Greve na Função Pública vai encerrar serviços na sexta-feira

José Goulão / Wikimedia

-

A greve nacional de 24 horas, a primeira deste ano e a segunda do Governo de António Costa, foi anunciada no início de abril para reivindicar aumentos salariais, pagamento de horas extraordinárias e as 35 horas de trabalho semanais para todos os funcionários do Estado.

O regime das 35 horas foi reposto em julho de 2016, deixando de fora os funcionários com contrato individual de trabalho, sobretudo os que prestam serviço nos hospitais EPE.

“As expectativas são elevadas porque os trabalhadores não se sentem bem. Creio que vai ser uma grande greve, um ponto alto de luta alto. O Governo vai reparar nisso e vai ter que negociar com os sindicatos outras condições que não estas que temos atualmente”, disse a dirigente Ana Avoila à agência Lusa.

A paralisação abrange toda a administração direta do Estado (ministérios e serviços públicos).

“Alguns trabalhadores conseguiram regressar às 35 horas, depois de um processo de luta muito longo, conseguiram a reposição de cortes de salários, mas sem atualização ou mexida na carreira profissional, naturalmente que as pessoas estão descontentes ainda mais quando hoje já se fala que o Governo só pretende fazer aumentos de salários a partir de 2021 e que o descongelamento das carreiras, em principio, será só a partir de 2018 e de uma forma faseada, deixando milhares de trabalhadores de fora”, acrescentou.

Segundo Ana Avoila, os trabalhadores não partirão apenas para a greve para protestar, mas sim para “alterar”, para que “o Governo rapidamente resolva estas questões”, porque à parte das 35 horas e dos aumentos salariais, “as condições de trabalho estão cada vez piores com trabalhadores a trabalhar 10 e 12 horas por dia, serviços sem quase ninguém e que se estão a degradar, por falta de pessoal e por falta de maios, etc.”.

A dirigente do FNSTFPS – afeta à CGTP, composta pelos sindicatos do Norte, Centro, Sul e consulares e que representa 320 mil funcionários – lembrou que os setores da saúde e da educação são os que por norma têm um maior nível de adesão, “mas efetivamente as pessoas sentem-se mal no local de trabalho, por isso será imprevisível”.

A última greve geral convocada pela Federação Nacional dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais com vista à reposição das 35 horas semanais realizou-se em janeiro do ano passado e teve, segundo a estrutura, uma adesão média entre 70% a 80%, incluindo os hospitais.

Em 18 de novembro do ano passado, os funcionários públicos manifestaram-se junto à Assembleia da República, em Lisboa, para reivindicar alterações na proposta de Orçamento do Estado para aumentar os salários do setor e descongelar as carreiras.

A manifestação foi promovida pela Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública, tendo sido acompanhada por pré-avisos de greve de diversos sindicatos para salvaguardar o direito dos trabalhadores a participarem no protesto.

// Lusa

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. A CGTP/PCP só luta em defesa dos trabalhadores em funções públicas, assobiando para o lado relativamente aos trabalhadores públicos com contrato individual de traabalho. Estes continuam e continuarão como escravos com horários de 40 horas/semana e correspondentes salários inferiores, mas trabalhando para o mesmo patrão, ao lado dos colegas defendidos pela CGTP e com as mesmas funções e responsabilidades destes. Exemplo flagrante? os enfermeiros

  2. Nem imaginais o dinheiro que os TFP têm para ir de fim de semana alargado para o algarve. Estes são mesmo comentários da maior inteligência e velhos e mofentos

  3. O “circo” continua,tratando os contribuintes,que são aqueles que lhes paga as mordomias e outros enxovalhos nesta república das bananas.Um dia esta farsa de greves da FUNÇÃO PÚBLICA ao fim de semana vai acabar.Acaba mal,mas de certeza que vai acabar para esta cambada de CHULOS!

