Os humanos foram “superpredadores” durante dois milhões de anos

Viktor Vasnetsov (1848–1926)

Caçadores da Idade da Pedra

Uma nova investigação revelou que os humanos foram um predador de ponta durante cerca de dois milhões de anos. Só a extinção da megafauna e o declínio das fontes de alimentos de origem animal no final da Idade da Pedra levaram os humanos a aumentar gradualmente o elemento vegetal na sua nutrição, até que finalmente não tiveram escolha a não ser domesticar animais e plantas.

A equipa de investigadores decidiu analisar a memória preservada nos nossos próprios corpos para chegar a esta conclusão, ou seja, o metabolismo, a genética e a constituição física. “O comportamento humano muda rapidamente, mas a evolução é lenta. O corpo lembra-se”, disse Miki Ben-Dor, da Universidade de Tel Aviv, citado pelo Science Daily.

O novo estudo, publicado no dia 5 de março no American Journal of Physical Anthropology, mostra que os humanos eram, inicialmente, superpredadores que se especializaram na caça de grandes animais.



A equipa tentou responder à questão: “os humanos da Idade da Pedra eram carnívoros especializados ou omnívoros generalistas?”

Depois de analisarem cerca de 400 artigos científicos diferentes, a maioria das evidências foi encontrada em pesquisas sobre biologia atual: genética, metabolismo, fisiologia e morfologia.

A acidez do estômago humano, por exemplo, é um fator importante.

“A acidez do estômago é alta quando comparada com omnívoros e até mesmo com outros predadores. Produzir e manter uma acidez forte requer uma grande quantidade de energia e a sua existência é uma evidência para o consumo de produtos de origem animal”, explicou Ben-Dor.

A acidez fornece proteção contra bactérias nocivas encontradas na carne. Os humanos pré-históricos, que caçavam animais de grande porte, consumiam carne com grandes quantidades de bactérias, pelo que “precisavam de manter um alto nível de acidez”.

Outro fator que indica que os seres humanos eram superpredadores é a estrutura das células de gordura.

Nos corpos dos omnívoros, a gordura é armazenada num número relativamente pequeno de grandes células de gordura, enquanto nos predadores – incluindo nos humanos – ocorre o contrário: temos um número muito maior de células de gordura mais pequenas.

O genoma humano também foi citado entre as evidências. “Os geneticistas concluíram que ‘as áreas do genoma humano foram fechadas para permitir uma dieta rica em gordura, enquanto nos chimpanzés as áreas do genoma foram abertas para permitir uma dieta rica em açúcar'”, disse Ben-Dor.

“Muito provavelmente, tal como nos predadores atuais, a própria caça foi uma atividade humana focal durante a maior parte da evolução humana”, concluiu o investigador.

A equipa concluiu também que os humanos só começaram a comer uma dieta mais vegetal há cerca de 85 mil anos, provavelmente como resultado da extinção de animais maiores que eram uma fonte de alimento.

Liliana Malainho Liliana Malainho, ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Marinha dos EUA está a desenvolver drones para matar ovos em ninhos de pássaros selvagens

A Marinha norte-americana e a empresa Hitron Technologies uniram esforços para desenvolver um drone autónomo projetado especificamente para procurar e destruir o maior inimigo da Marinha: os pássaros. Os drones, que estão já a ser testados …

Cientistas criam hologramas que se movem pelo ar

Uma equipa de cientistas da Universidade Brigham Young, nos Estados Unidos, conseguiu desenvolver um holograma que projeta imagens em movimento. Se é fã de Star Treck, ficará impressionado com a mais recente inovação. Um grupo de …

Gangue detido por falsificar a especiaria mais cara do mundo

As autoridades espanholas detiveram um gangue que fazia milhões de euros por ano a falsificar a especiaria mais cara do mundo: o açafrão. Os 17 membros da quadrilha foram detidos na região de Castela-Mancha. Os criminosos …

Santuário medieval recebe escultura em pedra que usa máscara contra a covid-19

Uma catedral histórica do Reino Unido renovou um santuário do século XIV, acrescentando um detalhe que coloca em evidência o momento pandémico que o mundo vive. Agora, a nova escultura está a usar uma máscara …

Aos 10 anos, Adewumi chegou à elite mundial do xadrez (e fugiu ao Boko Haram)

Tanitoluwa Adewumi foi perseguido pelo Boko Haram, fugiu da Nigéria e foi sem-abrigo nos Estados Unidos. Agora, com apenas 10 anos, chegou à elite mundial do xadrez. Grande Mestre é um dos títulos vitalícios concedidos pela …

Hegemonia económica da China cada vez mais longe. Queda demográfica coloca Pequim sob pressão

O objetivo do país é tornar-se na maior potência económica do mundo nos próximos anos, mas a corrida pela hegemonia - disputada com os EUA - pode não ser uma meta fácil de alcançar. O …

Miss Universo 2021. Concorrente da Singapura usa roupa com o slogan "Stop Asian Hate"

Bernadette Belle Ong, uma concorrente do Miss Universo 2021, vestiu uma roupa com as cores de Singapura que continha as palavras Stop Asian Hate ("parem com o ódio contra os asiáticos"). Bernadette Belle Ong aproveitou o …

A Índia está a tornar quase impossível a vacinação dos sem-abrigo

A Índia está a dificultar o processo de vacinação dos sem-abrigo, uma vez que o programa requer um número de telemóvel e uma morada residencial. Muitas pessoas não têm nem um, nem outro.  Na Índia, quase …

Violência contra as mulheres é "uma pandemia", alerta ONU

Uma década após a criação da Convenção de Istambul, o marco dos tratados de direitos humanos para acabar com a violência de género, as mulheres enfrentam um ataque global aos seus direitos e segurança, alertaram …

Já se sabe qual a ocasião mais perdida do ano devido à pandemia (e há uma campanha para compensar)

Tomar um café com um amigo ou um familiar é o momento mais perdido do último ano devido à pandemia de covid-19. Nos últimos 12 meses, e em todas as cidades europeias, estima-se ter havido …