/

Hubble deteta perigosa dança de galáxias, a mais de 100 milhões de anos-luz

ESA / Hubble & NASA, J. Dalcanton, Acknowledgement: J. Schmidt

Imagem do telescópio Hubble do Arp 91, um par de galáxias entrelaçadas (NGC 5953 e NGC 5954)

O sistema Arp 91, localizado a mais de 100 milhões de anos-luz da Terra, na constelação Serpente, é formado pela dança gravitacional de duas galáxias espirais.

Imagens obtidas pelo Telescópio Espacial Hubble, combinadas com outros dados, revelaram uma impressionante colisão cósmica.

O sistema Arp 91 é formado por duas galáxias espirais. A primeira, que surge quase no centro da imagem, é a NGC 5953 e, logo acima e em formato oval, encontra-se a NGC 5954. O formato de ambas é parecido com o da Via Láctea, mas a forma como estão posicionadas em relação à Terra fazem-nas parecer diferentes.

“A NGC 5954 está a ser claramente puxada para a NGC 5953 – parece que está a estender um braço espiral para baixo”, realçam os investigadores, no comunicado da NASA.

Este exemplo de um encontro de galáxias é muito importante para os cientistas entenderem um pouco melhor a evolução destas enormes estruturas cósmicas. Os astrónomos acreditam que a colisão leva à formação de um outro tipo de galáxia, a elíptica – um processo que demora centenas de milhões de anos até estar concluído.

Além disso, o sistema Arp 91 é o espelho do futuro da nossa própria galáxia com a vizinha Andrómeda, que estão em rota de colisão. Dentro de alguns milhares de milhões de anos, o encontro destas duas galáxias irá formar a elíptica Androláctea.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.