoas em explorações agrícolas da região Oeste desde 2017. Questionado pela …

Carlos Costa compara venda do Novo Banco a cabaz de fruta "parcialmente apodrecida"

O ex-governador do Banco de Portugal (BdP), Carlos Costa, considerou que o processo de venda do Novo Banco, em 2017, foi como alienar "um cabaz de fruta que está parcialmente apodrecida". "A questão é sempre a …

Irmãos presos injustamente durante 31 anos recebem 75 milhões de dólares

Henry McCollum e Leon Brown estiveram presos durante mais de 30 anos por um crime que não cometeram. Foram detidos em 1983 e condenados à pena de morte pela violação e homicídio de uma criança. …

"Há ali algumas coisas em que tem razão". Rui Rio concorda com críticas de Alberto João Jardim

Alberto João Jardim defendeu que o PSD nacional tem de "acordar" e "mudar já". Rui Rio ouviu o antigo governante madeirense "com atenção" e considera que tem razão. No artigo de opinião no jornal da Madeira …

Votar contra a reforma das Forças Armadas seria "uma contradição muito grande", diz Rio

O presidente do Partido Social Democrata (PSD), Rui Rio, afirmou esta segunda-feira que seria uma "contradição muito grande" votar contra a reforma das Forças Armadas, defendida pelo partido "há anos", só porque foi apresentada pelo …