Alterações climáticas estão a impedir a recuperação da Grande Barreira de Coral

Richard Ling / Flickr

Cientistas da Austrália e dos Estados Unidos verificaram uma descida histórica no surgimento de novos corais na Grande Barreira de Coral. O culpado é o aquecimento global.

A Grande Barreira de Coral, na Austrália, foi atacada pelo fenómeno de branqueamento em massa em 2016 e 2017. O branqueamento não atingiu este ecossistema em 2018, mas continua a influenciar a vida dos seus organismos.

De acordo com um artigo científico, recentemente publicado na Nature, estes branqueamentos consecutivos causaram uma diminuição de 89% no surgimento de novos corais no ano passado.

Em 20 anos, a Grande Barreira enfrentou quatro branqueamentos em massa: em 1998, 2002, 2016 e 2017. Durante fenómeno, a água aquece mais do que seria suposto e os corais ficam esbranquiçados. Isto acontece porque as algas, que vivem em simbiose com os corais e lhes dão cor, deixam de fazer a fotossíntese e passam a produzir substâncias tóxicas.

Os corais ficam sem acesso aos nutrientes dados pelas algas e, como consequência, ficam desnutridos e podem mesmo morrer. As perdas causadas por este fenómeno foram substanciais. Só em 2016, morreram 30% dos corais rasos da Grande Barreira.

Segundo o Público, recentemente, uma equipa de cientistas analisou as relações entre os corais adultos e a produção de larvas antes e depois dos branqueamentos de 2016 e 2017.

A relação é conhecida como “recrutamento de larvas” e, neste processo, os corais reproduzem-se através da produção de largas designadas plânulas. Depois, essas larvas dispersam-se no plâncton até colonizarem o recife e, no final, dão origem a novos corais.

Segundo Andrew Baird, do Centro de Excelência para o Estudo dos Recifes de Coral (ARC) e um dos autores do estudo, este recrutamento é essencial para a recuperação dos recifes. “Sem bebés não pode haver adultos“, disse ao Público.

“Como consequência da mortalidade em massa de corais adultos em 2016 e 2017 devido ao stress térmico, a quantidade de recrutamento de larvas desceu para níveis históricos de 89% em 2018″, lê-se no artigo.Como houve uma perda de corais adultos, houve uma diminuição de 89% na reposição de novos corais na Grande Barreira – “corais mortos não têm bebés”, ressalva Terry Hughes, líder da equipa, num comunicado do ARC.

“As larvas de corais que são produzidas todos os anos são componentes vitais da resiliência da Grande Barreira de Coral”, sublinha Baird, destacando que a diminuição no recrutamento de larvas foi mais grave na secção Norte da Grande Barreira e nos corais do género Acropora.

O aquecimento global comprometeu gravemente a capacidade de os recifes recuperarem dos branqueamentos”, resume o cientista.

Na prática, tudo se resume a um ciclo: as alterações climáticas causam o branqueamento, o branqueamento mata os corais adultos, os corais mortos não produzem larvas e, sem larvas, não se pode recuperar da perda de adultos causada pelas alterações climáticas.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Senado francês aprovou lei que protege os sons e cheiros do campo

O Senado francês aprovou a lei, esta quinta-feira, que protege o "património sensorial" das áreas rurais do país, depois de várias queixas sobre os ruídos e cheiros típicos do campo. De acordo com o canal televisivo …

Identificado em Portugal o primeiro caso da variante da África do Sul

O primeiro caso de covid-19 associado à variante genética da África do Sul foi identificado esta sexta-feira em Portugal pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA), adiantou à agência Lusa a instituição. O caso identificado …

Está a nascer o primeiro comboio português a hidrogénio (e vai substituir o Vouguinha)

Já arrancou o projecto para o desenvolvimento do primeiro comboio português a hidrogénio. A iniciativa visa transformar as automotoras a gasóleo que circulam na Linha do Vouga - o comboio chamado Vouguinha - por células …

Guardiola diz que Bernardo Silva "sempre foi importante" para City

O treinador Pep Guardiola disse esta sexta-feira que o português Bernardo Silva “está de volta” ao melhor nível e que “sempre foi importante" para o Manchester City, depois de ter "sentido" dificuldades na temporada passada. “Ele …

Fauci fala de "sentimento libertador" após saída de Trump da Casa Branca

O infeciologista Anthony Fauci, o principal rosto da Casa Branca no combate à pandemia de covid-19, admitiu um sentimento "libertador" após a saída da administração de Donald Trump e afirmou que poderá agora falar sobre …

Parlamento Europeu pede lei que reconheça como "fundamental" direito a desligar

O Parlamento Europeu (PE) pediu na quinta-feira à Comissão Europeia que proponha uma lei que reconheça o "direito a desligar" como sendo "fundamental", permitindo assim que "quem trabalhe por meios digitais desligue os aparelhos fora …

Portugal entra na lista da Alemanha de países de "alta incidência"

A Alemanha incluiu Portugal no grupo de mais de 20 países e territórios considerados de “alta incidência” da pandemia de covid-19. Neste grupo, além de Portugal, estão Albânia, Andorra, Bolívia, Bósnia, Egito, Espanha, Emirados Árabes Unidos, …

Hungria compra vacina russa apesar de não estar autorizada na UE

O Governo húngaro anunciou esta sexta-feira que chegou a acordo para comprar "grandes quantidades" da vacina russa contra a covid-19 Sputnik V, embora esta ainda não tenha sido autorizada pelas autoridades de saúde europeias. O ministro …

Governo prepara apoio extraordinário para o desporto devido à covid-19

O Governo está a preparar um fundo de apoio extraordinário para ajudar o desporto a ultrapassar a crise provocada pela pandemia de Covid-19, revelou o secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo …

Líderes europeus defendem que fronteiras devem continuar abertas

Os chefes dos 27 Estados-membros da União Europeia (UE) reuniram-se em videoconferência, na quinta-feira, na qual concordaram que as fronteiras não devem ser fechadas, devendo evitar-se medidas que possam comprometer o mercado único e o …