Implantadas pela primeira vez com sucesso vaginas produzidas em laboratório

DR Instituto de Medicina Regenerativa de Wake Forest

Molde da vagina implantada em laboratório

Molde da vagina implantada em laboratório pela equipa  do Instituto de Medicina Regenerativa de Wake Forest

Pela primeira vez, investigadores produzem vaginas humanas em laboratório e implantam-nas, com sucesso, em quatro mulheres que nasceram com uma doença rara. O procedimento permitiu que o corpo destas mulheres funcionasse normalmente.

Os órgãos femininos foram desenvolvidos por cientistas do Instituto de Medicina Regenerativa de Wake Forest, através de células dos orgãos genitais de cada paciente. As mulheres em causa nasceram com síndrome de Mayer-Rokitansky-Küster-Hauser, uma doença rara que consiste num desenvolvimento deficiente do aparelho reprodutor feminino.

As características variam dependendo do caso, mas passam pela ausência total ou parcial da vagina, do útero e do colo do útero.

Na pesquisa, as pacientes eram adolescentes à altura das cirurgias – com idades entre os 13 e os 18 anos -, que decorreram entre 2005 e 2008.

Passados cinco ou mais anos, durante o acompanhamento posterior ao transplante, as quatro mulheres referiram ter uma vagina a funcionar normalmente e mostravam-se, inclusivamente, satisfeitas com a sua vida sexual.

Cada vagina foi cultivada em laboratório através de células epiteliais, retiradas pelos cientistas do músculo da parte externa da vagina.

As células foram depois colocadas num tecido biológico sem células que serviu como molde, com o tamanho e formato adaptado a cada uma das jovens.

Durante a cirurgia, foi criado o canal vaginal e implantada a vagina. Com o passar do tempo, o sistema nervoso e os vasos sanguíneos penetraram na nova camada de células até ao fim do processo, no qual o molde é absorvido pelo corpo, pode ler-se no estudo, publicado pelo The Lancet.

Para além do facto de isto ser incrível para as quatro mulheres submetidas à experiência, representa uma enorme vitória para a medicina regenerativa.

Anthony Atala, que colaborou com a equipa, afirma que isto pode ajudar, e muito, pessoas que nascem com doenças ou que, por outros motivos, necessitem de um novo órgão.

«Este estudo piloto é o primeiro a demonstrar que os órgãos vaginais podem ser construídos em laboratório e utilizado com sucesso em seres humanos», refere Atala em comunicado.

«Isto pode representar uma nova opção para os pacientes que necessitam de cirurgias reconstrutivas vaginais. Para além disso, é mais um exemplo de como as estratégias da medicina regenerativa podem ser aplicadas a uma variedade de tecidos e órgãos», conclui.

CG, ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

Role play ao serviço da Ciência. Investigadores fingem ser Neandertais para estudar caça a aves

Uma equipa de investigadores espanhóis decidiu adotar a "dramatização" científica para reconstruir um novo elemento do comportamento Neandertal: a cooperação com os membros do grupo enquanto usa fogo e ferramentas para caçar gralhas no interior …

Estoril 0-1 Sporting | Figueira deu o fruto que saciou o leão

Foi preciso surgir um erro crasso do guarda-redes estorilista (até então a fazer uma belíssima exibição) para o campeão nacional poder respirar de alívio e festejar a quarta vitória na Liga, esquecendo por agora a …

A tinta mais branca do mundo ajuda a poupar energia nas casas - e pode eliminar de vez o ar condicionado

Uma equipa de investigadores da Universidade de Purdue desenvolveu uma tinta tão branca que revestir um prédio com ela pode reduzir, ou até mesmo eliminar, a necessidade de ter ar condicionado. Depois de testar mais de …

Costa promete "lição exemplar" à Galp depois de "tanto disparate" em Matosinhos

O secretário-geral do PS, António Costa, considerou hoje que “era difícil imaginar tanto disparate, tanta asneira, tanta insensibilidade” como a Galp demonstrou no encerramento da refinaria de Matosinhos, prometendo uma “lição exemplar” à empresa. Falando em …

Porto 5-0 Moreirense | Días, Taremi e Fábio, o trio maravilha

O Porto foi o primeiro dos “grandes” a entrar em campo e deu o mote, e que mote. Os “dragões” receberam o Moreirense e golearam sem apelo nem agravo, por 5-0, graças a uma segunda …

Ronaldo volta a marcar pelo United em jogo com final frenético

O português Cristiano Ronaldo voltou hoje a marcar pelo Manchester United, mas foram Lingaard e David de Gea que ‘brilharam’ na vitória sobre o West Ham, por 2-1, em jogo da quinta jornada da Liga …

O Cumbre Vieja, num dos complexos vulcânicos mais ativos nas Canárias, entrou em erupção

O vulcão Cumbre Vieja, na ilha espanhola de La Palma, entrou hoje em erupção na zona de Las Manchas, depois de mais de uma semana em que foram registados milhares de sismos na região. Na zona, …

Portugal regista 677 novos casos de covid-19 e cinco mortes

Portugal registou, este domingo, 677 novos casos e cinco mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal …

Estudo mostra como diferentes espécies de polvos coexistem no mesmo ambiente

Existem mais de 300 espécies de polvos a viver em diversos habitats que abrangem recifes de coral, leitos de ervas marinhas, planícies de areia e regiões de gelo polar. Mas de que forma cefalópodes tão …

As máquinas estão "muito longe" de serem mais inteligentes (mas muito perto de agir como pessoas)

A especialista em inteligência artificial Daniela Braga considera que as máquinas estão "muito longe" de substituírem totalmente os humanos ou serem mais inteligentes, mas estão "muito perto" de interagirem como as pessoas. "Acho que estamos muito …