Sozinhos conseguimos travar as alterações climáticas. Como? Imunidade de grupo ambiental

Assim como nesta pandemia de covid-19, no caso das alterações climáticas, a ação individual pode ser eficaz no seu combate.

Por vezes, ouvimos pessoas a dizer que não reciclam porque quase ninguém o faz, tornando o esforço da pessoa insignificante perante a esmagadora maioria. Ora, a ação individual pode desempenhar um papel mais importante do que alguns possam crer.

Numa altura de crise climática como esta, cuidar do meio ambiente torna-se tão urgente para a nossa sobrevivência como comer, beber ou respirar. É o nosso futuro e o futuro dos nossos filhos e netos que está em jogo.

Nesta pandemia de covid-19 muito se tem falado do termo “imunidade de grupo”: um estado de proteção de uma população contra uma doença infeto-contagiosa, que se alcança quando uma parte suficientemente grande dessa população está imune contra a doença e contribui para que esta não se dissemine.

Mas como é que a noção de imunidade de grupo se adapta ao ambiente? Assim como quando decidimos ser vacinados porque isso é um benefício para nós e para aqueles ao nosso redor, devemos reconsiderar como lidamos com o mundo nas nossas escolhas do quotidiano, escreve o Big Think.

Os consumidores têm muito mais poder do que pensam, podendo fazer escolhas a favor de empresas que respeitam o meio ambiente ou contra empresas que o lesam. Se cada vez mais pessoas decidirem fazer isto, lenta mas seguramente alcançaremos a chamada imunidade de grupo ambiental.

“O Homem está a travar uma guerra contra a natureza. Isto é um ato suicida. A natureza ataca sempre de volta – e já o está a fazer com uma força e fúria crescentes”, disse recentemente o secretário-geral da ONU, António Guterres.

A pandemia da degradação e destruição ambiental é a nossa maior ameaça existencial de momento. Mas, como as pessoas não veem bombas a cair e a explodir no solo, elas não relacionam o que já está a acontecer com o clima à nossa guerra contra a natureza.

Daniel Costa, ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Só há uma pequeníssima correção a fazer… Travar não… Abrandar; porque as alterações climáticas são imparáveis. Já existem muitos estudos que comprovam que o planeta “reinicia” de tempos a tempos, provocando alterações climáticas, mais ou menos severas. O problema é que, desde que a Revolução Industrial começou, aceleramos esse reinicio de uma forma brutal. Mas nada podemos fazer para travar algo que é inexorável. Se o grande capital quisesse mesmo, (e não quer!) seria possivel abrandar ligeiramente o inevitável.
    A humanidade é como um virus! Destrói tudo o que lhe rodeia depois de tirar o proveito todo. para onde vai destrói! Quando está tudo destruido, migra para outro lado e repete o processo. Isto de tentar ir a Marte é para repetir o processo lá porque a Terra já não existirá mais! A humanidade é uma praga!

  2. Alteracoes climaticas sao ciclicas. O problema e destruicao dos habitates naturais. Ocupacao, invasao dos territorios de muitas especies. Escravisacao dos animais a pontos de estinguilos… Poluicao dos solos, ma uso e ma avaliacao dos mesmos para utilizacao. Poluicao das aguas e gritante, poluimos com os nossos abitos dia a dia depois comemos os peixinhos…alguns ja doentes…
    Claro que tudo isto e devido a especulacao, ganancia, poder, egos muitos mesquinhos.
    Enfim falta de consciencia.

RESPONDER

Liveblog Autárquicas. 19 vs 14, PS em vantagem no frente a frente com o PSD

Realizam-se este domingo Eleições Autárquicas em Portugal, nas quais está em jogo a eleição de 308 presidentes de câmaras municipais, os seus vereadores e assembleias municipais, bem como 3091 assembleias de freguesia. Acompanhe tudo no …

Autárquicas: PS reivindica vitória e acredita que ganha em Lisboa

O secretário-geral adjunto do PS reivindicou hoje vitória do seu partido nas eleições autárquicas, dizendo que irá vencer em número de câmaras e de freguesias, e manifestou-se confiante no quinto triunfo consecutivo em Lisboa. Esta posição …

Autárquicas: Santana reconquista a Figueira e fala numa "proeza sem igual"

Primeiras projeções nas eleições autárquicas na Figueira da Foz dão a vitória a Pedro Santana Lopes, com 41 a 46% dos votos e 4 a 5 mandatos. Segundo a projeção da RTP, na Figueira da Foz, …

Autárquicas: PS segura Almada

Aposta da CDU em Maria das Dores Meira, atual autarca de Setúbal que atingiu o limite de mandatos naquele concelho, parece não ter sortido os efeitos desejados. O Partido Socialista deverá, segundo as primeiras projeções, conseguir …

Autárquicas: Coimbra muda de mãos com maioria absoluta de José Manuel Silva

Segundo as primeiras projeções desta noite, o ex-bastonário da Ordem dos Médicos e candidato do PSD, José Manuel Silva conquista a Câmara Municipal de Coimbra, com margem confortável Segundo a projeção SIC, José Manuel Silva obterá …

Autárquicas: Rui Moreira reeleito no Porto, mas com maioria em risco

A sondagem ICS-ISCTE, divulgada pela SIC, projeta uma vitória confortável de Rui Moreira no Porto. A sondagem indica que o atual autarca terá entre 39,2 e 44,2%. De acordo com as primeiras projeções, o resultado obtido …

Autárquicas: Sondagens dão empate entre Medina e Moedas em Lisboa

As primeiras projeções da SIC dão um empate entre o presidente da Câmara, Fernando Medina, e o candidato do PSD, Carlos Moedas. O resultado é ainda incerto. Também a projeção RTP/Universidade Católica dá resultados muito próximos …

Ummu tem 25 anos e é rosto das negociações com o Boko Haram

Com a Nigéria a enfrentar uma crise de raptos, Ummu Kalthum é uma das mais jovens — e mais bem-sucedidas — mediadoras a negociar acordos para libertar reféns do Boko Haram no país. Na última década, …

Alemanha: Sociais-democratas reclamam vitória (com "desastre" para os conservadores)

Os sociais-democratas SPD reivindicaram hoje vitória nas eleições parlamentares alemãs, numa altura em que os conservadores da CDU, força política de Angela Merkel, se aproximam de uma votação mínima histórica, de acordo com as primeiras …

Em 2018, cientistas de Wuhan terão planeado infetar morcegos com coronavírus

Em 2018, um grupo de cientistas da cidade chinesa de Wuhan, onde foi registado o primeiro caso de covid-19, estaria a planear infetar, com coronavírus modificados, morcegos que vivem em cavernas. Os cientistas terão pedido 14 …