/

Um grupo de 20 pessoas tentou “apreender” o Castelo de Edimburgo. Não correu bem

James.Stringer / Flickr

Castelo de Edimburgo, na Escócia

Manifestantes tentaram “apreender”, esta terça-feira, o Castelo de Edimburgo, na Escócia. Como seria de esperar, acabou por revelar-se uma tentativa falhada.

Na terça-feira, um grupo de cerca de 20 manifestantes entrou no Castelo de Edimburgo, na Escócia, alegando ter “apreendido” o monumento, com base no artigo 61 da Magna Carta, conta o jornal The Guardian.

Os protestantes partilharam o protesto em direto no Facebook, que foi entretanto removido pela rede social. Nas imagens, era possível ver, por exemplo, uma mulher a dizer que o castelo “pertence ao povo”, que estavam a “recuperar o poder” e a “restaurar o estado de direito”.

“A traição já dura há tanto tempo, não podemos ficar parados e deixar que toda a gente morra sob a legislação estúpida e a tirania fraudulenta do Governo. Vamos recuperar tudo, não só o castelo”, acrescentou outro dos manifestantes.

A polícia escocesa foi chamada a intervir, os visitantes que se encontravam no castelo acabaram por ser evacuados do edifício e, ainda segundo o site Vice News, um agente ficou com ferimentos ligeiros enquanto tentava prender um dos manifestantes.

Nas imagens partilhadas online, é possível ver ainda a mesma manifestante a dizer aos agentes que o grupo estava a recuperar o castelo com base no artigo 61 da Magna Carta.

Mas, como lembra o jornal britânico, a Magna Carta, a pedra angular da constituição britânica que foi assinada pelo Rei João em 1215, nunca foi aplicada na Escócia, porque precede o Ato de União.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.