Análise a múmia revela os últimos meses de um homem que morreu de prisão de ventre há 1.000 anos

Karl Reinhard / Scott Schrage / University Communication

Um homem que vivia em Lower Pecos Canyonlands, no Texas, entre 1.000 e 1.400 anos atrás, pode ter morrido de um terrível caso de prisão de ventre.

De acordo com o LiveScience, um homem chamado Guy Skiles encontrou os restos mortais – que haviam sido naturalmente preservados e mumificados pelas condições áridas – em 1937 num abrigo perto da junção dos rios Rio Grande e Pecos no sul do Texas. Foi mantido num pequeno museu privado até 1968, quando foi emprestado ao Institute of Texan Cultures.

O trabalho científico foi feito na múmia nas décadas de 1970 e 1980. Em 1986, uma equipa de cientistas descreveu a múmia num artigo publicado na revista científica Plains Anthropologist.

Estudos mais recentes com tecnologias mais avançadas revelaram os últimos meses deste homem na Terra. Por exemplo, em 2003, a equipa de Karl Reinhard, da Escola de Recursos Naturais da Universidade de Nebraska–Lincoln, relatou que encontraram no interior da múmia 1,170 gramas de fezes, juntamente com uma grande quantidade de restos de comida, que o seu corpo nunca processou.

Essas descobertas, juntamente com o tamanho de seu intestino grosso, levaram os investigadores a concluir que tinha uma prisão de ventre severa e sofria de desnutrição, pois o seu corpo não conseguia processar os alimentos adequadamente.

A doença de Chagas, causada por um parasita chamado Trypanosoma cruzi, bloqueou o sistema gastrointestinal do homem. Esse bloqueio fez o seu intestino grosso inchar até cerca de seis vezes o seu tamanho normal – uma condição chamada “mega-intestino grosso”.

O homem era incapaz de digerir os alimentos de forma adequada e, aos poucos, ficou desnutrido. A condição tornaria difícil para o homem andar ou mesmo comer sozinho.

Num novo estudo, Reinhard e os seus colegas reanalisaram os restos mortais da múmia usando um microscópio eletrónico de scanner. Essa nova análise revelou que a sua dieta consistia principalmente de gafanhotos nos seus últimos meses.

Os cientistas acham que nos últimos dois a três meses da sua vida, a família ou membros da sua comunidade ajudaram o homem a comer, alimentando-o com gafanhotos cujas pernas tinham sido arrancadas.

“Deram-lhe principalmente o corpo rico em fluidos – a parte selecionável do gafanhoto”, disse Reinhard, em comunicado. “Além de ser rico em proteínas, era muito rico em humidade. Portanto, teria sido mais fácil para comer nos estágios iniciais da sua experiência de “mega-intestino grosso”.

Os cientistas também encontraram evidências no intestino grosso do homem de restos de plantas chamados fitólitos que mostram o quão “protegido” o homem estaria. Estruturas adolescentes nos tecidos das plantas, os fitólitos geralmente sobrevivem ilesos à jornada pelo sistema digestivo de uma pessoa. Este não foi o caso para este homem.

“Os fitólitos foram abertos, esmagados. Isso significa que houve uma pressão incrível exercida a um nível microscópico no seu sistema intestinal, o que destaca ainda mais a patologia exibida aqui”, disse Reinhard.

A descoberta da dieta do gafanhoto será publicada num capítulo do próximo livro “The Handbook of Mummy Studies” (Springer, 2021).

  Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

A coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins

Dia N, de negociações. Bloco de Esquerda reúne-se com Governo e tem "abertura" para negociar

António Costa tem duas provas de fogo esta terça-feira: o primeiro-ministro lidera a delegação do Governo que vai encontrar-se em separado com o Bloco de Esquerda e com o PCP. Depois de na segunda-feira ter enviado …

Nos próximos cem anos, o gelo do Ártico pode desaparecer e, com ele, os ursos polares

Cientistas esperam que o chamado "gelo de verão" venha a desaparecer por volta do ano de 2100 e com ele muitas das espécies que habitam na região do Ártico. O gelo que preenche o mar …

Num momento único, astrónomos viram uma anã branca a "ligar e desligar"

Pela primeira vez, uma equipa de astrónomos usou o Transiting Exoplanet Survey Satellite (TESS) para ver uma anã branca a desligar e ligar abruptamente.  Em astronomia, uma anã branca é um remanescente estelar composto principalmente por …

Pela primeira vez, o Princípio da Equivalência de Einstein foi verificado em quasares

Investigadores conseguiram medir o desvio para o vermelho gravitacional em quasares e assim estender o teste a regiões muito distantes de onde a luz foi emitida quando o nosso Universo era jovem. De acordo com a …

Cogumelos laminados

O consumo de cogumelos pode diminuir o risco de depressão

Além de reduzirem o risco de cancro e morte prematura, os cogumelos podem beneficiar a saúde mental de uma pessoa. Uma equipa de investigadores da Faculdade de Medicina de Penn State, nos Estados Unidos, analisou dados …

Os hipopótamos de Pablo Escobar começaram a ser esterilizados

O grupo de hipopótamos, mais uma parte do indesejado legado deixado na Colômbia pelo traficante de droga Pablo Escobar, está a ser esterilizado. Quando o Cartel de Medellín estava no seu auge, Pablo Escobar gastou parte …

Ian Brackenbury Channell, o "feiticeiro de Christchurch"

Duas décadas depois, uma cidade neozelandesa decidiu despedir o seu feiticeiro

Vinte e três anos depois, a autarquia de Christchurch, na Nova Zelândia, decidiu despedir Ian Brackenbury Channell, o famoso feiticeiro da cidade. Desde 1998 que Ian Brackenbury Channell era o "feiticeiro de Christchurch", sendo responsável por …

Um dos microscópios de Darwin vai a leilão. Esteve nas mãos da sua família durante quase 200 anos

Um microscópio que Charles Darwin ofereceu ao filho Leonard - e que esteve nas mãos da sua família ao longo de quase 200 anos - vai ser leiloado em dezembro e poderá valer cerca de …

Pedro Sánchez promete abolir a prostituição em Espanha, por considerar que esta "escraviza" as mulheres

Espanha é um dos países europeus com mais trabalhadoras na indústria do sexo, as quais são sobretudo originárias de países da Europa mais pobres, da América Latina e de África. O primeiro-ministro espanhol Pedro Sánchez anunciou …

"Um milagre". Dois jovens sobreviveram quase uma semana no deserto australiano

Dois jovens, de 14 e 21 anos, sobreviveram durante quase uma semana no deserto, sem água e sem comida, depois de se terem perdido no Território do Norte, na Austrália. A polícia fala num verdadeiro …