Os humanos cruzaram-se com outras espécies além dos neandertais

Randii Oliver / NASA

Retrato de uma família de Neandertais há 60.000 anos atrás

Somos o resultado de vários cruzamentos. Um novo estudo revela que os nossos antepassados se cruzaram não com uma, mas com duas populações diferentes do homem de Denisova.

Os nossos genes apresentam traços dos Neandertais o que indica que, no passado, os Homo sapiens tiveram filhos com esses nossos parentes próximos, dando origem aos Homo neanderthalensis.

Da Grã-Bretanha ao Japão, os genes neandertais estão presentes no genoma de várias pessoas. Rostos largos, queixos pequenos e sobrancelhas salientes são características particulares dessa espécie que se prolongaram até ao dia de hoje.

Mas os nossos genes carregam também as marcas dos nossos encontros com diferentes populações do homem de Denisova. O ADN extraído de fragmentos de indivíduos encontrados numa caverna, no sul da Sibéria, forneceu evidências de que também possuímos traços genéticos destes antigos hominídeos.

Uma equipa de cientistas descobriu agora um terceiro evento de cruzamento interespécie, aumento assim a nossa mistura genética. O novo estudo, publicados recentemente na Cell, utilizou um novo método de análise genética para comparar um genoma inteiro do homem de Denisova.

“É surpreendente que possamos analisar a história humana através dos dados genéticos de humanos atuais e determinar alguns dos eventos que aconteceram no passado”, disse a professora de investigação do Departamento de Bioestatística da Universidade de Washington e autora do estudo, Sharon Browning, à CNN.

Neste estudo, os investigadores encontraram dois episódios distintos da mistura do homem de Denisova, que vêm assim acrescentar dados ao que já era conhecido sobre o contributo dos neandertais no ADN dos humanos modernos, escreve o Diário de Notícias.

Na investigação, todos os grupos possuíam ADN neandertal; algumas populações possuíam também traços genéticos que correspondiam a denisovans das Montanhas Altai, mas a principal surpresa estava na existência de um terceiro grupo de genes arcaicos, diferente do ADN neandertal e apenas parcialmente parecido com o ADN dos denisovans das Montanhas Altai.

Para já, a explicação dada pelos especialistas é de que, à medida que os seres humanos ancestrais migraram para o leste, encontraram duas populações diferentes de denisovans. Uma delas, no norte, aparece em pessoas da China, Japão e Vietname. A outra deixou a sua marca genética mais a sul, em populações do sudeste da Ásia.

“Fica também claro que havia populações distintas de Denisovanos, em vez de uma única população”, refere Browning. “O facto de que as duas populações terem divergido sugere que estas não se misturavam muitas vezes entre si, talvez devido à separação geográfica”.

Métodos semelhantes aos que foram utilizados neste estudo podem revelar ainda mais misturas genéticas no nosso ADN. Browning e os colegas não se ficam por aqui e querem estudar outras populações, de modo a encontrar indícios da mistura de outras espécies.

PARTILHAR

RESPONDER

A Via Láctea é canibal (e já comeu uma galáxia vizinha)

A nossa Via Láctea comeu uma galáxia gigante há dez mil milhões de anos. Galáxias menores - como a Via Láctea na sua vida anterior - fundem-se e criam as maiores. Ao fazer isso, formam-se …

Bill Gates é o homem mais admirado do mundo. Ronaldo também está na lista

O cofundador da Microsoft já não é o homem mais rico do mundo, mas continua a ser o mais admirado. Cristiano Ronaldo é o 7.º. Na semana passada, Bill Gates perdeu o lugar que ocupava há …

Volvo vai chamar à oficina mais de 500 mil carros até ao fim do ano

O problema detetado no motor dos carros poderá afetar os automóveis a diesel de quatro cilindros, construídos entre 2014 e 2019, nas marcas V40, o V60, V70, S80 e XC60. A Volvo retirou cerca de 70 …

A baunilha é mais cara do que a prata (e há já quem mate pelo "ouro verde")

A baunilha, que era vendida em 2015 por cerca de 90 euros o quilograma, disparou no ano passado para 535 euros, ultrapassando assim o valor da prata. Esta subida que quase sextuplicou o valor da …

"Nova Expo". 300 milhões para requalificar zona ribeirinha entre Pedrouços e Cruz Quebrada

O projeto que vai requalificar a zona ribeirinha entre Pedrouços e Cruz Quebrada conta com um investimento de 300 milhões de euros. À zona ocidental de Lisboa já lhe chamam de "nova Expo". A zona ribeirinha …

Descoberta imensidão de tesouros arqueológicos ao largo da Galiza. São mais de 1.600 objetos

Trabalhos de arqueologia subaquática ao largo das costas galegas permitiram descobrir nas últimas três décadas um total de 1600 objetos arqueológicos. As peças afundaram-se ao longo dos séculos durante inúmeros naufrágios e ali se foram acumulando. …

27 anos depois, Clã anunciam saída de dois elementos

Mais de um quarto do século após a sua formação, a banda do Porto vê dois dos seus elementos fundadores partirem. Os Clã anunciaram a saída de dois dos seus elementos através de um comunicado publicado …

Reduzir o uso de ar condicionado pode ajudar a salvar vidas

Há muitas pessoas a precisar da ajuda preciosa do ar condicionado para sobreviver a temperaturas cada vez mais altas. Contudo, aquele que pensamos ser o nosso maior aliado pode ser, na verdade, o nosso pior …

Porto vai ter policiamento gratificado em "zonas particularmente sensíveis"

Rui Moreira diz que nos últimos 20 anos não houve investimento na polícia e afirma que o espaço público "não pode ser apropriado por gangues". O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, anunciou esta segunda-feira …

Altos níveis de ferro associados a um menor risco de doença cardíaca

Diferentes níveis de ferro podem ter efeitos dispares na nossa saúde. Uma equipa de cientistas descobriu uma associação entre altos níveis de ferro e um menor risco de doença cardíaca. A tarefa não foi propriamente fácil …