  4. Integro Costa: Provavelmente os trabalhadores públicos com contrato individual de trabalho não são sindicalizados. Acredito que a CGTP / PCP luta pelos e defende os seus filiados…

  5. Mais uma greve! quem paga isto é o privado! ainda dizem que é um trabalho escravo ter de fazer 40h. Talvez fosse altura do privado fazer uma manifestação mas ao sábado ou domingo contra as regalias e exigências da FP. Talvez assim as coisas mudassem.
    Este governo já fez tanto pelos seus e mesmo assim querem mais e mais sempre com o chavão de que “deve ser para todos”. Mas no fundo será sempre só para os FP. Nem ser despedidos podem e essa gostava de ver aprovada para os privados também. Seria caricato.

  6. Os funcionários públicos com todo o respeito que alguns ainda possam merecer, deveriam, aquando das suas reivindicações, exibir slogans dirigidos aos trabalhadores do privado – TRABALHEM ESCRAVOS PARA QUE POSSAMOS A ENGORDAR À VOSSA CUSTA.

RESPONDER

Federer acusado de manobrar a tabela ATP

Contas da associação de tenistas foram alteradas por causa do coronavírus. Roger Federer está no quinto lugar mas só disputou um torneio ao longo de 2020. Em ano anormal, contas anormais: a tabela oficial da Associação …

Astrónomo do Instituto SETI garante que vamos encontrar extraterrestres até 2036

Seth Shostak, astrónomo e astrofísico do Instituto SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) está convencido de que os humanos vão encontrar uma civilização extraterrestre inteligente até 2036. “O SETI duplica a velocidade aproximadamente a cada dois anos …

Mais leve e elegante. Assim é a nova e-bike que vai chegar às ruas da Europa

A startup Urban Cycles Oy, com sede em Helsínquia, demarcou uma espécie de lacuna no mercado europeu de bicicletas elétricas e por isso quis preenchê-la. O objetivo era produzir uma bicicleta elegante e mais leve. Um …

Incêndio reduz a maior ilha de areia do mundo a metade. É Património da Humanidade

Quase metade de Fraser, a maior ilha de areia do mundo, que se situa no nordeste da Austrália e foi classificada como Património da Humanidade pela UNESCO, foi destruída por um incêndio florestal. O incêndio queimou …

"Toca de bruxaria" permaneceu até agora numa casa do século XVI. Encontrados crânios de cavalo e veneno

Uma casa cheia de objetos ocultos foi recentemente alvo de grande interesse. O espaço estava localizado dentro de numa casa do século XVI no País de Gales, e encontrava-se repleto de objetos ocultos, incluindo crânios …

Em 1843, o primeiro cartão de Natal foi considerado "escandaloso" (agora vai ser leiloado pela Christie)

Um exemplar do primeiro cartão de Natal impresso comercialmente, em 1843, que retratava uma cena da era vitoriana que escandalizou a população, vai ser posto à venda esta sexta-feira e é considerado um item raríssimo. Este …

Marcelo quer alívio de restrições no Natal sem pôr em xeque janeiro

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou esta sexta-feira esperar que a "possível exceção" no Natal ao quadro de restrições para conter a covid-19 "seja bem entendida e bem vivida" e não provoque …

Bill Gates diz que o mundo estará de volta à normalidade já na primavera de 2021

Bill Gates, que desde 2015 tinha vindo a lançar alguns alertas sobre uma possível pandemia, deixou agora uma mensagem de esperança ao dizer que acredita que os EUA irão voltar ao normal na primavera de …

Mais um passo na hegemonia. China constrói aldeia nos Himalaias, em zona também disputada pela Índia e pelo Butão

Novas imagens de satélite mostram que a China construiu uma aldeia nos Himalaias, ao longo de uma fronteira que também é disputada pela Índia e pelo Butão, e que foi palco de um impasse agressivo …

João Félix eleito jogador do mês da liga espanhola. Ronaldo vence prémio em Itália

O português João Félix, do Atlético de Madrid, foi eleito o melhor jogador da Liga espanhola de futebol do mês de novembro. O luso revelou-se uma peça fundamental durante todo o mês e ajudou a equipa …