Os humanos cruzaram-se com outras espécies além dos neandertais

Randii Oliver / NASA

Retrato de uma família de Neandertais há 60.000 anos atrás

Somos o resultado de vários cruzamentos. Um novo estudo revela que os nossos antepassados se cruzaram não com uma, mas com duas populações diferentes do homem de Denisova.

Os nossos genes apresentam traços dos Neandertais o que indica que, no passado, os Homo sapiens tiveram filhos com esses nossos parentes próximos, dando origem aos Homo neanderthalensis.

Da Grã-Bretanha ao Japão, os genes neandertais estão presentes no genoma de várias pessoas. Rostos largos, queixos pequenos e sobrancelhas salientes são características particulares dessa espécie que se prolongaram até ao dia de hoje.

Mas os nossos genes carregam também as marcas dos nossos encontros com diferentes populações do homem de Denisova. O ADN extraído de fragmentos de indivíduos encontrados numa caverna, no sul da Sibéria, forneceu evidências de que também possuímos traços genéticos destes antigos hominídeos.

Uma equipa de cientistas descobriu agora um terceiro evento de cruzamento interespécie, aumento assim a nossa mistura genética. O novo estudo, publicados recentemente na Cell, utilizou um novo método de análise genética para comparar um genoma inteiro do homem de Denisova.

“É surpreendente que possamos analisar a história humana através dos dados genéticos de humanos atuais e determinar alguns dos eventos que aconteceram no passado”, disse a professora de investigação do Departamento de Bioestatística da Universidade de Washington e autora do estudo, Sharon Browning, à CNN.

Neste estudo, os investigadores encontraram dois episódios distintos da mistura do homem de Denisova, que vêm assim acrescentar dados ao que já era conhecido sobre o contributo dos neandertais no ADN dos humanos modernos, escreve o Diário de Notícias.

Na investigação, todos os grupos possuíam ADN neandertal; algumas populações possuíam também traços genéticos que correspondiam a denisovans das Montanhas Altai, mas a principal surpresa estava na existência de um terceiro grupo de genes arcaicos, diferente do ADN neandertal e apenas parcialmente parecido com o ADN dos denisovans das Montanhas Altai.

Para já, a explicação dada pelos especialistas é de que, à medida que os seres humanos ancestrais migraram para o leste, encontraram duas populações diferentes de denisovans. Uma delas, no norte, aparece em pessoas da China, Japão e Vietname. A outra deixou a sua marca genética mais a sul, em populações do sudeste da Ásia.

“Fica também claro que havia populações distintas de Denisovanos, em vez de uma única população”, refere Browning. “O facto de que as duas populações terem divergido sugere que estas não se misturavam muitas vezes entre si, talvez devido à separação geográfica”.

Métodos semelhantes aos que foram utilizados neste estudo podem revelar ainda mais misturas genéticas no nosso ADN. Browning e os colegas não se ficam por aqui e querem estudar outras populações, de modo a encontrar indícios da mistura de outras espécies.

PARTILHAR

RESPONDER

Um em cada seis homens é vítima de abuso sexual antes dos 18 anos

Um em cada seis homens é vítima de abuso sexual antes dos 18 anos e podem levam décadas até pedir ajuda, por nem sempre aceitarem e entenderem que sofreram violência sexual. Na maior parte dos …

"Messiah", da Netflix, reacende controvérsia sobre os limites da liberdade de expressão

A série Messiah, disponível na plataforma de streaming Netflix, acende a controvérsia em torno dos limites da liberdade de expressão e da criatividade no mundo das artes e do entretenimento. Messiah, uma série produzida por Michael …

Quadro encontrado por jardineiro era mesmo a obra desaparecida de Klimt

Em 1997, Retrato de uma Senhora desapareceu da Galeria de Arte Moderna Ricci Oddi, em Piacenza. Em dezembro, o quadro foi descoberto. Estava escondido numa parede da instituição. O quadro encontrado em dezembro, escondido na reentrância …

Terramotos modificaram a geografia de Porto Rico (e a NASA mostra como)

Os terramotos que Porto Rico tem sentido desde dezembro passado, que causaram pelo menos um morto e milhões de dólares em prejuízos, estão também a mudar a geografia desta ilha das Caraíbas. A agência espacial …

Maldivas desesperam por fundos enquanto continuam a afundar

As Maldivas correm o risco de desaparecer completamente a menos que o Governo consiga aceder a financiamentos para combater a subida das águas. Atualmente, 80% do país está um metro abaixo do nível do mar. "Não …

O avião-baleia da Airbus já fez o seu primeiro voo

https://vimeo.com/385554265 O BelugaXL, da Airbus, é um avião-baleia e é a aeronave com mais espaço de carga do mundo. O avião foi desenvolvido para transportar peças de aviões entre as várias fábricas da empresa europeia e …

Decisão histórica. Restaurante de Paul Bocuse perde uma estrela

Esta sexta-feira, o Guia Michelin confirmou que retirou, da sua edição de 2020, uma das três estrelas do restaurante Paul Bocuse. O icónico restaurante L’Auberge du Pont de Collonge, do falecido chef Paul Bocuse, vai perder …

Porto 1-2 Braga | “Guerreiros” de aço gelam Dragão

O SC Braga venceu um jogo no palco do Dragão em duelos do campeonato 15 anos depois. No embate que abriu as contas da 17ª jornada, a última da primeira volta da Liga NOS, os …

Jovem de 17 anos morreu com Síndrome do Choque Tóxico provocada por um tampão

Na semana passada, uma jovem belga morreu vítima de um choque tóxico provocado por um tampão. A Síndrome do Choque Tóxico (SCT) é uma doença rara, mas grave. No dia 6 de janeiro, Maëlle, uma jovem …

Greenpeace aparece em lista de grupos extremistas da polícia britânica

A organização ambientalista Greenpeae aparece numa lista de grupos extremistas da polícia britânica, ao lado de símbolos neonazis. Uma lista da unidade de contraterrorismo da polícia do Reino Unido inclui a Greenpeace como uma organização extremista. …