Vila grega “engolida” pela mineração de carvão está quase abandonada

Em Anargyri, há décadas que se extrai lignite, uma forma de carvão de baixo poder calórico que, dado o seu transporte ser pouco rentável, costuma ser consumida próxima dos lugares onde é extraída.

Menos de um sétimo da energia usada no país tem origem no sol ou no vento e um terço provem do carvão. Além das consequências em termos de poluição, há uma outra que se vem tornando cada vez mais direta: o desaparecimento progressivo de vilas e aldeias junto às minas.

Em Anargyri, no norte da Grécia, a terra está cada vez mais negra e esburacada e as estradas cada vez mais irregulares – viver lá tornou-se inseguro.

Não há muito tempo havia cerca de 500 habitante. Agora restam 40. São os que não aceitaram a oferta que lhes fez uma empresa mineira de os mudar para apartamentos arrendados noutro lugar.

Um deles, Michalis Bitas, dono de uma exploração pecuária, contou ao New York Post que o efeito físico da mineração nas casas começou a ser visível em 1986, quando a mineração começou. “Começou a comer as casas lentamente, antes de passar a comer-nos a nós também”. Para explicar por que recusou a oferta da empresa, Bitas explica que não pode mudar as suas ovelhas e a maquinaria para um apartamento. Agora, esperam que a perda das suas casas seja compensada por inteiro.

A nível ambiental, a enorme dependência dos combustíveis fósseis que se verifica na Grécia faz soar o alarme dos ambientalistas. A recente conferência sobre alterações climáticas na Polónia reiterou os avisos sobre os perigos do carvão e 34 grupos publicaram uma carta a pedir ao primeiro-ministro grego que “não renda o país às consequências aterradoras” que se anunciam.

O presidente da PPC, a empresa estatal responsável pela mineração em Anargyri, reconhece que a lignite irá ser gradualmente substituída por outras fontes de energia. Mas nota que se trata de um “combustível estratégico, por ser o único inteiramente controlado” pela Grécia.

A pressão dos credores internacionais gregos também não ajuda. Entre outras exigências que o país aceitou, conta-se a privatização de três unidades de produção de eletricidade que funcionam à base de carvão. O governo tenta aproveitar ao máximo os seus recursos em carvão e gás natural, em especial nas zonas costeiras, para atrair investimento.

Em Anargyri, apesar da destruição das suas casas, os moradores têm sentimentos contraditórios sobre o carvão, uma vez que o PPC é um empregador chave – emprega cinco mil pessoas locais. A outra atração é que a lignite não é vulnerável a oscilações do mercado financeiro ou a choques geopolíticos, ao contrário do petróleo e do gás importados, que na Grécia provêm principalmente da Rússia.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Podem chover pedras no "lado noturno" dos exoplanetas de Júpiter

De acordo com um "relatório meteorológico astronómico", os lados escuros dos exoplanetas de Júpiter podem ter um clima bastante rochoso. As nuvens espessas de minerais vaporizados podem estar a chover pedras. Uma equipa de astrónomos da …

Boris compara Reino Unido a super-herói. "Quanto mais enfurecem o Hulk, mais forte ele fica"

O primeiro-ministro britânico comparou o Reino Unido ao super-herói da Marvel, que nunca se deixa prender, deixando subentendido o aviso de que pode ignorar a decisão do Parlamento que quer impedir uma saída sem …

Dente de rinoceronte deu aos cientistas a mais antiga informação genética já registada

Cientistas conseguiram extrair de um dente com 1,7 milhões de anos (de um rinoceronte já extinto) aquela que é a informação genética mais antiga alguma vez registada. Entre o período de há 2,5 milhões e 700 mil …

SNS "é âncora para os portugueses e sabe resistir às pressões"

A ministra da Saúde elogiou o Sistema Nacional de Saúde no dia em este cumpre 40 anos. A data só não está a ser assinalada com mais vigor devido à proximidade das eleições, explicou …

Um terço dos diplomados no curso de Aeroespacial vai trabalhar para o estrangeiro

A nota mínima de entrada no curso de Engenharia Aeroespacial do Técnico bateu um novo recorde. As oportunidades e os salários levam os diplomados para o estrangeiro. O único curso de Engenharia Aeroespacial no ensino superior …

Morreu o cantor Roberto Leal

Morreu o cantor Roberto Leal, confirmou o antigo secretário de Estado das Comunidades e da Administração Local. Tinha 67 anos e lutava contra um cancro. A notícia foi avançada pelo antigo secretário de Estado das Comunidades …

Estudo mostra que o canguru gigante tinha uma parecença com os pandas

O já extinto canguru gigante tinha uma característica muito semelhante com o panda-gigante dos dias modernos: grandes mandíbulas que lhe permitiam comer alimentos que outros animais não conseguiam. Há mais de 40 mil anos, o sudoeste …

Assunção Cristas contra o "ditador" verde e André Silva contra a "despesista" demagoga

O debate deste sábado, transmitido pela RTP3, sentou frente-a-frente os líderes do CDS e do PAN. Assunção Cristas contou quantas vezes o programa do adversário usa a palavra "proibir" e André Silva acusou os centristas …

Poluição no rio Lis arrasta-se há mais de 20 anos

A poluição na bacia hidrográfica do rio Lis arrasta-se há mais de duas décadas, com o contributo das descargas ilegais das suiniculturas, mas a construção da estação de tratamento de efluentes suinícolas tem sido adiada …

No Quénia, há meninas a faltar às aulas por não terem acesso a tampões

No Quénia, há adolescentes que não têm dinheiro para comprar pensos higiénicos ou tampões. Por isso, faltam às aulas. O Expresso conta a história de uma menina queniana, de 14 anos, que não aguentou ser humilhada …