Os humanos foram “superpredadores” durante dois milhões de anos

Viktor Vasnetsov (1848–1926)

Caçadores da Idade da Pedra

Uma nova investigação revelou que os humanos foram um predador de ponta durante cerca de dois milhões de anos. Só a extinção da megafauna e o declínio das fontes de alimentos de origem animal no final da Idade da Pedra levaram os humanos a aumentar gradualmente o elemento vegetal na sua nutrição, até que finalmente não tiveram escolha a não ser domesticar animais e plantas.

A equipa de investigadores decidiu analisar a memória preservada nos nossos próprios corpos para chegar a esta conclusão, ou seja, o metabolismo, a genética e a constituição física. “O comportamento humano muda rapidamente, mas a evolução é lenta. O corpo lembra-se”, disse Miki Ben-Dor, da Universidade de Tel Aviv, citado pelo Science Daily.

O novo estudo, publicado no dia 5 de março no American Journal of Physical Anthropology, mostra que os humanos eram, inicialmente, superpredadores que se especializaram na caça de grandes animais.



A equipa tentou responder à questão: “os humanos da Idade da Pedra eram carnívoros especializados ou omnívoros generalistas?”

Depois de analisarem cerca de 400 artigos científicos diferentes, a maioria das evidências foi encontrada em pesquisas sobre biologia atual: genética, metabolismo, fisiologia e morfologia.

A acidez do estômago humano, por exemplo, é um fator importante.

“A acidez do estômago é alta quando comparada com omnívoros e até mesmo com outros predadores. Produzir e manter uma acidez forte requer uma grande quantidade de energia e a sua existência é uma evidência para o consumo de produtos de origem animal”, explicou Ben-Dor.

A acidez fornece proteção contra bactérias nocivas encontradas na carne. Os humanos pré-históricos, que caçavam animais de grande porte, consumiam carne com grandes quantidades de bactérias, pelo que “precisavam de manter um alto nível de acidez”.

Outro fator que indica que os seres humanos eram superpredadores é a estrutura das células de gordura.

Nos corpos dos omnívoros, a gordura é armazenada num número relativamente pequeno de grandes células de gordura, enquanto nos predadores – incluindo nos humanos – ocorre o contrário: temos um número muito maior de células de gordura mais pequenas.

O genoma humano também foi citado entre as evidências. “Os geneticistas concluíram que ‘as áreas do genoma humano foram fechadas para permitir uma dieta rica em gordura, enquanto nos chimpanzés as áreas do genoma foram abertas para permitir uma dieta rica em açúcar'”, disse Ben-Dor.

“Muito provavelmente, tal como nos predadores atuais, a própria caça foi uma atividade humana focal durante a maior parte da evolução humana”, concluiu o investigador.

A equipa concluiu também que os humanos só começaram a comer uma dieta mais vegetal há cerca de 85 mil anos, provavelmente como resultado da extinção de animais maiores que eram uma fonte de alimento.

Liliana Malainho Liliana Malainho, ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Almofada de prevenção contra a pandemia. Câmara de Lisboa quer pedir 20 milhões à banca

A Câmara Municipal de Lisboa quer contrair um empréstimo de 20 milhões de euros junto do BPI, uma almofada de prevenção para fazer face às despesas correntes emergentes do combate à pandemia de covid-19. O Público …

Resort Zmar

BES, falência e um fundo abutre. Resort Zmar "deve 60 milhões de euros ao Estado"

Os proprietários das casas privadas do empreendimento turístico Zmar, na Zambujeira do Mar, em Odemira, continuam a protestar contra o alojamento de imigrantes por causa da covid-19. Isto numa altura em que se revela que …

Há estranhas rádios-fantasma na Rússia (e exploradores entraram numa delas)

Aos 14 anos, um jovem comprou um rádio de ondas curtas e estava a testá-lo quando encontrou a transmissão errada - uma rádio fantasma. Imagine que é um entusiasta da rádio, sozinho à noite, a trabalhar …

Deputado do Bloco acusado de violência doméstica avança com queixa em tribunal

Catarina Alves, ex-namorada do deputado Luís Monteiro, acusa-o de violência doméstica. O bloquista nega as acusações e diz que vai apresentar queixa no tribunal. Luís Monteiro vai apresentar queixa contra a ex-namorada que o acusou de …

Gestão do Novo Banco vai receber bónus de 3,9 milhões em 2022

A equipa de administração do Novo Banco tem à sua espera um bónus de 3,9 milhões de euros no próximo ano. O banco registou prejuízos de 1.329 milhões de euros no ano passado. O Novo Banco …

Ainda não há planos para vacinar voluntários com AstraZeneca e J&J (nem dados sobre combinação de vacinas)

A vacinação de voluntários com menos de 60 ou 50 anos que aceitem receber as vacinas da AstraZeneca ou da Johnson & Johnson ainda não tem planos ou datas para arrancar. A Comissão de vacinação …

Celebrar ou cancelar Napoleão? 200.º aniversário da morte do imperador desperta debate em França

No 200.º aniversário da morte de Napoleão Bonaparte, o presidente francês Emmanuel Macron optou por fazer o que os seus antecessores evitaram. Ao escolher colocar uma coroa de flores esta quarta-feira no túmulo de Napoleão sob …

Costa começa a namorar a esquerda. Negociações do Orçamento arrancam em julho

O Governo está a preparar-se para arrancar com as reuniões preliminares de negociação do Orçamento do Estado para 2022. O Público avança, esta quinta-feira, que os encontros formais vão ser realizados com os partidos de esquerda …

O orgulho, os milhões da Champions e (talvez) um título estão em jogo neste Clássico

O FC Porto não desiste da corrida pelo título, mas o segundo lugar é a principal luta deste Clássico. A posição dá acesso direto à Liga dos Campeões. Benfica e FC Porto defrontam-se hoje na Luz, …

"Crise de saúde global". Biden apoia levantamento das patentes das vacinas (e UE segue o exemplo)

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, apoiou a proposta da Organização Mundial do Comércio (OMC) para renunciar às proteções de propriedade intelectual para as vacinas contra a covid-19. "Esta é uma crise de saúde global …