IA descobre novas crateras em Marte em apenas cinco segundos

NASA

Uma equipa de investigadores da NASA treinou um algoritmo para identificar novas crateras na superfície de Marte. É oito vezes mais rápido do que os cientistas.

A dado ponto da sua vida já abriu um jornal ou uma revista e viu um daqueles jogos de encontrar diferenças entre duas imagens. Ora, a NASA decidiu fazer o mesmo e competiu com Inteligência Artificial para analisar uma imagem e identificar crateras recém-formadas em Marte.

Os cientistas precisavam de cerca de 40 minutos para analisar uma fotografia do solo marciano e procurar uma mancha escura que não estivesse nas fotos anteriores do mesmo local. Se os cientistas encontrarem indícios de uma cratera, depois é preciso confirmar a descoberta usando uma fotografia com maior resolução, captada pela High Resolution Imaging Science Experiment (HiRISE).

Comparando as duas fotografias, e procurando por crateras que anteriormente não estavam lá, os cientistas conseguem estimar a sua idade. Esta informação pode melhorar a sua compreensão da história de Marte e ajudar no planeamento de novas missões ao Planeta Vermelho, salienta o portal Big Think.

Em 15 anos, a sonda Mars Reconnaissance Orbiter, da NASA, já tirou 112.000 fotografias de baixa resolução da superfície marciana, com cada uma a cobrir centenas de quilómetros. Não é preciso um curso matemático para perceber que este processo de identificar novas crateras é altamente demorado e exaustivo.

Delegar para a Inteligência Artificial (IA) tarefas entediantes tornou-se um costume com a evolução da tecnologia. Foi precisamente isso que os cientistas fizeram ao treinarem um algoritmo para fazer este trabalho por eles.

Ao contrário dos humanos, a Inteligência Artificial precisa apenas de cinco segundos para analisar uma fotografia — quase 500 vezes mais rápida do que um cientista da NASA.

Para acelerar o processo de aprendizagem do algoritmo, os investigadores executaram a IA num cluster de supercomputadores no Jet Propulsion Laboratory (JPL) da NASA.

“Não seria possível processar mais de 112.000 imagens num período de tempo razoável sem distribuir o trabalho por muitos computadores”, disse o cientista de computação do JPL Gary Doran. “A estratégia é dividir o problema em partes menores que podem ser resolvidas em paralelo”.

Em outubro, a NASA confirmou que a IA tinha descoberto as suas primeiras crateras em Marte e, até ao momento, ajudou os cientistas a localizar dezenas de novos impactos.

“Os dados estiveram lá este tempo todo”, disse o cientista do JPL Kiri Wagstaff à Wired. “Nós é que ainda não os tínhamos visto”.

Daniel Costa, ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Peço desculpa, mas se cientistas levam 40 minutos, a IA leva 5 segundos, a prorção não pode ser oito vezes mais rápida com a IA do que os cientistas, ou é erro de divisão, ou alguma referência a minutos ou segundos está errada. Pelas contas 40′ x 60″= 2400″ se dividirmos por 5, o resultado não é 8.
    Entendam por favor que esta resposta serve apenas para correção, e compreensão da notícia.
    Obrigado pela atenção,
    L. M.

RESPONDER

Rosto de Neandertal que viveu há mais de 50 mil anos foi reconstruído (e pode ser visto ao vivo)

Krijn, o primeiro Neandertal encontrado na Holanda, ganhou agora uma nova vida, depois de uma equipa ter reconstruído o seu rosto. Em 2009, o Museu Nacional de Antiguidades da Holanda apresentou um fragmento de crânio do …

Em julho, quase 20% das chamadas para o SNS24 ficaram por atender

A linha de SNS24 atendeu 736 mil chamadas em julho, mas ficaram por atender quase 20%. De acordo com o jornal Público, que divulga os dados do Portal do Serviço Nacional de Saúde, no mês de …

Vamos lá contar os recordes de Emma Raducanu

Feito impensável? Maior momento de sempre no desporto britânico? Personalidade do ano? Abundam as análises à nova campeã do US Open, que não quer largar o troféu. Foi um dos maiores momentos da história do desporto …

"Assassino" e "ordinário". Ferro Rodrigues insultado por dezenas de manifestantes negacionistas

Um grupo de negacionistas insultou o presidente da Assembleia da República, 71 anos, no interior de um restaurante em Lisboa. Vários negacionistas, reunidos no sábado, 11 de setembro, em mais uma manifestação, desta vez com o …

Afinal, o número ideal de passos diários não é 10 mil

Um estudo publicado recentemente defende que, afinal, não é preciso dar 10 mil passos diários para se ser mais saudável. A partir dos sete mil já se notam melhorias. A maioria das pessoas pensa que deve …

Alojamento local cai a pique. Porto e Lisboa têm pouco mais de 5 mil imóveis ativos

O número de imóveis dedicados ao alojamento local no Porto e em Lisboa têm caído a pique. Há pouco mais de 5 mil imóveis ativos nas duas cidades. Há um tremendo abismo entre o número de …

Recandidatos às autarquias partem com vários pontos de avanço - mesmo quando não cumprem todas as promessas

Os presidentes de câmara que se recandidatam têm, à partida, uma vantagem de 15 pontos percentuais sobre os seus adversários diretos, indica novo estudo. No momento de eleger o presidente da Câmara, quem é a pessoa …

Jerónimo diz esperar do PS "manobras" para "condicionar e chantagear eleitores"

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, espera que o PS tente, nas próximas semanas, “condicionar e chantagear os eleitores”, com o “agitar de novas promessas” e “o acenar dos milhares e de milhões”. “Não faltarão, …

Novas imagens revelam paisagens ocultas da Idade do Gelo no Mar do Norte

Uma equipa de cientistas criou um mapa do mundo subaquático do Mar do Norte, revelando enormes canais formados durante a última Era do Gelo. Os dados obtidos pelos investigadores revelaram 19 canais transversais que tinham entre …

A água da EEI está repleta de bactérias (e pode pôr em risco a saúde dos astronautas)

Um novo estudo destaca a necessidade de salvaguardar água limpa para as missões de voos espaciais. A pesquisa mostrou que há diferentes populações de bactérias isoladas na água potável da Estação Espacial Internacional (EEI) e …