//

Guineense suspeito de Ébola aterrou em Lisboa e foi de autocarro para o Porto

2

EU Humanitarian Aid and Civil Protection / Flickr

Um homem da Guiné Conacri que pode ter Ébola passou por Lisboa e pelo Porto, antes de lhe terem sido detectados os sintomas do vírus. Está internado na Galiza à espera dos resultados dos exames que confirmarão, ou não, o pior diagnóstico.

O cidadão guineense está a ser assistido no Hospital do Meixoeiro, em Vigo, considerado um dos centros de referência de Espanha para os casos de Ébola.

Os primeiros sinais de que pode sofrer de Ébola só foram detectados na Corunha, para onde o homem viajou depois de ter passado por Lisboa e pelo Porto.

A Rádio Renascença apurou que o homem que terá 24 anos veio da Guiné Conacri no domingo, num voo que aterrou no Aeroporto da Portela, em Lisboa.

Depois, apanhou um autocarro rumo ao Porto e, de seguida, apanhou outro em direcção à Corunha para visitar a mulher e o filho recém-nascido, destaca a Renascença.

Responsáveis do Hospital de Vigo onde o suspeito de Ébola está internado deram, nesta quarta-feira de manhã, uma conferência de imprensa, onde anunciaram que há 10 pessoas que contactaram directamente com ele que estão sob observação.

Confusão e desorientação na Corunha

O jornal Faro de Vigo conta que o paciente começou por ser assistido no Complexo Hospitalar Universitário da Corunha, na tarde de terça-feira, onde fez vários exames.

Fontes desta unidade lamentam na publicação que “reina a confusão e a desorientação”.

O diário ainda acrescenta que o pessoal que atendeu o paciente ficou em casa, como é habitual neste tipo de situações, para prevenir eventuais contágios.

As análises feitas ao guineense foram encaminhadas para o Centro Nacional de Microbiologia de Madrid e só nas próximas horas se poderá confirmar se é mesmo um caso de Ébola.

SV, ZAP

2 Comments

    • Caso não saiba, Vigo (e a Galiza), embora não gostem muito de serem “espanhóis”, ainda não fazem parte “deste país”!…
      .
      De qualquer modo, quem usa argumentos como “só neste país”, além da estupidez e ignorância, mostra que, normalmente,. nem se dão ao trabalho de ler as noticias que comentam…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE