Os humanos cruzaram-se com outras espécies além dos neandertais

Randii Oliver / NASA

Retrato de uma família de Neandertais há 60.000 anos atrás

Somos o resultado de vários cruzamentos. Um novo estudo revela que os nossos antepassados se cruzaram não com uma, mas com duas populações diferentes do homem de Denisova.

Os nossos genes apresentam traços dos Neandertais o que indica que, no passado, os Homo sapiens tiveram filhos com esses nossos parentes próximos, dando origem aos Homo neanderthalensis.

Da Grã-Bretanha ao Japão, os genes neandertais estão presentes no genoma de várias pessoas. Rostos largos, queixos pequenos e sobrancelhas salientes são características particulares dessa espécie que se prolongaram até ao dia de hoje.

Mas os nossos genes carregam também as marcas dos nossos encontros com diferentes populações do homem de Denisova. O ADN extraído de fragmentos de indivíduos encontrados numa caverna, no sul da Sibéria, forneceu evidências de que também possuímos traços genéticos destes antigos hominídeos.

Uma equipa de cientistas descobriu agora um terceiro evento de cruzamento interespécie, aumento assim a nossa mistura genética. O novo estudo, publicados recentemente na Cell, utilizou um novo método de análise genética para comparar um genoma inteiro do homem de Denisova.

“É surpreendente que possamos analisar a história humana através dos dados genéticos de humanos atuais e determinar alguns dos eventos que aconteceram no passado”, disse a professora de investigação do Departamento de Bioestatística da Universidade de Washington e autora do estudo, Sharon Browning, à CNN.

Neste estudo, os investigadores encontraram dois episódios distintos da mistura do homem de Denisova, que vêm assim acrescentar dados ao que já era conhecido sobre o contributo dos neandertais no ADN dos humanos modernos, escreve o Diário de Notícias.

Na investigação, todos os grupos possuíam ADN neandertal; algumas populações possuíam também traços genéticos que correspondiam a denisovans das Montanhas Altai, mas a principal surpresa estava na existência de um terceiro grupo de genes arcaicos, diferente do ADN neandertal e apenas parcialmente parecido com o ADN dos denisovans das Montanhas Altai.

Para já, a explicação dada pelos especialistas é de que, à medida que os seres humanos ancestrais migraram para o leste, encontraram duas populações diferentes de denisovans. Uma delas, no norte, aparece em pessoas da China, Japão e Vietname. A outra deixou a sua marca genética mais a sul, em populações do sudeste da Ásia.

“Fica também claro que havia populações distintas de Denisovanos, em vez de uma única população”, refere Browning. “O facto de que as duas populações terem divergido sugere que estas não se misturavam muitas vezes entre si, talvez devido à separação geográfica”.

Métodos semelhantes aos que foram utilizados neste estudo podem revelar ainda mais misturas genéticas no nosso ADN. Browning e os colegas não se ficam por aqui e querem estudar outras populações, de modo a encontrar indícios da mistura de outras espécies.

PARTILHAR

RESPONDER

Colocações no ensino superior adiadas para o final de setembro

Na sequência do adiamento nos calendários dos exames nacionais do ensino secundário, o acesso às licenciaturas é também atrasado. O calendário de acesso ao ensino superior vai ser atrasado em cerca de três semanas. Os resultados …

Rangel e outros 13 eurodeputados do PPE pedem expulsão de partido húngaro

O eurodeputado do PSD Paulo Rangel e outros 13 chefes de delegação do Partido Popular Europeu (PPE) pediram na terça-feira a expulsão do partido húngaro Fidesz, exigindo ao líder parlamentar daquela família política, Manfred Weber, …

Milhares pediram o cancelamento do TV Fest. Festival foi suspenso

O Ministério da Cultura criou um festival televisivo exclusivamente dedicado à música portuguesa em parceria com a RTP, mas o formato e os critérios estão a causar forte polémica no meio. Uma petição pública online …

Comércio internacional pode cair para níveis da Grande Depressão

A Organização Mundial do Comércio referiu na quarta-feira que o arrefecimento do comércio internacional provocado pela Covid-19 pode chegar aos níveis registados nos anos 30 devido à Grande Depressão. Segundo noticiou o Observador, na melhor das …

Loja de telemóveis apanhada a vender álcool gel com lucro até 400%

Os inspetores da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) encontraram, em Lisboa, uma loja de reparação e venda de acessórios para telemóveis a vender frascos de gel desinfetante de 500 ml a 24,95 euros …

Em Portimão, uma sirene toca quando alguém sai de casa sem justificação

A sirene do quartel dos Bombeiros de Portimão vai passar a tocar sempre que alguém sair de casa e andar na rua sem justificação. O anúncio foi feito pela Câmara Municipal de Portimão em comunicado. De …

Short Selling - ou como vender ações emprestadas para ganhar muito dinheiro

Vender ações da bolsa que não são suas é uma forma de ganhar bastante dinheiro. Esta forma de negociação, denominada short selling, é muito lucrativa mas implica algum risco, pelo que é prudente aconselhar-se junto …

"Nem mais um abuso". Grupo no Whatsapp servia para planear ataques à polícia em Espanha

Dois homens de 25 e 30 anos, os dois criadores de um grupo de Whatsapp que servia para planear ataques à polícia espanhola, foram detidos esta terça-feira. De acordo com o jornal espanhol El País, o …

Trabalhadores independentes que reduziram descontos da Segurança Social terão apoio mais baixo

Os trabalhadores independentes que optaram por reduzir em 25%, de forma fictícia, o rendimento sobre o qual incidem as contribuições, e que por isso descontaram menos, verão refletida essa diminuição no apoio que podem receber …

Secretas alertaram a Casa Branca para o perigo do coronavírus em novembro

Os serviços de inteligência dos Estados Unidos alertaram o Pentágono e a Casa Branca, no fim de novembro, que o novo coronavírus estava a espalhar-se em Wuhan, avisando que o vírus estaria a mudar o …