/

Hubble capta imagem nítida do 2I/Borisov, o primeiro cometa interestelar confirmado

1

NASA/ESA/J. DePasquale/STScI

O Hubble conseguiu captar uma fotografia de 2I/Borisov, o primeiro cometa interestelar até agora detetado, avançou a NASA, que opera o telescópio espacial.

De acordo com a nota divulgada pela agência espacial norte-americana, a fotografia agora divulgada foi captada a 12 de outubro e oferece a versão mais nítida já conseguida deste misterioso objeto, quando este se encontra a 418 milhões de quilómetros da Terra.

Para conseguir fotografar o 2I/Borisov, assim batizado em homenagem a Gennadiy Borisov, astrónomo amador que o identificou em agosto passado, os cientistas tiveram que rastrear o objeto em movimento com grande precisão, conta o Science Alert.

A observação do cometa revelou uma concentração central de poeira em torno do seu núcleo, uma composição que não é incomum, apesar de se tratar de um objeto que se formou num sistema estelar distante.

“Embora outro sistema estelar possa ser bem diferente do nosso, o facto de as propriedades do cometa parecerem muito semelhantes às dos blocos de construção do Sistema Solar é muito notável”, explicou a cientista Amaya Moro-Martin, do Instituto de Ciência do Telescópio Espacial em Baltimore, nos Estados Unidos.

Paralelamente à análise da composição do cometa, o astrónomo Paul Karas, professor da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, recolheu dados do telescópio Hubble para criar um vídeo que mostra como é que é o cometa.

“O cometa Borisov acabará por deixar o nosso sistema solar, mas até lá todos devemos apreciar a maravilhosa beleza deste nosso amigo, o cometa alienígena”, afirma Karas.

Os cientistas apressam-se em saber mais sobre o 2I/Borisov, que se move a uma velocidade de 177.000 quilómetros por hora, enquanto é possível observá-lo. O Hubble tem observações planeadas até janeiro de 2020.

Um artigo publicado esta quinta-feira na revista científica especializada Nature Astronomy revelou que o 2I/Borisov é surpreendentemente familiar, isto é, não é muito diferente dos cometas nativos do Sistema Solar. Os cientistas adiantaram ainda que o cometa é formado essencialmente por poeira ligeiramente avermelhada, na cauda, tendo o seu núcleo sólido cerca de um quilómetro de raio.

2I/Borisov é o segundo objeto interstelar a ser detetado no Sistema Solar. O primeiro foi o asteróide Oumuamua (“mensageiro”), com a forma de um charuto, detetado em 2017 através de um telescópio no Havai, nos Estados Unidos.

  ZAP //

 

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.