Índia: Reviravolta no caso da menina de 10 anos que deu à luz após violação

Elza Fiúza / ABr

Na Índia, uma criança de 10 anos ficou grávida depois de repetidas violações. Os pais nunca lhe contaram que a menina estaria grávida para a proteger, dizendo-lhe apenas que tinha uma pedra na barriga. Agora, sabe-se que o agressor não é o pai da criança.

A investigação ao caso da menina de 10 anos que deu à luz na Índia no mês passado, após ter sido impedida de abortar pelo Supremo Tribunal indiano foi reaberta.

Quando se soube que a menina estava grávida, a rapariga rapidamente identificou o tio como sendo o agressor e o homem na casa dos 40 admitiu ter violado a criança várias vezes durante os últimos meses, segundo a polícia indiana. O indivíduo foi detido e está a ser acusado por crimes contra crianças, avança a BBC.

No entanto, após serem revelados os resultados do teste do ADN, as autoridades colocam a hipótese de a menina ter sido violada por mais do que uma pessoa, já que o principal suspeito não é, afinal, o pai da menina. Por segurança, a polícia vai pedir que o teste seja repetido.

A mãe da menina disse não suspeitar de mais ninguém e a criança será mais uma vez interrogada pelas autoridades, que se fazem acompanhar por psicólogos.

Quando foi descoberta a gravidez, os pais pediram uma autorização à justiça para a criança fazer um aborto, mas esta foi negada. O caso chegou ao Supremo Tribunal, que também recusou o pedido. Depois de consultar um painel de médicos, o tribunal considerou que terminar a gravidez às 32 semanas seria “demasiado arriscado“.

Segundo a BBC, a família recusou-se a cuidar do bebé, que ficará num centro de acolhimento até ser adotado.

O caso da menina chamou a atenção de vários meios de comunicação internacionais. Os pais descobriram que a menina estava grávida em julho, quando a levaram ao hospital para perceber porque tinha tantas dores de barriga.

A menina nunca soube que estava grávida e achava que a barriga estava grande porque tinha lá dentro uma pedra que teria de ser retirada.

Recentemente também na Índia, uma menina de 13 anos que tinha sido violada pelo colega do pai foi autorizada pelo tribunal a pôr fim à gravidez às 32 semanas, fazendo uma cesariana.

A justiça decidiu que continuar grávida aumentaria o trauma da menina e os médicos perceberam que, num estado tão avançado de gestação, seria melhor fazer uma cesariana, e tentar salvar a criança, do que um aborto.

O bebé, um menino, nasceu na sexta-feira mas acabou por morrer no domingo. “A mãe está bem”, disseram os médicos. A família da menina tinha decidido manter a criança.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas desvendam novas pistas sobre o maior macaco que já existiu

O mítico "Bigfoot" é uma criatura lendária mas, durante milhões de anos, o verdadeiro — um símio com o dobro do tamanho de um ser humano adulto — percorreu as florestas do Sudeste Asiático, antes …

Preço do tabaco pode aumentar. Decisão cabe ao Governo

Os responsáveis do Programa Nacional para a Prevenção do Tabagismo propuseram um aumento do preço do tabaco, e a decisão depende agora do Governo. Os responsáveis do Programa Nacional para a Prevenção do Tabagismo propuseram um …

Derrocada em Borba. Um ano depois, ainda é uma ferida aberta e problemas continuam

Um ano depois do acidente na pedreira de Borba, o sindicato que representa os trabalhadores garante que os perigos persistem, enquanto a associação Assimagra salienta que foi um caso “isolado” e está a avançar com …

Caracóis estão a ficar amarelos para se adaptarem às alterações climáticas

Nas áreas urbanas, os caracóis estão a ficar com as cascas amarelas para se adaptarem às alterações climáticas. Os cientistas vão agora analisar os padrões das penas dos pássaros, para perceberem se também há uma …

Os terrenos contaminados de Fukushima vão tornar-se num centro de "energia verde"

Fukushima, local que sofreu um dos maiores desastres nuclear do mundo, vai reinventar-se e tornar-se num centro de energia renovável. Depois de ser atingido por um terramoto e um tsunami de 15 metros em 2011, três …

Cientistas identificaram neurónios específicos que mapeiam memórias

Neurocientistas descobriram um aspeto curioso de como a nossa memória funciona: Quando o cérebro precisa de recuperar informação relacionada com um lugar específico, neurónios individuais podem atingir memórias específicas. De acordo com o estudo publicado na …

Grande tempestade de areia pode ter ditado o fim de um império da Mesopotâmia

O Império Acádio da Mesopotâmia entrou em colapso devido a uma enorme tempestade de areia, sugeriu uma nova investigação levada a cabo por cientistas da Universidade de Hokkaido, no Japão. Em comunicado, os especialistas explicam …

Encontrado templo milenar usado em rituais pagãos de veneração da água

O local tem 3.000 anos, onde investigadores encontraram 21 sepulturas, bem como várias peças de cerâmica e anéis de cobre. O templo era usado em rituais pagãos de veneração da água. Uma equipa de arqueólogos encontrou …

Elon Musk diz que inovações da Neuralink vão conseguir curar o autismo

Musk disse que a sua empresa Neuralink iria "solucionar uma série de doenças neurológicas", entre as quais o autismo. Contudo, o autismo não é uma doença relacionada com o cérebro, mas sim uma perturbação do …

"Indivíduos desconhecidos" terão obrigado Marinha a apagar vídeo do incidente do USS Nimitz com um OVNI

Vários membros da Marinha que testemunharam o famoso Incidente do USS Nimitiz, em 2004, disseram que "indivíduos desconhecidos" apareceram depois do acontecimento e obrigaram-nos a apagar as gravações de vídeo. Em novembro de 2004, um porta-aviões …